-->Agripalma (Leonurus cardiaca) - Benefícios e Propriedades Medicinais

Agripalma (Leonurus cardiaca)

Publicado em 02/04/2012. Revisado por Drª Caroline Vallinhos (Nutricionista Clínica e Estética - CRN-3 nº 37006) a 15 novembro 2018

Agripalma (Leonurus cardiaca), o nome botânico denúncia o uso tradicional e corrente da planta.

A agripalma foi usada durante centenas de anos na Europa e na China para todo o género de problemas cardíacos e distúrbios circulatórios.

Esta planta perene, nativa da Europa e naturalizada na maior parte da América do Norte, é caracterizada por um único caule alto no qual crescem folhas trilobadas num arranjo semelhante a uma cauda de leão, a origem de um outro dos seus nomes comuns.

As inflorescências espinhosas de flores brancas rosadas crescem perto do caule.

Abaixo você tem um índice com todos os pontos que discutiremos neste Guia

Usos Terapêuticos da Agripalma

– Doença cardíaca, hipertiroidismo (doença de Graves), ritmo cardíaco irregular.
– Cãibras, tensão arterial elevada, insónia, neurose, ritmo cardíaco acelerado, acidente
vascular cerebral.

Usos tradicionais: ansiedade, asma, fadiga, febre, gases, parto, falta de menstruação, dores menstruais, neuralgia, palpitações, ciática, dores de estômago.

Propriedades Medicinais

A ciência endossa as aplicações folclóricas da agripalma contra problemas relacionados com o coraçã0. Pesquisas realizadas por investigadores chineses mostram que promove um melhor volume de sangue através do corpo e pode abrandar um ritmo acelerado do coração.

Alguns dos seus fitoquímicos podem ajudar a relaxar e a aliviar o stress, 0 que pode também contribuir para as suas qualidades terapêuticas cardíacas.

Opções de Dosagem:

Uma a 2 colheres de chá da planta seca numa chávena de água quente uma a duas vezes ao dia, 1/2 a 1 colher de sopa de extracto líquido até três vezes ao dia, ou 1/2 a 1 colher de chá de tintura de agripalma três vezes ao dia.

Precauções e contra indicações

Nenhuma relatada. Evite o seu uso se estiver grávida ou a amamentar. Doses superiores a 3 gramas podem causar diarreia, indigestão, ou sangramento uterino.

Algumas pessoas particularmente sensíveis podem experimentar uma reacção dermatológica após contactar com a planta.

Outros nomes: orelha-de-leão e rabo-de-leão.

Saiba mais sobre:
A informação foi útil? Sim / Não

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.
Autores
Drª Caroline Vallinhos (Nutricionista Clínica e Estética - CRN-3 nº 37006)

Nutricionista Clínica e Estética - CRN-3 nº 37006

A Drª Caroline Vallinhos é graduada em ciências da nutrição pela Universidade de Guarulhos/SP. Possui 7 anos de experiência em Nutrição clínica e estética. Forte atuação em coaching de emagrecimento e qualidade de vida para pessoas em busca de melhoria alimentar e enfermos com necessidade de melhoria de quadro clínico.

Vasta experiência com consultoria para empresas do ramo alimentício, tais como grandes indústrias de alimentos, cozinhas experimentais e mercado de food service.

Com registro no Conselho Regional de Nutricionistas CRN-3 (Brasil) nº 37006

Também pode encontrar a Drª Caroline Vallinhos no Linkedin, Facebook: e Instagram.

Telefone: (11) 97670-1909 Atendimento em Guarulhos - SP (Região Jardim Maia)