Acabar com as rugas

Acabar com as rugas sem bisturi

Apagar as marcas que os anos foram deixando na pele deixou de ser um problema. Agora, em apenas duas horas, é possível acabar com as terríveis rugas. Basta fazer o tratamento com toxina botulínica, um método não cirúrgico que é usado para fins cosméticos desde 1987, o botox.

Existem alguns gestos que se tornaram rotina no sentido de evitar o aparecimento das indesejadas rugas, como a aplicação de um tónico, de um creme hidratante ou uma limpeza mais profunda da pele de tempos a tempos. É a este conjunto de cuidados que se junta agora o tratamento com toxina botulínica, um nome extenso para uma solução simples: apagar as rugas do rosto em apenas duas horas.

«As rugas originam a maior parte das consultas nas clínicas de cirurgia plástica, medicina estética e centros de cirurgia estética em todo o mundo», constata o Dr. Vinício Alba, especialista em Cirurgia Plástica e Medicina Estética, director clínico do Center Laser. No entanto, durante muito tempo a única resposta que existia para este problema era a cirurgia, um método demasiado arriscado e caro para retirar apenas algumas rugas de expressão, causadas por hipertrofia muscular, pele desvitalizada por excesso de sol e pela passagem dos anos.

Uma situação que se alterou radicalmente com o aparecimento de novas soluções no início dos anos 90. Surgiram então os peelings ácidos, químicos, que permitiram melhorar a textura da pele, rejuvenescendo-a. Demonstraram também uma grande eficácia na eliminação de manchas escuras que se apresentavam na pele facial. Os peelings com raio laser também vieram contribuir para este rejuvenescimento cutâneo. «Faltava ainda alguma coisa para que este rejuvenescimento não cirúrgico se tornasse completo e ideal», recorda Vinício Alba.

Uma melhoria trazida com o tratamento à base de toxina botulínica para fins cosméticos. Esta substância era inicialmente utilizada por oftalmologistas para corrigir o estrabismo. A toxina botulínica foi utilizada pela primeira vez em Dermatologia, em 1987, quando a Dr.ª Jean Carruthers tratou os movimentos involuntários da musculatura palpebral com esta substância. Nessa altura verificou que, para além do paciente ter melhorado, também apresentou um desenrugamento da área superciliar (na zona das sobrancelhas).

«Esta observação fez com que, juntamente com o seu esposo, cirurgião plástico, iniciasse a pesquisa sobre a acção nas rugas periorbitais, conhecidas como pés de galinha, e frontais», complementa o especialista.

Para pequenas rugas…

Os vários estudos realizados demonstraram bons resultados em 80% dos casos, vantagem que é aliada à comodidade deste tratamento. «As pessoas não necessitam de grandes cuidados imediatos, pois não se trata de cirurgia», destaca o médico. A sua aplicação dá ao rosto um aspecto suave, minimizando as rugas de expressão e rejuvenescendo a pele. Se for associado a outros procedimentos da cirurgia plástica e medicina estética, como peelings, lift, ressurfacing e infiltrações correctivas, os efeitos são me-lhores e mais duradouros.

O primeiro passo para o tratamento consiste na anestesia local, administrada através da aplicação de um gel. Depois marcam-se os pontos onde será inserida uma agulha muito fina, através da qual é aplicado o produto. Ao fim de três a cinco dias aparecem os primeiros resultados, ou seja, desaparecem algumas das rugas. Em média, ao fim de seis meses, a toxina butolínica deixa de fazer efeito. Para manter o mesmo aspecto sem rugas, é necessário voltar a fazer o tratamento, que custa entre 45 a 60 mil escudos. «Quando reaparecem, as rugas são menos vincadas», garante Vinício Alba.