Amamentação e Hepatite B

A amamentação e hepatite B são uma relação que deverá ser tida em conta enquanto se encontrar a amamentar o seu bebê.

A verdade é que, depois de terem sido realizados alguns estudos, se chegou à conclusão que a amamentação poderá ser feita mesmo por mães que sejam portadoras do vírus da hepatite B.

O que acontece é que, de facto, o vírus da hepatite B poderá ser encontrado no leite materno. Contudo, poderá ser encontrado neste em quantidades bastante pequenas, o que faz com que seja extremamente difícil o bebê vir a ser contaminado pelo vírus.

No entanto, é preciso ter em conta que os bebês que nascem de mães que possuam algum tipo de vírus da hepatite deverão ser desde logo vacinados. Nomeadamente, deverão ser imunizados logo na altura da nascença, numa imunização que deverá ser repetida depois de o bebê fazer dois anos de idade.

Noutros tipos de hepatite poderá ser recomendado por alguns médicos que a amamentação não seja feita, e nestes casos o leite materno seja substituído por algum tipo de leite artificial em pó, pelo menos durante períodos em que a mãe esteja a realizar medicação para o tratamento da hepatite.

Só depois de essa medicação estar completa e serem feitas análises ao sangue que comprovem uma baixa presença do vírus da hepatite é que essas mães deverão começar a amamentar.

A Organização Mundial de Saúde incentiva a prática da amamentação como única fonte alimentar para o bebê até aos seus 6 meses de vida. Isto é recomendado mesmo no caso de a mãe possuir alguma doença.

No entanto, para outro tipo de doenças deverá sempre contactar o seu médico e procurar aconselhamento junto deste. Deverá igualmente ter bastante cuidado com alguma medicação que esteja eventualmente a fazer e que poderá causar problemas no bebê a curto e a longo prazo ao nível renal.