Abaulamento Discal: Sintomas, Causas e Tratamentos

Revisado por Reinaldo Rodrigues (Enfermeiro - Coren nº 491692) a 14 dezembro 2018

Se você já alguma vez sofreu um abaulamento discal, sabe perfeitamente que esta pode ser uma condição médica dolorosa e potencialmente perigosa, sobretudo se o disco eventualmente herniar (evoluir para uma hérnia de disco).

Abaulamento Discal

Se acha que está a sofrer de um abaulamento discal, é fundamental compreender os detalhes da doença, bem como as causas, os sintomas, os tratamentos potenciais e os sinais de alerta que lhe indicam que deve visitar um médico.

O que é um abaulamento discal?

O Que é Um Abaulamento Do Disco

O abaulamento discal (protusão discal) é uma situação clínica que ocorre quando um dos discos da coluna vertebral se move para fora do lugar.

Entre cada uma das vértebras que compõem a coluna vertebral, existe um pequeno disco que atua como amortecedor, reduzindo o impacto e o desgaste da coluna vertebral.

Esses discos, clinicamente conhecidos como discos intervertebrais, possuem uma cobertura fibrosa rígida que contém um núcleo de textura semelhante a um gel, chamado núcleo pulposo.

Este núcleo interno ajuda a distribuir o stresse e a pressão por todo o disco, protegendo assim as vértebras.

No entanto, com o tempo, estes discos podem começar a quebrar ou a enfraquecer, particularmente em locais como o invólucro externo rígido.

Uma série de diferentes fatores podem contribuir para esta deterioração do invólucro.

Quando os invólucros começam a deteriorar-se, o núcleo interno pode ficar abaulado ou inchar nos pontos de fragilidade que se formam, empurrando o disco através de qualquer fenda disponível ou espaço na coluna vertebral.

À medida que o disco se move para fora da sua posição normal, pode começar a pressionar os nervos, o que inevitavelmente causará dor e inflamação nas costas.

No entanto, em muitos casos, as pessoas não saberão que têm um abaulamento discal até que ele progrida para um estado mais grave – a hérnia discal.

Isto ocorre quando o núcleo pulposo irrompe através de uma fenda no invólucro externo do disco e começa a escapar para o espaço circundante.

A ausência de sintomas em algumas pessoas é a razão pela qual esta doença pode ser tão perigosa.

A dor pode não surgir até que a condição já tenha atingido um nível grave.

O que provoca o abaulamento discal?

Estar Acima Do Peso Pode Aumentar A Probabilidade De Uma Pessoa De Experimentar Uma Hérnia De Disco

Os abaulamentos discais podem ser causados por uma série de coisas, incluindo o desgaste e o rompimento relacionados com a idade, as lesões nas costas, a má postura, a deterioração geral, a obesidade, o uso de calçados inadequados e os movimentos específicos de alto risco.

Ferimento na coluna vertebral: se você sofreu algum tipo de trauma ou lesão nas costas, fora do estresse e da pressão normais da atividade diária e do exercício, você poderá acelerar significativamente o movimento de um disco entre as suas vértebras, o que pode levar a um abaulamento discal e resultar rapidamente numa hérnia.

Postura: uma má postura pode ser o maior contribuinte para a ocorrência de abaulamentos discais, uma vez que isso pode proporcionar uma pressão constante sobre o invólucro exterior de um disco, fazendo com que ele mude de forma por longos períodos de tempo.

Quando essa pressão é aliviada, o disco nem sempre regressa à sua forma original. Ao longo do tempo, isso pode resultar num abaulamento discal.

Processo de envelhecimento: à medida que envelhecemos, os nossos corpos deterioram-se de várias maneiras, o que também se aplica aos discos intervertebrais.

Além disso, a quantidade de água presente no nosso corpo (e nesses discos) começa a diminuir, ao longo do tempo. Sem água dentro deles para mantê-los “inflados”, os discos começam a achatar-se e ficam mais propensos aos movimentos, a danos e a inflamações.

