Alergia ao Leite

Revisado por Reinaldo Rodrigues (Enfermeiro - Coren nº 491692) a 14 dezembro 2018

Uma alergia é uma resposta exagerada por parte do sistema imunitário à presença de determinadas substâncias. Estas substâncias, geralmente inofensivas para a maioria das pessoas, causam uma reação alérgica que leva ao aparecimento de vários sintomas.

Neste artigo iremos abordar a alergia ao leite, os seus sintomas e os cuidados a ter.

Pode ainda saber mais sobre a alergia ao leite materno e perceber a diferença entre alergia ao leite e intolerância à lactose.

Alergia ao leite

O leite de vaca contém várias proteínas, proteínas essas que o sistema imunitário de algumas pessoas não reconhece.

Dessa forma, ao ingerir leite de vaca, o organismo irá combater essas proteínas, iniciando uma reação alérgica, que resulta em sintomas como dores abdominais e diarreia, entre outros.

Esta alergia inicia-se logo que o bebê toma leite de vaca pela primeira vez, surgindo quase de imediato os sintomas. Se a toma de leite de vaca continuar, os sintomas irão aumentar de intensidade.

Sintomas da alergia ao leite

Os sintomas da alergia ao leite de vaca incluem:

– dores abdominais;

– diarreia;

– obstipação;

– vómitos;

– cólicas;

– refluxo;

– irritabilidade;

– vermelhidão na pele;

– coceira na pele;

– urticária.

Devido a muitos dos sintomas atrás apresentados, a alergia ao leite de vaca podem também causar a perda de peso.

Descubra os Benefícios do Leite de Égua

Cuidados a ter com a alergia ao leite

A partir do momento em que se identifica a alergia ao leite de vaca como responsável pelos sintomas atrás referidos, são necessários alguns cuidados de modo a impedir que continuem a manifestar-se.

Assim, todos os alimentos que contenham leite ou vestígios de leite devem ser retirados da alimentação.

Entre esses alimentos incluem-se: leite de vaca, bebidas lácteas, leite sem lactose, leite achocolatado, leite fermentado, queijo, requeijão, iogurte, manteiga, natas, bolos, pães e bolachas feitos com leite, puré de batata feito com leite, molho branco, doce de leite, chocolate de leite, leite condensado e pudim de leite.

No caso dos bebês com esta alergia que ainda estejam a amamentar, estes podem continuar a consumir o leite materno. Contudo, a mãe deverá retirar todos os alimentos atrás mencionados, até deixar de amamentar.

Para os bebês que já não estejam a amamentar, existem soluções apropriadas, indicadas pelo médico. Essas soluções incluem leites de vaca especiais ou leites de soja com adição de cálcio.

Alergia ao leite materno

Nalguns casos mais raros, pode desenvolver-se a alergia ao leite materno.

Isto acontece por uma das seguintes razões: ou o bebê tem um problema genético que o torna alérgico a algum elemento do leite materno, ou então, recebe substâncias às quais é alérgico através do leite materno, ingeridas durante a alimentação da mãe.

Se a alergia tem uma origem genética, então o pediatra pode indicar como solução a toma de um leite hipoalergénico.

Relativamente à alimentação da lactante, é importante ter uma dieta saudável, onde evite alimentos como vegetais de folha verde escura, gorduras em excesso, ou quantidades exageradas de ovo e leite de vaca.

Todos estes podem causar problemas intestinais ao bebê.

Diferenças entre alergia ao leite e intolerância à lactose

Muitas pessoas confundem a alergia ao leite com a intolerância à lactose. Apesar de ambas serem reações do corpo ao consumo de leite, são no entanto doenças bem distintas.

Enquanto que na alergia ao leite o sistema imunitário está a reagir à presença da proteína do leite da vaca, já na intolerância à lactose o sistema digestivo não tem láctase suficiente para digerir a lactose do leite.

Além disso, a alergia do leite aparece normalmente em crianças mais jovens, enquanto que a intolerância à lactose é mais comum em pessoas adultas.