Adenocarcinoma Pulmonar

Revisado por Equipe Editorial a 13 janeiro 2018

O câncer do pulmão é uma das formas mais comuns de câncer. O câncer do pulmão pode ser classificado em pequenas células (CPPC) e não-pequenas celulas (NSCLC). A última categoria pode ser classificada como adenocarcinoma de células escamosas e de grandes células.

A diferença entre CPC e NSCLC é o método utilizado para a realização do diagnóstico do estudo e planejamento do tratamento.

As células CPPC tendem a espalhar-se amplamente na sua primeira aparição e, portanto, é favorável o uso da quimioterapia para o seu tratamento. Além disso, as células NSCLC, podem ser encontradas no pulmão, no momento da primeira aparição, o que favorece o uso da ressecção cirúrgica, com ou sem radioterapia como tratamento inicial.

Cada um dos tipos de câncer do pulmão tem as suas próprias características e, mais recentemente, a sua própria composição genética, o que cria maiores esperanças no desenvolvimento de novos tratamentos. O adenocarcinoma pulmonar é um tipo de cancro de pulmão.

Tal como acontece com todos os cancros, o adenocarcinoma pulmonar resulta do crescimento anormal das células. Estas células multiplicam-se de forma descontrolada e formam um tumor. À medida que o tumor cresce, ele destrói as “peças” do pulmão.

Com o tempo, as células podem espalhar-se (metástase) para outras partes do corpo, incluindo os linfonodos, também conhecidos como gânglios linfáticos no peito, mediastino, fígado, ossos, glândulas supra-renais e outros órgãos incluindo o cérebro.

O adenocarcinoma pulmonar responde melhor ao tratamento do que outros tipos de cancros, especialmente na remoção cirúrgica. O adenocarcinoma pulmonar é a forma mais comum de câncer de pulmão e é mais comum em fumadores. É a forma mais comum de câncer de pulmão em mulheres e homens com menos de 45 anos.

Está mais propenso a desenvolver o adenocarcinoma se:

O fumo do cigarro: o risco de desenvolver câncer de pulmão é 13 vezes maior para fumantes do que não-fumantes. A fumaça do cigarro está associado com a maioria dos casos de adenocarcinoma.

O rapé é um dos principais fatores de câncer de pulmão, significativamente mais importante do que todos os seguintes fatores de risco combinado. Mas, os não-fumadores que inalam o fumo do tabaco dos fumadores têm um risco maior de desenvolver câncer de pulmão.

Estar exposto ao gás radão/radónio/rádon ou radônio, é um gás incolor, inodoro e radioactivo que se forma no solo. Escoa os pisos inferiores de casas e edifícios públicos e pode contaminar a água potável. A exposição ao radão é a segunda causa principal de cancro do pulmão.

Não está claro se os níveis elevados de radão contribuem para o câncer de pulmão em não fumadores. No entanto, uma pesquisa mostrou que a exposição ao radão contribui para o aumento das taxas de câncer de pulmão em fumantes e pessoas expostas a níveis elevados de radônio, como mineiros.

Estar exposto ao amianto: o amianto é um mineral fibroso utilizado para o isolamento das casas, pisos e tetos, pastilhas de freio para automóveis e outros produtos.

Acredita-se que as fibras de amianto possam causar cancro do pulmão. As pessoas em risco de desenvolver câncer de pulmão incluem aquelas que estão expostas ao amianto no trabalho (mineiros, trabalhadores da construção civil, construção naval e mecânicos de automóveis que trabalham com os freios) e aqueles que vivem ou trabalham em edifícios de materiais de construção, que contenham amianto em deteriorização.

Além do adenocarcinoma pulmonar, os indivíduos expostos ao amianto, também correm um risco significativo de desenvolver outro tipo específico de cancro chamado mesotelioma.

Expostos a outros agentes cancerígenos no local de trabalho: estes incluem urânio, arsênico, cloreto de vinil, cromados de níquel, produtos de carvão, gás mostarda, clorometil éter, gasolina, diesel e altos níveis de talco.

