A hora e a vez dos Genéricos

Publicado em 07/06/2010. Revisado por Equipe Editorial a 13 janeiro 2018

A hora e a vez dos Genéricos

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

Eles chegaram às prateleiras através de uma Lei sancionada em 10 de fevereiro de 1999. São os genéricos, remédios mais baratos que os de marca e que surtem o mesmo efeito, apesar de no início ter existido um receio de que fossem de qualidade inferior. Ledo engano, pois possuem o mesmo princípio ativo do referente, além do mais, passam por dois testes: bioequivalência e biodis-ponibilidade.

O primeiro consiste em verificar se o genérico possui as mesmas substâncias e propriedades que o medicamento tradicional. E o segundo, é a comprovação da absorção da mesma forma e velocidade pelo organismo. Estes testes são realizados pela Agência de Vigilância Sanitária, a ANVISA.

Um cuidado a ser tomado é não confundi-lo com os remédios similares, já existentes no mercado há mais tempo. A diferença começa na embalagem. É preciso apresentar escrito em uma tarja amarela “medicamento genérico”, com a letra “G” em destaque.

Como ele não possui marca, o que se lê é o princípio ativo. Logo abaixo, deve se identificar a frase: “Medicamento Genérico – Lei 9.787/99”. Seu preço de mercado é em média 40% mais baixo, porque os laboratórios fabricantes não custeiam pesquisas nem o marketing entre os médicos.

O similiar não possui identificação, e utiliza o mesmo princípio ativo dos de referência. Muitos laboratórios já fabricam o medicamento com qualidade superior ao genérico e com um preço bem próximo do de referência.

Publicidade

O consumidor conta, hoje, com cerca de 426 produtos genéricos em 1885 apresentações nas farmácias em todo o País. Segundo o Ministro da Saúde, Barjas Negri, até o fim deste ano, alcançará a marca de 771 medicamentos. Numa pesquisa nacional encomendada pelo Ministério, 95% dos brasileiros os conhecem, 48% os pedem nas farmácias e 40% solicitam a troca do remédio de marca pelo genérico.

Devido a estes medicamentos, o custo do tratamento das seis doenças mais freqüentes no Brasil: hipertensão, diabetes, colesterol alto, úlcera, gripe e glaucoma, caiu 45%.

Saiba mais sobre:
Autores
Equipe Editorial

Todos os artigos desenvolvidos pela nossa equipe editorial baseiam-se em evidências científicas, sendo todos eles revisados por médicos da sua especialidade, esforçando-nos sempre para ser objetivos e apresentar os dois lados do argumento. Pode consultar a nossa equipe de especialistas Aqui

A nossa equipe concentra-se assim em garantir que o conteúdo, os produtos e os serviços fornecidos pela plataforma mantenham os mais elevados padrões de integridade médica, ajudando a garantir que todas as informações que o usuário recebe, sejam precisas, e baseadas em evidências, atuais e confiáveis.

Para além disso, todo o conteúdo é revisado e atualizado continuamente para garantir a sua precisão.

O processo de atualizações é simples.

Sabemos que os padrões de tratamento para algumas condições, como o câncer e a diabetes (por exemplo) mudam e estão em constante evolução, de modo que, existem conteúdos que devem ser revisados com maior frequência, de forma a garantirmos que a informação existente e recém-publicada reflita sempre as informações mais precisas e atuais. Saiba mais sobre nós Aqui

Se encontrou alguma imprecisão ou erro nos nossos conteúdos, informe-nos através da nossa página de Contato.

Publicidade

A hora e a vez dos Genéricos