Alexandra Lencastre

Revisado por Andre a 28 outubro 2018

Maria Alexandra de Alencastre Telo Teodósio Pedrosa, conhecida no mundo artístico como Alexandra Lencastre, nasceu a 26 de Setembro de 1965, na freguesia da Lapa, Lisboa. Filha de um militar, o tenente Jacinto Teodósio Pedrosa e de Gisa de Alencastre Telo, Alexandra viveu com os seus avós até aos três anos de idade. Com essa idade, foi viver com os seus pais para o Restelo. Alexandra Lencastre vive hoje em Cascais com as suas duas filhas.

Alexandra Lencastre Antes e Depois e biografia (1992 e agora)

Frequentou o curso de Filosofia na Faculdade de Letras de Lisboa, mas não o chegou a completar, tendo-o entretanto ingressado na Escola Superior de Teatro e Cinema, onde concluiu a sua formação em Teatro, corria o ano de 1986. Logo após o término da sua formação participou nas peças Pílades e Frei Luís de Sousa. Esta última, contribuiu de forma decisiva para a afirmação de Alexandra Lencastre. Em 1986 foi brindada com o Prémio Atriz Revelação, dado pela Associação Portuguesa de Críticos de Teatro.

No final da década de 80, participou em diversas obras cinematográficas nacionais como: Quatro x Quatro, Meia Noite, A Última Viagem, Zénite, Conversa Acabada e Filha da Mãe.

Entrou no mundo da televisão, através da popular série infantil, Rua Sésamo. Esta série revelou-se um autêntico marco na televisão portuguesa, tendo estreado em Novembro de 1989, teve 130 episódios e foi emitida de Segunda a Sexta-feira, duas vezes por dia. Apesar de não terem sigo gravadas novas temporadas, o primeiro conjunto de episódios foi reposto duas vezes consecutivas, mantendo-se no ar até Novembro de 1991.

Com propósitos verdadeiramente educativos, a Rua Sésamo ajudou muitos portugueses a começar a ler e a contar. A grande exposição da série contribuiu para uma maior notoriedade de Alexandra Lencastre e de outros nomes como Cláudia Cadima, José Jorge Duarte e Fernanda Montemor.

No cinema, a sua primeira participação realmente relevante foi no filme de João Canijo, “Filha da Mãe”, exibido em 1990. Neste policial, Alexandra contracenou com nomes como José Wilker, Rita Blanco, Lídia Franco e Miguel Guilherme. Curiosamente, teve a oportunidade de trabalhar com Rita Blanco, com quem nutria uma amizade deste os tempos do Conservatório.

A sua participação cinematográfica é extensa, a partir de 1990: Cenas da Vida de Benilde, Perdidos e Achados, Ao Fim da Noite (voz), Xavier, Requiem para um Narciso (curta-metragem), Medo, Entre Mortos e Vivos (curta metragem), Terra Fria (voz), Vertigem, O Fim do Mundo, Coitado do Jorgem (voz), O Tempo e o Quarto, Três Palmeiras, Eternidade (voz), Os Mutantes, Tráfico, A Falha, Um Passeio no Parque, As Lagostas, Insólitos, Quatro Vezes Quatro – O Triunfo da Forma (curta metragem), Paisagens Intermédias (curta metragem – narradora), Tudo Continua Até ao Dia em Que Pára… (curta metragem), Em Clandestinidade, O Delfim, A Mulher que Acreditava Ser Presidente Dos EUA, Os Imortais, Lá Fora, O Capacete Dourado, Julgamento, Corrupção, Os Sorrisos do Destino e Os Sorrisos do Destino.

Neste extenso rol de filmes, é necessário dar realce a obras como O Delfim e Em Clandestinidade. Em 2002, Alexandra Lencastre trabalhou sob a direção de Fernando Lopes em “O Delfim” e juntamente com Rogério Samora e Rui Morrison, fez parte do núcleo principal da história. O filme foi particularmente bem aceite pela crítica e pelo público e terá sido um dos melhores desempenhos de Alexandra no cinema.

Também em 2002 , Alexandra participou na rodagem de “Em Clandestinidade”, uma produção internacional dirigida por John Malkovich, e que tinha nos principais papéis Javier Bardem, Laura Morante e Juan Diego Botto.

Na televisão o percurso de Alexandra Lencastre é igualmente extenso. A seguir à Rua Sésamo, a atriz participou num episódio de Histórias Fantásticas, em 1991. No mesmo ano participaria ainda na série Ícaro. Na série Os Melhores Anos, Alexandra Lencastre participou em 22 episódios, na pele de Margarida.

De seguida participou na série familiar da RTP, “Os Contos do Mocho Sábio”, com Francisco Ceia e Rogério Samora. Nesta altura, Alexandra Lencastre ainda estaria longe de imaginar, que faria par com Rogério Samora em dezenas de produções nacionais.

Em 1993, fez do elenco de “A Banqueira do Povo”, uma das telenovelas mais populares de sempre em Portugal e que contava com um elenco de luxo, como Eunice Muñoz, Raul Solnado, João Perry e Diogo Infante.

Também em 1993, apresentou o polémico programa Na Cama Com…, um programa de entrevistas que espantou pelo seu formato intimista.

Entre 1994 e 2000 somou várias participações em séries como: Cabaret, Tudo ao Molho e Fé em Deus, Aquela Cativa Que Me Tem Cativo, A Mulher do Sr. Ministro, Não Há Duas Sem Três, Riscos, As Lições do Tonecas, Médico de Família,Docas 2, Não És Homem Não És Nada, Docas, Jornalistas e Cruzamentos . Em algumas destas séries a sua participação foi esporádica, mas noutras como Riscos ou Não És Homem Não És Nada, fez parte do elenco fixo das histórias.

Já no novo milénio, Alexandra Lencastre participou em séries e telenovelas como: Insólitos, Querido Professor, Fúria de Viver, Inspector Max, Ana E os Sete, Ninguém Como Tu, Tempo de Viver, Fascínios, Equador, Meu Amor e Anjo Meu.

A sua participação em várias telenovelas consecutivas e em séries de grande sucesso como Ana E os Sete e Equador, conferiram-lhe uma enorme visibilidade e tornaram-na numa das atrizes mais conceituadas de Portugal.

Conta com três globos de ouro: Melhor Atriz de Televisão por “Fúria de Viver” (2003), Melhor Atriz por “Delfim” (2002) e Melhor Atriz de Televisão por “Ana e os Sete” (2003).

Em 2012, Alexandra integrou o júri do programa da TVI: A Tua Cara Não Me É Estranha.

A vida familiar de Alexandra Lencaste sempre foi seguida com atenção, pela imprensa cor-de-rosa. A atriz foi casada com Virgílio Castelo e posteriormente, com Piet-Hein Bakker. Piet-Hein Bakker é um produtor televisivo holandês, ligado à Endemol. A relação de ambos durou 9 anos e obteve um grande impacto mediático, sendo frequentemente capa de revista. O casal teve duas filhas: Margarida, nascida a 10 de Outubro de 1996 e Catarina, nascida a Julho de 1998.

Entre 2007 e 2010, Alexandra Lencastre viveu uma relação conturbada com o empresário Paulo Ferreira, com inúmeras ruturas e reconciliações. A relação terminaria de vez, no final de 2010.