Este processo gradual pode demorar décadas, mas eventualmente acontece a todos.

Escolha do calçado: tão distantes como os pés estão da coluna vertebral, eles têm um impacto muito grande em cada passo que damos e na constante pressão de impacto que colocamos sobre as nossas vértebras.

Se você estiver a usar sapatos com um suporte fraco ou sapatos demasiado grandes ou pequenos, poderá estar a contribuir para a degradação diária dos seus discos, o que aumentará o seu risco de sofrer desta doença particular.

Movimentos de alto risco: certos trabalhos requerem maior utilização da capacidade física do que outros e muitos setores industriais estão associados a níveis mais elevados de trabalhadores com abaulamento discal do que outros.

Se você exerce um trabalho que exija frequentes levantamentos, esforços, carregamentos ou saltos, está a colocar uma pressão adicional sobre os seus discos e deve, conscientemente, descansar as suas costas para permitir a reparação.

Deterioração: todos os dias que caminhamos pela cidade, pegamos em sacos de compras, abraçamos os nossos filhos, corremos ou limpamos a casa, estamos a colocar uma certa quantidade de pressão sobre as nossas costas.

O desgaste geral da vida é inevitável, o que pode causar uma degradação gradual da cobertura externa dos nossos discos intervertebrais.

Obesidade: se você está com excesso de peso, está a forçar o seu corpo – os seus pés, as suas articulações e a sua espinha vertebral – para suportar esses quilos extra.

Se a sua estrutura corporal não for naturalmente grande o suficiente para suportar o excesso de peso, ele irá provocar uma pressão adicional sobre a sua coluna vertebral e sobres os seus discos, razão pela qual o abaulamento discal é comummente observado em pacientes obesos.

Sintomas

Embora nem todas as pessoas tenham sintomas quando sobrem de um abaulamento discal, alguns dos sintomas comuns incluem uma variedade de formigueiro no pescoço, dor nas costas e espasmos musculares.

Formigueiro: sensações de formigueiro nas suas mãos, no pescoço, nas pernas ou nas extremidades podem ser um indicador de que você tem um abaulamento discal na parte superior da coluna.

Embora essa sensação possa ser ligeira, a pressão sobre essa parte da coluna pode causar um comprometimento muscular mais grave e a incapacidade de andar normalmente ou desempenhar funções motoras.

Consulte um médico, se esse tipo de formigueiro persistir mais do que um dia.

Dor nas costas: quando o fluído interno de um disco se projeta para fora da coluna vertebral, pode pressionar os nervos próximos, o que resulta em dor e inflamação subsequente.

Esta dor pode se estender do ponto de pressão até ao estômago e ao abdómen.

Também justifica uma visita ao médico, de forma a determinar se está a ser causada por algo mais grave.

Espasmos musculares: os feixes nervosos presentes na coluna vertebral controlam uma enorme quantidade de funções musculares e motoras do nosso corpo.

Desta forma, quando a pressão é aplicada por um disco abaulado, é possível que ocorram espasmos musculares nas pernas e nas nádegas.

Isto é geralmente um sinal da ocorrência de um abaulamento discal para baixo e para trás e pode resultar em qualquer número de sintomas que variam da incontinência à sensação de dor pontiaguda tipo tiro que desce pela perna.

Tratamento

Existem algumas opções de tratamento eficazes para o abaulamento discal, tais como as mudanças do estilo de vida, a aplicação de gelo, a toma de analgésicos, a realização de alongamentos, a aplicação de alguns regimes de exercícios, a toma de injeções de esteróides, a perda de peso, a cirurgia e a terapia a laser.

Gelo: muitas vezes, a solução mais simples é a melhor.

O gelo pode reduzir a inflamação em torno de um disco abaulado, o que pode aliviar a dor e ajudar o disco a regressar à sua posição normal.

