Amamentação Reduz o Risco de Roenças Mentais

A amamentação diminui o risco de doenças mentais, é a conclusão que alguns estudos actualmente permitem avançar.

Este efeito incide sobre o bebê, e acontece em bebês que são amamentados durante, pelo menos, os seus primeiros seis meses de vida.

De facto, estima-se que estes bebês tenham menos hipóteses de vir a desenvolver doenças do foro mental durante a sua infância e também durante a sua adolescência, quando comparado com bebês que não tenham sido de todo amamentados.

Segundo os autores do referido estudo, que foram investigadores do Instituto Telethon na Austrália, sob orientação da professora Wendy Oddy, a redução do risco da ocorrência de doenças mentais fica-se a dever a um efeito positivo significativo no desenvolvimento dos sistemas endócrino e neurológico do bebê que se fica a dever à proximidade entre o bebê e a mãe durante a amamentação.

Para além disso, a presença de componentes bioactivos e de ácidos gordos no leite materno é também algo que se apresenta como um factor benéfico.

Para além disso, estima-se ainda que a amamentação terá também um efeito positivo em ajudar as crianças a lidarem com situações de stresse ou de pressão, enfrentanto esse tipo de situações de uma forma mais fácil e mais calma.

A informação foi útil? Sim / Não

Ajude-nos a melhorar a informação do Educar Saúde.

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.

Amamentação Reduz o Risco de …