Adenoidectomia: Como é feita e quando é indicada

A intervenção cirúrgica para remover as adenoides (tonsilas faríngeas) é denominada adenoidectomia, indicada para resolver os problemas causados ​​pela sua hipertrofia, tais como infecções frequentes, ronco, síndrome de apneia do sono ou outros fatores que afetam negativamente a qualidade de vida, especialmente no caso de crianças.

As adenoides são tecidos linfáticos, também conhecidos como vegetações. Estão localizadas logo atrás do nariz, na parede posterior da nasofaringe (cavum). Quando a inflamação ou hipertrofia desse tecido é muito extensa, pode originar o bloqueio da passagem de ar da narina para a laringe, obrigando à respiração oral (pela boca), como um mecanismo de compensação. Para conhecer melhor a utilidade destas glândulas consulte o guia educativo sobre Adenoides Inflamadas: Quando Operar e quais os sintomas.

Adenoidectomia

Quando é indicada

O crescimento excessivo desse tecido linfático ou a sua inflamação, pode causar o bloqueio das vias aéreas e complicações, como otite, infecções do trato respiratório superior, bronquite, respiração ruidosa durante a noite (ronco), etc. Nestes casos está indicada a cirurgia.

Outras razões para realizar a adenoidectomia incluem:

Adenoidite crônica: quando o tratamento medicamentoso não é eficaz e a patologia é prolongada, a única solução recomendada é o tratamento cirúrgico e, muitas vezes, a remoção das amígdalas durante a mesma intervenção.

Apneia do sono e obstrução respiratória: a hipertrofia desses tecidos geralmente aumenta os problemas respiratórios noturnos e causa problemas nos padrões de descanso.

Tumor na garganta ou nas fossas nasais: para resolver situações deste tipo, geralmente associadas a adultos mais velhos, é necessário realizar o procedimento.

Infecções frequentes: algumas crianças, até completarem o seu desenvolvimento, desenvolvem muitas infecções, em alguns casos ultrapassando 7 ou mais episódios por ano, levando ao abandono das aulas ou falhas repetitivas no trabalho no caso dos adultos. Para remediar isso, aconselha-se a cirurgia

Otite crônica: quando a inflamação das adenoides estende-se por muito tempo, a ventilação das vias auditivas fica obstruída e causa otite ou até mesmo a perda auditiva, estando indicada a cirurgia.

A cirurgia das adenoides é uma intervenção de curta permanência hospitalar e dura entre 15 a 25 minutos. Na maioria dos casos requer apenas um dia de internação.

De acordo com o Dr. Deusdedit Brandão Neto, médico Otorrinolaringologista, a técnica cirúrgica de escolha a ser usada para remover as vegetações é através da boca, sob visualização endoscópica, geralmente sob anestesia geral, e com o uso de microdebridador ou radiofrequência, que permitem controle adequado da remoção de todo o tecido adenoideano.

Não existe uma “idade ideal” para realizar a cirurgia. Na verdade, o que guia a idade ideal para a realização do procedimento é o quão sintomático está o paciente.

O preço da adenoidectomia varia de acordo com as técnicas cirúrgicas empregadas, e as necessidades específicas de cada caso. Apenas o Otorrinolaringologista poderá estabelecer o valor do procedimento após consulta de avaliação.

Quando não é necessário operar

Alguns casos não requerem remoção, no entanto, cada criança deve ser avaliada individualmente:

Adenoides grandes: Algumas crianças têm as adenoides grandes mas não causam sintomas graves. Geralmente elas reduzem de tamanho naturalmente quando a criança atinge os 8 e 12 anos de idade.

Alergias, convulsões ou falta de apetite: A adenoidectomia provavelmente não aliviará nenhum desses problemas.

Para que servem as adenoides

As adenoides são tecidos linfáticos que fazem parte da defesa do sistema imunitário, funcionando como um filtro para os germes que tentam invadir o organismo, ajudando a desenvolver anticorpos contra esses micro-organismos.

Geralmente, crescem até os 4 anos de idade e, posteriormente, o tamanho diminui durante a adolescência. Os adultos raramente precisam removê-las.

Tal como as amígdalas, elas também ajudam a combater infecções e podem ser encontradas no espaço acima do palato mole da boca (nasofaringe). É impossível vê-las através do nariz ou da garganta e podem causar problemas se crescerem ou ficarem infectadas. A adenoidite ocorre quando as adenoides ficam infectadas e inflamadas.

Durante os primeiros anos de vida elas são fundamentais para o desenvolvimento da criança, tornando-se menos úteis após o sistema imunológico do indivíduo já estar completamente desenvolvido.

Quais são os sintomas mais comuns associados às adenoides?

Os sintomas que a patologia apresenta estão relacionados à obstrução da passagem do ar pelo nariz:

  • O indivíduo tem que respirar com a boca aberta (especialmente à noite).
  • Boca seca.
  • Ronco durante o sono.
  • Rinolalia, falando como se o nariz estivesse obstruído.
  • Mau hálito ao acordar de manhã.
  • Congestão nasal, com muco permanente no nariz.
  • Infecções frequentes no ouvido.
  • Apneia do sono intermitente (paragens respiratórias durante o sono).

Quais são as causas do crescimento das adenoides

O crescimento excessivo desses tecidos pode ocorrer devido a:

  • Pode ser um processo natural, que ocorre geralmente durante o desenvolvimento da criança;
  • Pode ocorrer durante o período escolar, devido a infecções no trato respiratório repetidas, causadas por gripes ou resfriados.

