-->Acne vaginal: O que pode ser, e como é feito o Tratamento - Educar Saúde

Acne vaginal: Causas, Tratamento, e Tudo o que Você Precisa Saber

Publicado em 29/09/2017. Revisado por Drª Camille Rocha Risegato (Ginecologista e Obstetra - CRM SP-119093) a 26 fevereiro 2019

Poucas regiões do corpo são tão sensíveis quanto a área genital feminina. E ainda que a acne vaginal não costume ser um problema grave, pode revelar-se uma enorme fonte de desconforto. Saiba mais.

Descubra O Que Pode Ser O Acne Vaginal, Quais As Causas, Tratamento, E Tudo O Que Você Precisa Saber

Porque aparece acne na vagina?

A causa do acne vaginal (Ver Imagem de Exemplo) nem sempre é clara, mas existem algumas razões que podem justificar o aparecimento de espinhas no genital feminino.

Dermatite de contato

A acne vaginal é muitas vezes causada por dermatite de contato, que constitui uma reacção alérgica a determinados produtos que entram em contato com a pele. O problema pode resultar de sensibilidade a:

  • Banhos de espuma e sabonetes, particularmente aqueles que contêm fragrâncias.
  • Toalhetes femininos, desodorizantes, loções, pós e perfumes.
  • Tampões ou pensos higiénicos
  • Duchas vaginais
  • Espermicidas, preservativos, lubrificantes e estimulantes sexuais.
  • Medicamentos tópicos sem receita médica
  • Secadores de roupa e detergentes

Outras fontes de irritação na pele incluem:

Qualquer irritação cutânea pode resultar na formação de espinhas na vagina (seja nos lábios internos, pequenos e grandes lábios) e na região púbica.

Foliculite

O aparecimento de acne e borbulhas na região genital também pode ser o resultado de uma infecção bacteriana nos folículos capilares. A depilação dos pêlos púbicos é uma das possíveis causas de foliculite. À medida que o pêlo cresce, por vezes curva para dentro da pele, e causa irritação.

O contato de lâminas depilatórias com a pele também pode causar:

Hidradenite supurativa (HS)

Também conhecida como “acne inversa ou hidrosadenite”, a hidradenite supurativa é uma doença crônica das glândulas sudoríparas que causa lesões semelhantes ao acne espalhadas por todo o corpo, incluindo a vulva.

Esta doença inflamatória é rara e as causas não são totalmente conhecidas. Ainda que existam tratamentos que ajudem a amenizar o problema, não existe ainda uma cura definitiva.

Molusco contagioso

O Molusco contagioso representa uma infecção viral capaz de causar bolhas por todo o corpo, incluindo a vagina. Nem sempre é necessário tratamento. Quando existe essa necessidade a infecção pode ser tratada através de medicamentos tópicos e orais.

É perigoso espremer as espinhas vaginais?

O paciente nunca deve tentar espremer qualquer tipo de bolha cutânea, principalmente em zonas tão sensíveis como a vagina. Para além de poder levar a novas infecções, a região genital é muito sensível e passível de ficar facilmente irritada.

Por vezes estas erupções podem transformar-se em bolhas cheias de pus e continuar a crescer durante dias, causando dor e desconforto. Saiba mais sobre Dor na vagina: o que pode ser e o que fazer.

Nestas situações é importante resistir à tentação de espremê-las. Eventualmente, secarão sozinhas, mas deve sempre procurar o médico para receber conselho, tratamento, e evitar grandes infecções.

Quando consultar o médico

A mulher deve procurar aconselhamento e tratamento médico, se a causa da acne vaginal for desconhecida, persistir ou agravar. As espinhas vaginais muito dolorosas, grandes ou cheias de pus, podem ser drenadas imediatamente no consultório médico.

A maioria dos casos de acne vaginal é curado por conta própria ou através de tratamento auto-administrado. Realizar mudanças simples no estilo de vida e na rotina de higiene pessoal, pode prevenir a sua recorrência. Veja 10 Regras para Fazer a Higiene Íntima e evitar doenças.

Como é feito o tratamento da acne vaginal

A acne causada por irritações cutâneas moderadas tende a desaparecer sem necessidade de intervenção médica. Caso tal não aconteça ou o aspecto das lesões ou feridas piore, é recomendada a consulta de um ginecologista.

Os medicamentos tópicos (pomadas) podem tratar as espinhas vaginais causadas por dermatite de contacto. Já no caso do tratamento de alergias mais severas, é indicada a utilização de anti-histamínicos.

Caso a mulher sofra de dermatite de contato, é necessário determinar a causa da mesma, de modo a poder evitar a substância responsável no futuro. Para tal, a mulher deve evitar todos os produtos que entram em contacto com a área genital, reintroduzindo-os depois um a um até descobrir o responsável.

As lesões causadas por pêlos encravados costumam desaparecer sozinhas.