Sintomas do Adenocarcinoma Pulmonar

Os sintomas do adenocarcinoma são os mesmos que para outras formas de cancro. Estes incluem:

tosse
tosse com sangue
chiado
falta de ar
dificuldade para respirar
dor no peito
febre e tosse com expectoração
dificuldade para engolir
rouquidão
perda de peso e apetite

Diagnóstico

O médico irá perguntar se você fuma ou vive com um fumador. Se você fuma, diga a quantidade e desde quando. Perguntarlhe-ão também se você trabalhou em locais onde poderá ter sido exposto ao amianto ou outras substâncias cancerígenas.

O médico pode suspeitar que tem algum tipo de cancro do pulmão baseado nos sintomas e na sua história clinica. Consideramos a prestar especial atenção aos pulmões e peito. Para confirmar o diagnóstico, será solicitado a realização de raios-X para detectar qualquer massa que possa ser cancro.

Se os raios-X mostrarem algo de suspeito terá de fazer uma tomografia computadorizada (TC) para confirmar o tamanho e a localização de qualquer massa ou tumor. Se suspeitar-se realmente a presença de cancro, serão realizados mais testes de diagnóstico, de forma a conhecer-se o tipo específico de cancro e determinar a sua propagação. Estes testes podem incluir:

  1. exame do escarro – Esse teste, chamado de citologia oncótica de escarro, avalia a presença de células cancerosas.
  2. Biópsia – através deste teste, será analizada uma amostra de tecido pulmonar ao microscópio. Embora este teste possa ser realizado muitas das vezes com um broncoscópio, por vezes é necessário realizar uma pequena cirurgia.
  3. Broncoscopia: neste procedimento, é inserido um instrumento (tubo) nos seus pulmões através das vias aéreas. O objetivo é detectar o cancro diretamente e obter uma pequena amostra de biópsia de pulmão.
  4. Mediastinoscopia: Neste procedimento, utiliza-se como instrumento um tubo para a biópsia dos linfonodos e outro instrumento que faz a  observação entre os pulmões (mediastino). A biópsia quando obtida dessa forma pode diagnosticar o câncer de pulmão e detectar se o cancro se espalhou para os linfonodos.
  5. Aspiração com agulha fina: este procedimento envolve a inserção de uma pequena agulha na área suspeita dos pulmões, liderada por uma tomografia computadorizada realizada no mesmo tempo. A agulha retira uma pequena amostra de tecido para testes de laboratório para que possamos diagnosticar o tipo de cancro.
  6. Toracocentese: este procedimento é utilizado quando o cancro do pulmão levou à acumulação de líquido no peito. É utilizada uma agulha estéril para extrair uma amostra de fluidos.
  7. CUBAS (toracoscopia assistida por vídeo): neste procedimento, que pode ser de diagnóstico e tratamento, o cirurgião coloca um tubo flexível através de uma incisão realizada no tórax para poder inspecionar visualmente todas as superfícies em torno do revestimento do pulmão. Desta forma a cirurgia para remover as superficies anormais quando comparada a chamada toracotomia é um procedimento muito menos invasivo.
  8. TC, a tomografia por emissão de pósitrons (PET) e cintilografia óssea: estas varreduras detectam a propagação do cancro do pulmão para o cérebro, ossos e outras partes do corpo.

Duração
Uma vez que o adenocarcinoma pulmonar desenvolve, continua a crescer e espalhar-se até que o tratamento comece.

Prevenção
Para reduzir o risco de adenocarcinoma e outras formas de câncer de pulmão:

Evite fumar: se você fuma, pergunte ao seu médico sobre métodos comprovados para parar de fumar. Evite o fumo passivo, zonas de livre escolha do fumo em restaurantes e hotéis.

Além disso, pedir que os amigos fumem lá fora, especialmente se tiver crianças em casa. Reduza a exposição ao radão. Um nível de radônio acima de 4 picocuries por litro é perigoso.

Reduza a exposição ao amianto: porque não há nenhum nível seguro de exposição ao amianto. Se você tem uma casa antiga, verifique se algum material isolante ou outro material que contém amianto está exposto ou em deterioração.

O amianto nessas áreas pode ser removido com segurança por profissionais. Os trabalhadores que estão em contacto com materiais que contenham amianto devem usar medidas para limitar a exposição e prevenção destas poeiras e não as levar para  casa.