Analgésicos: o ibuprofeno e a aspirina são frequentemente recomendados para aliviar o desconforto e a dor provocados pelo abaulamento discal ou para reduzir a inflamação nas costas que está a provocar a rigidez.

Alongamentos: fazer mais alongamentos antes das suas atividades diárias ou da execução das necessidades mais intensas é essencial.

Isto irá manter os músculos das suas costas aquecidos e irá aumentar a flexibilidade da sua coluna vertebral, o que poderá ajudar a aliviar alguma tensão e pressão exercidas sobre o disco abaulado.

Injeções de esteróides: muitas pessoas escolhem tomar injeções de esteróides para estimular a cicatrização da área afetada e para superar a inflamação e o desconforto causados pelo abaulamento.

Cirurgia: em aproximadamente 10% dos casos de abaulamento discal, as abordagens não- cirúrgicas simplesmente não funcionam, e para evitar o risco de herniação, realiza-se a cirurgia.

Embora esta possa ser uma abordagem eficaz, a cirurgia aberta da coluna vertebral coloca muitos riscos e o tempo de recuperação do procedimento pode ser extenso.

Terapia a laser: é uma das opções mais recentes para o tratamento do abaulamento discal. Pode ajudar a reduzir a inflamação em torno de um disco abaulado, sem ser necessário realizar uma cirurgia invasiva.

Reduz significativamente o risco para o paciente, a um custo menor e com efeitos semelhantes.

Alterações no estilo de vida: se o seu estilo de vida exige que você coloque tensão sobre as suas costas, como as responsabilidades atléticas, as tarefas profissionais ou mesmo cuidar de crianças (levantar e deitar uma criança), deve tentar mitigar o impacto dessas atividades no seu corpo.

Se você não descansar e não eliminar os fatores de risco que causam o abaulamento do disco à partida, há poucas hipóteses de reverter a progressão do abaulamento.

Exercícios: alguns dos melhores exercícios para pessoas com um abaulamento discal incluem caminhadas, flexões, exercícios de Pilates, natação, ponte e evitar realizar exercícios de impacto:

  • Caminhadas

Exercícios sem impacto, como as caminhadas, são altamente recomendados, em vez de correr ou praticar desportos mais organizados.

  • Pilates

Pilates e yoga são duas excelentes opções, se você estiver a sofrer de um abaulamento discal. Estas práticas orientadas para o alongamento irão aumentar a sua flexibilidade e diminuir a inflamação na coluna vertebral.

  • Natação

Outro exercício de baixo impacto é a natação que coloca todos os músculos do seu corpo em funcionamento mas quase não exerce pressão sobre a coluna, enquanto a pratica!

  • Ponte

Deite-se de costas com os joelhos dobrados e afastados à largura do quadril. De seguida, levante suas nádegas até formar uma linha reta com a sua coluna e segure a posição durante 10 segundos. Repita este exercício 10 vezes por dia.

  • Flexões

Deite-se sobre a sua barriga, numa posição de empurrão. A seguir, levante-se, mantendo a pelvis e os quadris em contacto com o chão. Segure essa posição durante 10 segundos e repita-a 10 a 12 vezes por série.

Conhece a » Síndrome de Ombro Congelado? Saiba como Resolver com os Melhores Tratamentos Caseiros

Referências

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/9383853
http://www.boneandjoint.org.uk/content/jbjsbr/80-B/5/825.full.pdf
http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/art.24268/full
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16915105
https://www.researchgate.net/profile/Penny_Githens/publication/16463084
http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1529943015000996
https://link.springer.com/article/10.1007/s10926-010-9237-5
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15401725
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/2951048
http://www.ijpba.info/ijpba/index.php/ijpba/article/view/335
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/7809761
http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/j.1526-4610.1974.hed1402101.x/full
https://www.researchgate.net/publication/15595488
https://academic.oup.com/rheumatology/article-abstract/26/6/416/1775945
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/10212604
http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0268003307000836