-->Abscesso Anorretal: causas, sintomas, tratamento e complicações - Educar Saúde

Como identificar e tratar o Abscesso Anorretal

Um abscesso anorretal é um acúmulo de pus na região anorretal. Muitas vezes ocorre em conjunto com a fístula anal. O evento resulta de uma infecção em um dos criptas de Morgagni que leva à inflamação e formação do abscesso.

abscesso anorretal

Quais são as causas

Existem várias causas para um abscesso na região anorretal:

  • glândula obstruída
  • presença de uma fístula anal à nascença
  • administração de um enema retal
  • infecção de uma fístula anal
  • infecção sexualmente transmissível

É mais frequente nos seguintes casos:

  • diabéticos
  • pacientes imunossuprimidos,
  • durante o tratamento com quimioterapia ou corticosteróides
  • sexo Anal
  • doenças inflamatórias intestinais (doença de Crohn e colite ulcerativa)
  • uso de medicamentos como a prednisona
  • enfraquecimento do sistema imunológico (por exemplo devido a VIH / SIDA)

O problema pode ocorrer em crianças e bebês que ainda usam fraldas e têm historial de fístulas anais.

Quais são os sintomas

Os sintomas mais comuns são o aparecimento de uma área inflamada e uma dor latejante que pode ser muito intensa durante os movimentos intestinais (evacuação de fezes). Outros sintomas incluem:

  • transpiração anormal
  • mal estar, incomodo geral
  • secreção de pus do local
  • inchaço em redor do ânus,
  • celulite infecciosa (vermelhidão da pele).

Ocasionalmente ocorre sangramento retal ou sintomas urinários, como dificuldade em iniciar o fluxo urinário ou micção dolorosa. Veja o que pode ser Dor ao urinar.

Outros sintomas podem incluir:

  • obstrução na saída do ânus
  • febre, suores nocturnos e calafrios
  • Caroço ou nódulo inchado, sensível e vermelho localizado na à saída do ânus
  • Tecido endurecido e doloroso

Nas crianças, o abscesso muitas vezes aparece como um caroço inchado, sensível e vermelho na borda do ânus. O bebê pode ficar agitado e irritado devido ao desconforto, mas geralmente não existem outros sintomas.

Como é feito o diagnóstico

abscesso anorretal

O diagnóstico pode ser feito pelo cirurgião geral ou coloproctologista. Um exame retal pode confirmar a presença do abscesso anorretal. A retossigmoidoscopia é um exame que pode ser realizado para identificar ou excluir outras doenças. Em casos raros, pode ser realizada uma tomografia computadorizada (TAC), anoscopia, ressonância magnética ou ultra-som para determinar a localização do pus no interior do ânus.

Como é feito o tratamento

É raro o abscesso desaparecer ou curar por conta própria. O tratamento geralmente envolve uma pequena cirurgia para abrir e drenar o abscesso. A cirurgia geralmente é feita com anestesia local, peridural, ou geral, se o abscesso for grande. A cirurgia é um procedimento ambulatório e o paciente volta para casa no mesmo dia. O abscesso geralmente é deixado aberto não recorrendo a pontos.

Tratamento em casa

Após a cirurgia, o médico pode recomendar o paciente a realizar banhos de assento quentes com água morna para reduzir a dor e a inflamação. O médico pode prescrever medicação para a dor (analgésicos) e antibióticos que deverão ser administrados de acordo com as exigências do profissional de saúde. Pode haver também a necessitade do paciente tomar laxantes. Após a cirurgia de drenagem é importante seguir as práticas de higiene indicadas pelo médico e realizar uma dieta leve ou líquida até o abscesso ter cicatrizado.

Expectativas

Com tratamento imediato o paciente geralmente recupera rapidamente, especialmente os recém-nascidos e crianças. As complicações tendem a ocorrer apenas quando o abscesso anorretal é deixado sem tratamento. As possíveis complicações incluem:

  • fístula anal;
  • infecção geral (sepsia);
  • Dor continuada;
  • cicatrizes;
  • A cirurgia realizada para tratar o abscesso ou a fístula anal por vezes causa muito sangramento;
  • Pode ocorrer outra infecção devido à cirurgia;
  • Pode formar-se uma fístula no local após o tratamento do abscesso;
  • Durante a cirurgia para tratar a fístula, por vezes ocorrem ferimentos em outras partes do corpo, incluindo os músculos do esfíncter. Este inconveniente pode levar a problemas no controle dos movimentos intestinais;
  • Se não for tratada, a infecção pode se espalhar para outras partes do corpo;
  • Se o abcesso não for tratado, é provável que reapareça no futuro.

Quando consultar o médico

O profifssional de saúde a procurar nestes casos será o clínico geral ou coloproctologista. Consulte o médico se:

  • Notar um corrimento ou sangramento retal, dor ou outros sintomas de abscesso anorretal
  • Tiver febre, calafrios ou outros sintomas após o tratamento do abscesso.

Quando devo procurar atenção imediata?

Procure atendimento médico imediatamente se:

  • Houver a presença de sangue, pus ou um cheiro desagradável que vem do ânus ou da vagina.
  • Se tiver uma dor intensa no reto ou na vagina que não desaparece.
  • Se tiver um súbita dificuldade em respirar.
  • Se as fezes forem muito escuras ou contêm sangue.

Prevenção

A prevenção ou tratamento imediato de doenças sexualmente transmissíveis pode ajudar a prevenir muitos casos de abscessos anorretais. Use preservativos durante a relação sexual, incluindo sexo anal, para evitar tais infecções. A troca frequente da fralda e a limpeza adequada durante a troca das fraldas também pode ajudar a prevenir fístulas anais e abscessos perianais em bebês e crianças pequenas.

Recomendado: Carocinhos na Vagina? Saiba o que pode ser

Saiba mais sobre:
A informação foi útil? Sim / Não

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.

Referências
  • ASCRS
    https://www.fascrs.org/patients/disease-condition/absceso-anal-y-la-fistula
  • MedlinePlus enciclopedia médica
    https://medlineplus.gov/spanish/ency/article/001519.htm
  • Coloproctology (2nd Ed) 2017, Alexander Herold ISBN: 978-3-662-53208-9, Pag. 59. (Inglês)
  • Textbook of Clinical Gastroenterology and Hepatology (2nd Ed) 2012, Steven D. Wexner and Giovanna M. da Silva , ISBN: 978-1-4051-9182-1, Pag. 514. (Inglês)
Autores
Dr Diogo Olive Gomes (Médico de família e comunidade e Homeopata - CRM/PR: 34.257)

Dr. Diogo Olive Gomes - CRM/PR 34.257

Medicina de Família e Comunidade - RQE Nº: 23995

Homeopatia - RQE Nº: 23996

Consultar > Currículo Lattes.

Profissional graduado há 10 anos, pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Com Residência Médica em Medicina de Família e Comunidade, pela Faculdade de Medicina da USP. E também com Título de Especialista em Homeopatia pela Associação Médica Brasileira.

Trabalhou como Auditor Médico pelo Exercito Brasileiro. Atua com Atenção Primária à Saúde na Saúde Suplementar, com experiência em atendimento de urgência e emergência, ambulatorial e domiciliar.

Hoje atua como Coordenador Médico de Ambulatório de Medicina de Família, dentro do Hospital da Cruz Vermelha - Regional Paraná. Atende também em Consultório Particular, como Homeopata. É diretor da Associação Médica Homeopatica do Paraná.

Também pode encontrar o Dr. Diogo no Linkedin, ou no Google.