A saúde oral da mulher

A saúde oral da mulher é, em certas alturas da vida, muito própria e requer atenções especiais. Será que é mais difícil para uma mulher ter uma boca saudável?

O corpo da mulher passa por uma série de fases que são fundamentais no seu desenvolvimento. A puberdade, a gravidez, o período de aleitamento, a menstruação e a menopausa são períodos tão intensos que as alterações hormonais existentes podem, se não forem detectados os problemas, pôr em risco a saúde oral.

Na menstruação, principalmente nos períodos iniciais, o risco de gengivites pode aumentar. Aumentos podem também ter as lesões causadas pelo herpes e aftas.

Durante a menopausa os problemas são outros: dor e sensação de queimadura na língua e bochechas, mau hálito e boca seca. É também nesta fase que o risco de aparecimento de periodontite aumenta, principalmente se houver história de osteoporose.

Outro período de risco é a gravidez. Neste caso, a situação não é tão grave como se pensava há alguns anos atrás, quando era comum ouvir-se dizer que em cada gravidez se perdia um dente. No entanto, a gengiva da mulher está mais sensível e susceptível ao aparecimento de gengivites e periodontites.

Se pensa que não há nada a fazer, descanse. É que programas específicos podem evitar estes problemas. Cabe ao médico dentista, e ao higienista oral, delinear um plano de intervenção e de estratégia de cuidados para se puder controlar toda a situação.