Tratamento

Se o câncer for descoberto no peito e não houver evidência de disseminação para outras partes do corpo, a cirurgia é o tratamento primário para todos os cancros do pulmão. Podem executar-se três tipos de cirurgia:

Ressecção em cunha: remoção de apenas uma pequena parte do pulmão

Lobectomia: retirada de um lobo pulmonar

Pneumonectomia: remoção do pulmão inteiro

Dependendo do grau de propagação do cancro (estágio), o tratamento pode incluir quimioterapia e radioterapia antes e / ou após a cirurgia. Os estágios são definidos de acordo com o tamanho do tumor e do grau de propagação. As fases I a III são divididas em duas categorias “B” “A” e.

Os Tumores pertencentes á Fase I são pequenos e não invadem tecidos ou órgãos. Os Tumores pertencentes aos estágios II e III invadem os tecidos e / ou as proximidades de órgãos e espalham-se para os nódulos linfáticos. Os Tumores do estágio IV espalham-se para além da área do peito.

As pessoas com problemas de saúde graves, onde seja impedida a realização da cirurgia podem receber terapia de radiação para reduzir o tumor, ou uma combinação de radioterapia e quimioterapia.

Quando o tumor já se espalhou, é provável que o médico recomende a quimioterapia para reduzir o crescimento do cancro. A quimioterapia tem mostrado ser uma boa forma de reduzir os sintomas e prolongar a vida de um paciente com cancro do pulmão avançado.

Durante a última década, foram desenvolvidos uma série de tratamentos novos e específicos, como resultado de uma melhor compreensão da genética do cancro pulmonar e das anormalidades específicas das células cancerigenas pulmonares.

Estes tratamentos são chamados de terapias-alvo, porque visam especificamente percorrer os caminhos bioquímicos anormais no desenvolvimento do cancro e do seu crescimento.

A radioterapia pode ser recomendada para aliviar os sintomas. O uso da radiação é especialmente importante para o tratamento do cancro do pulmão que se espalhou para o cérebro ou os ossos, causando dor.

A radioterapia pode ser utilizada sozinha ou em combinação com a quimioterapia.

Quando chamar um profissional
Chame imediatamente o seu médico na presença de qualquer um dos sintomas de câncer de pulmão, especialmente se você fuma ou se você trabalhou em uma indústria com alta exposição ao amianto.

Previsão

O prognóstico depende da fase do cancro e saúde em geral do paciente. Em geral, o prognóstico é ruim, especialmente se o cancro pulmão se espalhou para áreas externas à parede torácica ou se envolve também os gânglios linfáticos no mediastino.

Este cancro pode ser curado apenas após a cirurgia ou radioterapia quando removido totalmente o tumor. No entanto, muitos cancros do pulmão são diagnosticados numa fase em que já não é possível a sua cura. Cerca de 17% das pessoas com cancro sobrevivem cinco anos após o diagnóstico.

Informações adicionais

Instituto Nacional de Câncer, do NCI (Instituto Nacional para o Tratamento de Câncer) U. S. National Institutes de Consultas Públicas de Saúde (National Institutes of Health dos EUA) do Office Building 31, Room 10A03 31 Drive Center, 8322 MSC Bethesda, MD 20892-2580 Telefone : 301-435-3848 Ligação gratuita: 1-800-422-6237 TTY: 1-800-332-8615 E-mail: cancergovstaff@mail.nih.gov http://www.nci.nih.gov/

American Cancer Society, ACS (ACS) 1599 Clifton Road, NE Atlanta, GA 30329-4251 Ligação gratuita: 1-800-227-2345 http://www.cancer.org/

American Lung Association (associação americana do pulmão) 61 Broadway, 6th Floor New York, NY 10006 Telefone: 212-315-8700 Ligação gratuita: 1-800-548-8252 E-mail: info@lungusa.org . org /

National Heart, Lung, and Blood Institute, NHLBI (National Heart Lung, and Blood Institute), PO Box 30105 Bethesda, DM 20824-0105 Telefone: 301-592-8573 TTY: 240-629-3255 Fax: 301-592 -8563 Email: nhlbiinfo@rover.nhlbi.nih.gov http://www.nhlbi.nih.gov/

U. S. Environmental Protection Agency, EPA (Environmental Protection Agency, EUA UU..) Ariel Rios Construindo 1200 Pennsylvania Avenue, NW Washington, DC 20460 Telefone: 202-272-0167 http://www.epa.gov/