O que esperar após a cirurgia

A cirurgia das adenoides normalmente não é dolorosa e os pacientes geralmente recebem alta no mesmo dia ou no dia seguinte.

De acordo com vários estudos, as crianças que realizam o procedimento de remoção das amígdalas ou das adenoides normalmente não sofrem nenhuma perda na resistência contra infecções, porque outros tecidos linfáticos do corpo complementam o papel dessa remoção. Saiba mais sobre a remoção das amígdalas no artigo: Amigdalectomia: Como é feita a cirurgia para retirar as amígdalas.

A recuperação completa da adenoidectomia demora cerca de 1 a 2 semanas. Se forem removidas apenas as glândulas adenoides, a recuperação será, em geral, de apenas alguns dias, onde existirá a presença de algumas dores ou desconforto que será aliviado lentamente. A língua, a boca, a garganta ou a mandíbula da criança geralmente fica dolorida durante alguns dias devido à cirurgia.

Na fase de recuperação a criança pode ter:

  • Nariz entupido;
  • Secreção do nariz que pode ter sangue;
  • Dor de ouvido;
  • Dor de garganta;
  • Mau hálito;
  • Febre durante 1 a 2 dias após a cirurgia;
  • Inchaço da úvula, localizada na parte de trás do palato ou céu da boca.

Cuidados a ter em casa

Em caso de sangramento na garganta e boca, deixe a criança cuspir o sangue em vez de engoli-lo. Nesta fase é também importante escolher alimentos suaves e bebidas geladas para aliviar o desconforto na garganta, como:

  • Gelatina e pudim
  • Massas, purê de batatas
  • Compota de maçã
  • Sorvete, iogurte, picolés com baixo teor de gordura
  • Milk-shake
  • Ovos mexidos
  • Sopa fria
  • Água e suco natural

Os alimentos e bebidas que devem ser evitados são:

  • Suco de laranja e toranja, e outras bebidas que contêm muito ácido.
  • Alimentos quentes e picantes
  • Alimentos ásperos, como vegetais crus e crocantes, e cereais frios.
  • Produtos lácteos ricos em gordura, pois podem aumentar o muco e dificultar a deglutição.

O otorrinolaringologista normalmente prescreve analgésicos para usar conforme necessário. Na fase pós operatória é importante evitar drogas que contenham ácido acetilsalicílico, como a aspirina. O acetaminofeno (paracetamol ou panadol) é a melhor opção para as dores após a cirurgia.

Não permita que a criança participe em atividades intensas ou violentas durante o tempo recomendado pelo cirurgião.

Deve contatar o médico se a criança tiver:

  • Febre que não desaparece ou febre acima de 38 ° C.
  • Sangue vermelho brilhante vindo da boca ou nariz.
  • Vômito com muito sangue.
  • Problemas respiratórios.
  • Náuseas e vômitos que continuam 24 horas após a cirurgia.
A informação foi útil? Sim / Não

Ajude-nos a melhorar a informação do Educar Saúde.

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.

Referências
  • Extirpación de adenoides: MedlinePlus enciclopedia médica (Verificado em 06/01/2019)
    https://medlineplus.gov/spanish/ency/article/003011.htm
  • Amigdalectomía y adenoidectomía – Stanford Children’s Health (Verificado em 06/01/2019)
    https://www.stanfordchildrens.org/es/topic/default?id=amigdalectomaylaadenoidectoma-90-P05174
Autores
Dr. Deusdedit Brandão Neto (Otorrinolaringologista - CRM-SP 151875 - RQE Nº: 65989)

Otorrinolaringologista - CRM-SP 151875 - RQE Nº: 65989

Consultar > Currículo Lattes

O Dr. Deusdedit Brandão Neto é Médico Otorrinolaringologista pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Possui Título de Especialista pela Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial e Fellow de Cirurgia Endoscópica Endonasal e Base de Crânio do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

É Membro Internacional da American Rhinologic Society; Membro da Interamerican Association of Pediatric Otorhinolaryngology; Membro da European Rhinologic Society; e Pesquisador no Departamento de Otorrino do Hospital das Clínicas - USP.

Se dedicou ao longo dos anos de 2015 e 2016 ao fellowship em Cirurgia Endoscópica Endonasal e Base de Crânio do mesmo Hospital. Desenvolveu nesse período com maior intensidade atividades ambulatoriais, cirúrgicas e de pesquisa na área de rinologia, sub-especialidade da otorrino que lida com as doenças do nariz, seios paranasais e base de crânio. Adquiriu experiência nos ambulatórios de polipose nasal, fibrose cística e de paciente com transplante pulmonar, granulomatoses nasais e imunodeficiências.

Durante o fellowship, aprimorou a execução de cirurgias nasais funcionais, como correção de desvio de septo, redução de cornetos nasais, cirurgias para sinusite crônica e polipose, remoção de tumores nasais, correção de fístulas liquóricas e atresia de coanas, e acesso à base de crânio.

No momento está matriculado como aluno especial de pós-graduação (nível doutorado) na Faculdade de Medicina da USP.

Hoje atua como médico pesquisador no Hospital das Clínicas, tem consultório na Brandão Otorrinolaringologia, médico do corpo clínico e das retaguardas de otorrinolaringologia dos Hospitais Sírio Libanês, Israelita Albert Einstein, Moriah e Sabará.

Brandão Otorrinolaringologia: Rua Itacolomi, nº 601, Cj. 24 - WhatsApp do consultório: (11) 94559-3533

Também pode encontrar o Dr. Deusdedit Brandão Neto no Linkedin, Instagram, Facebook e www.narizsp.com.br

Última atualização da página em 11/08/19