Um diagnóstico atempado e o tratamento da hidradenite supurativa poderão também ajudar a impedir que o problema agrave.

Se a origem for o molusco contagioso, nem sempre é necessário tratamento. Caso o molusco contagioso não cure sozinho, a mulher deve consultar o médico para lhe serem prescritas pomadas ou medicamentos de administração oral.

Não se auto-medique. Evite utilizar qualquer medicamento antes de consultar médico.

Lesões Semelhantes ao acne, o que pode ser?

Algumas lesões podem apresentar um aspeto semelhante ao acne mas representar um problema totalmente diferente. Outras condições e fatores que podem levar a lesões semelhantes ao acne vaginal incluem:

Infecções sexualmente transmissíveis (DSTs)

Duas infecções sexualmente transmissíveis comuns que podem causar caroços ao redor da vagina são, as verrugas genitais e a herpes genital:

Herpes genital: As lesões causadas pelo herpes podem assemelhar-se a espinhas. Ocorrem na região da vagina e ânus, e apesar de terem tratamento, a cura não é definitiva.

Verrugas genitais: As verrugas genitais por vezes, podem ser confundidas com acne. Estas lesões podem manifestar-se individualmente ou em grupo e são causadas pelo vírus do papiloma humano (HPV), uma infecção sexualmente transmissível que tem tratamento.

Pólipos cutâneos

Os pólipos cutâneos (pequenos pedaços de pele que aparecem na superfície do corpo) podem assemelhar-se a acne, mas não passam de pequenas extensões de pele que tendem a ser inofensivas. No entanto, quando presentes na região genital, podem gerar desconforto e inflamação durante a prática sexual. Se forem um problema para você pode consultar o médico para ser realizada a sua remoção.

Cisto de Bartholin

Cisto de bartholin: Geralmente aparece perto de um dos lados da abertura da vagina. Se estes cistos não desaparecerem dentro de alguns dias, a mulher deve consultar o médico. Os de maior dimensão geralmente podem ser drenados.

Varicosites vaginais

As veias varicosas presentes na vagina são inchaços, geralmente de cor azulada, que podem ocorrer à medida que a mulher envelhece. Elas surgem em volta da vulva e da vagina. São veias inchadas, assim como as hemorroidas ao redor do ânus, e podem ser sensíveis ou sangrar. A aplicação de compressas frias ou de gelo pode reduzir o desconforto. Quando existe constragimento, o médico pode realizar a sua remoção, através de cirurgia ou laser.

Sofre de Desconforto na Vagina e Vulva? Conheça alguns Lubrificantes, Hidratantes e o Estrogênio Vaginal

Como posso evitar

Após identificar a causa da lesão, a mulher deve eviter entrar em contato com a mesma. Para prevenir futuras inflamações na região devem ser seguidas as seguintes instruções:

  • Evitar vestuátio muito justo que possa causar fricção na região genital.
  • Dar preferência a roupa interior feita de algodão em vez de materiais sintéticos.
  • Tentar não tocar nas lesões.
  • Evitar tomar banho com água muito quente.
  • Evitar banhos de espuma e sabonetes perfumados.
  • Pedir ao ginecologista recomendações sobre os melhores absorventes a utilizar.

Uma vez que a depilação e o barbear podem causar irritação na pele e dar origem ao desenvolvimento de acne e borbulhas, o ideal é evitar a utilização de lâminas na zona genital. Caso necessite mesmo de utilizar a lâmina, utilize-a na direcção do crescimento dos pêlos, para minimizar o risco de inflamação.

Caso identifique lesões ou feridas invulgares na região genital, consulte o ginecologista logo que possível.

Continua » Feridas, Úlceras e Lesões nos Órgãos Genitais Femininos

Saiba mais sobre:
A informação foi útil? Sim / Não

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.

Autores
Drª Camille Rocha Risegato (Ginecologista e Obstetra - CRM SP-119093)

Ginecologista e Obstetra - CRM SP-119093

Dra Camille Vitoria Rocha Risegato - CRM SP nº 119093 é formada há 14 anos pela Fundação Técnico Educacional Souza Marques, Rio de Janeiro.

Dra Camille mudou se para São Paulo onde realizou e concluiu residência médica em Ginecologia e Obstetrícia (RQE nº 25978) no Centro de Referência de Saúde da Mulher no Hospital Pérola Byington em 2007.

Em 2008 se especializou em Patologia do Trato Genital Inferior nesse mesmo serviço. Ainda fez curso de ultrassonografia em ginecologia e obstetrícia na Escola Cetrus.

Trabalha em setor público e privado, atendendo atualmente em seu consultório médico particular situado na Avenida Leoncio de Magalhães 1192, no bairro do jardim São Paulo, zona norte de São Paulo.

Também pode encontrar a Dra Camille no Linkedin, Facebook e Instagram

.