-->Alcaptonúria - Tratamento, causas, sintomas, diagnóstico e complicações

Alcaptonúria

Publicado em 20/03/2012. Revisado por Reinaldo Rodrigues (Enfermeiro - Coren nº 491692) a 14 dezembro 2018

A alcaptonúria é uma condição rara de origem genética na qual a urina da pessoa se torna castanha escura ou negra quando é exposta ao ar.

Abaixo você tem um índice com todos os pontos que discutiremos neste Guia

Causas

A causa da alcaptonúria é um defeito no gene HGD. O defeito no gene torna o corpo incapaz de quebrar eficazmente certos aminoácidos (tirosina e fenilalanina).

Como consequência, uma substância chamada ácido homogentísico acumula-se na pele e em outros tecidos corporais.

O ácido deixa o corpo através da urina, e esta ganha tons acastanhados ou negros quando é misturada com o ar.

A alcaptonúria é hereditária, o que significa que é passada de pais para filhos. Para se sofrer desta doença, é necessário que ambos os pais passem para o filho uma cópia do gene HGD defeituoso.

Sintomas

A urina na fralda de um bebé pode escurecer bastante e tornar-se quase negra depois de algumas horas.

Contudo, muitas pessoas que sofrem desta doença podem não saber que a têm até à meia-idade (por volta dos 40 anos), quando esta surge em conjunto com outros problemas de saúde.

Os sintomas podem incluir:

• Artrite (especialmente da coluna) que tende a piorar com o passar do tempo
• Escurecimento das orelhas
• Manchas negras na zona branca do olho (esclera) e córnea

Exames e testes

É realizado um exame a urina para procurar por alcaptonúria. Se for adicionado cloreto férrico à urina, este irá dar-lhe uma cor negra se a pessoa sofrer da doença.

Tratamento

Alguns pacientes beneficiam e melhoram com grandes doses de vitamina C. Este tratamento tem-se revelado eficaz a reduzir a cumulação de pigmentos castanhos na cartilagem e abrandar o desenvolvimento de artrite.

Perspectivas

As perspectivas depois do tratamento são na maioria dos casos positivas.

Possíveis complicações

Pessoas que sofram desta doença também podem desenvolver artrite durante a maioridade. A acumulação de ácido homogentísico na cartilagem causa artrite em cerca de 50% dos adultos com alcaptonúria.

  • O ácido homogentísico também se pode acumular nas válvulas cardíacas, especialmente na válvula mitral. Isto pode por vezes levar à necessidade de substituir esta válvula
  • Doença arterial coronariana pode-se desenvolver mais cedo em pessoas com alcaptonúria
  • Pedras nos rins e pedras na próstata são também mais comuns em pessoas com alcaptonúria

Quando deve contactar um médico
Deve contactar o seu médico se notar que a sua urina ou a urina dos seus filhos se tornar acastanhada ou negra quando for exposta ao ar.

Prevenção
Não existe nenhuma forma de prevenção conhecida.

Nomes alternativos
AKU; deficiência da enzima oxidase do ácido homogentísico; ocronose; ocronosealcaptonúrica.

Saiba mais sobre:
A informação foi útil? Sim / Não

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.
Autores
Reinaldo Rodrigues (Enfermeiro - Coren nº 491692)

Enfermeiro - Coren nº 491692

O Reinaldo Rodrigues formou-se em agosto de 2016, pela Universidade Padre Anchieta, em Jundiai. Fez curso de especialização em APH (Atendimento Pré-Hospitalar), pela escola 22Brasil Treinamentos, em Barueri, curso de 200 horas práticas, com foco em acidentes de trânsito.

Trabalha como Cuidador de Idosos há 5 anos, e possui experiência em aspiração de vias aéreas, banho de aspersão, curativos, tratamento e prevenção de Lesão por Pressão, gerenciamento de Equipe de cuidadores com elaboração de escalas. Treinamento e acompanhamento de cuidadores nas casas dos pacientes.

Também pode encontrar o Reinaldo no Linkedin.