Abóbora e Diabetes

Abóbora: Um conto de fadas para os diabéticos

Um grupo de investigadores da East China Normal University observou que um grupo de ratos diabéticos alimentados com extracto de abóbora apresentava uma hiperglicemia (induzida) menos marcada e uma redução na peroxidação lipídica ao nível pancreático. Verificou-se ainda um aumento das células β, ainda que inferior ao encontrado nos ratos não diabéticos.

Segundo Tao Xia, estes resultados parecem apontar para um efeito hipoglicemiante da abóbora e para a capacidade de estimular a renovação das células β pancreáticas. Trata-se por isso de um potencial e promissor papel de um alimento natural, que pode ser utilizado na forma de extracto, no tratamento da Diabetes.

Estes fenómenos poderão ser explicados pelo conteúdo da abóbora em antioxidantes e em D-quiro-inositol, uma molécula que é modeladora da actividade insulínica. O aumento da insulina leva à baixa de açúcar no sangue reduzindo assim a utilização de outros nutrientes para produzir energia, nomeadamente os ácidos gordos que levam à formação de radicais livres quando oxidados. Porém as células β nos ratos diabéticos dificilmente atingem um ponto de equilíbrio, sendo que algumas sofrem danos irreversíveis e perdem a sua função. Na Diabetes tipo I há uma perda massiva deste tipo de células.

Tendo em conta que a diabetes é uma doença crónica que actualmente afecta quase 6% da população mundial, e que poderá crescer o número de diabéticos insulino-resistentes com um quadro clínico semelhante e a necessitarem de insulina, a utilização da abóbora em forma de extracto pode ser uma forma de reduzir a necessidade de insulina administrada com todas as vantagens que daí podem surgir.

Referência

Xia T,Wang Q. Hypoglycaemic role of Cucurbita ficifolia (Cucurbitaceae) fruit extract in streptozotocin-induced diabetic rats. Journal of The Science of Food and Agriculture 2007. 87(9): 1753-1757.

Ler Também:

Diabéticos – Cuidados com os Pés