9º Congresso Português de Diabetes 2010

Revisado por Equipe Editorial a 1 novembro 2016

A propósito do 9º Congresso Português de Diabetes 2010…

Realizou-se nos dias 10 a 13 de Março de 2010, em Vilamoura o 9º Congresso Português de Diabetes. Este Congresso é da iniciativa da Sociedade Portuguesa de Diabetologia e realiza-se de dois em dois anos, alternando com a Reunião Anual da Sociedade.
Tradicionalmente é neste Congresso que o espírito multidisciplinar, dinâmico e dinamizador dos membros da Sociedade se evidencia.
Mais uma vez, este 9º Congresso de Diabetes, cuja organização científica esteve a cargo do Professor José Luis Medina, veio a revelar-se um sucesso. Com mais de 1300 inscritos, o congresso contou com a presença de palestrantes nacionais e estrangeiros que fizeram o ponto da situação do estado actual da moderna Diabetologia.

A autora lembra que, de acordo com um estudo recente à realidade nacional, cerca de um milhão de portugueses sofre de diabetes e quase metade desconhece este facto.

A Sociedade Portuguesa de Diabetologia é uma sociedade científica multidisciplinar que agrega todos os profissionais de saúde que trabalham e se interessam pela prevenção e tratamento da diabetes em Portugal.
O mesmo espírito multidisciplinar se fez sentir neste congresso. Participaram médicos de todas as especialidades, enfermeiros, psicólogos, investigadores das ciências básicas, dietistas e nutricionistas e podologistas, que em conjunto abordaram a problemática da diabetes no nosso país.

Após a apresentação, em 2009, do Estudo da Prevalência da Diabetes em Portugal – PREVADIAB, a realidade dos números referentes a esta patologia, impôs-se: cerca de um milhão de portugueses sofre desta doença e quase metade desconhece este facto. Perante estes números, de uma realidade que nos assusta a todos, foi oportuno reunir no congresso de diabetes todos os profissionais intervenientes neste debate e que também deverão contribuir, de alguma forma para a prevenção desta doença.

Vários foram os congressistas nacionais e estrangeiros que se debruçaram sobre a panorâmica actual da diabetes no Mundo, e em particular no nosso país. Em relação à realidade da diabetes em Portugal, discutiram-se as razões por detrás do seu crescimento, aonde estamos e como vamos fazer a prevenção para o futuro. Nesse sentido, a Conferência inaugural, pela Professora Ana Sousa Monteiro, com o tema “A cidade e a diabetes” falou-nos da enorme complexidade dos problemas de Saúde Pública, relacionando urbanismo, zonas de pobreza, estratos sociais e doenças mais ou menos prevalentes, lembrando-nos que prevenir a diabetes também passa por planificar as cidades do futuro, os seus espaços livres de lazer e de exercício.

De enorme actualidade foi ainda, na quinta-feira, o simpósio: “Diabetes em Portugal – como estamos?”, onde se fez o ponto de situação em relação à prevalência da diabetes, as estatísticas das suas complicações e mortalidade, e custos de internamento. Mas falou-se também do futuro que está a ser programado hoje, pela voz do Presidente da SPD e actual coordenador do Programa Nacional de Prevenção e Controlo da Diabetes, o Dr. José Manuel Boavida.

No 9º Congresso Português de Diabetes participaram profissionais de diversas áreas da Saúde e também doentes.

Permito-me destacar ainda: A conferência “Diabetes e Intestino”, pelo Professor Martin Buysschaert; a conferência “BiotecnologiaGene therapy for Diabetes moving forward to the clinic?”, pela Professora Fatima Bosch; a conferência “Genética e o futuro do tratamento da Diabetes tipo 2”, pelo Professor Philippe Froguel; e ainda a magistral conferência do Professor Assal “Educação Terapêutica: Great Masters in education: wich examples do they give us for our pratice in therapeutic patient education”.

Este congresso apresentou ainda outra mais-valia, pois, à semelhança do que vem já habitualmente a ser feito, a organização convidou para participar activamente pessoas com diabetes, que exprimiram os seus pontos de vista e debateram os seus direitos, num simpósio bastante participado, intitulado “Direitos das pessoas com diabetes”.

Por último, assinalo ainda a participação activa da Industria Farmacêutica no Simpósio “Industria Farmacêutica: A perspectiva de um parceiro essencial”. Em resumo, o Congresso de Diabetes de 2010 foi um êxito conseguido através da multidisciplinaridade, cooperação e dinamismo de todos os seus intervenientes. É com este espírito, e com o trabalho de todos os intervenientes, que vamos conseguir melhorar, com certeza, o prognóstico e a qualidade de vida de quem sofre de diabetes em Portugal.

Cristina Valadas
Endocrinologista
Secretária-Geral da Sociedade Portuguesa de Diabetologia