Amigdalectomia: Como é feita a cirurgia para retirar as amígdalas

A amigdalectomia é uma cirurgia muito comum em otorrinolaringologia. O objetivo do procedimento é a remoção das amígdalas palatinas ou faríngeas (anginas, em linguagem coloquial) para o tratamento da apneia do sono e amigdalites recorrentes ou crônicas. A técnica cirúrgica empregada para remover as amígdalas é feita através da boca, geralmente sob anestesia geral. Saiba como identificar e tratar uma amigdalite aqui.

Geralmente, a amigdalectomia é uma cirurgia de curta permanência no hospital, em que na maioria das vezes, requer apenas um dia de internação. A recuperação da operação, já em casa, é de cerca de 10 dias.

Muitas vezes, no mesmo procedimento para remover as amígdalas é realizada também a remoção das adenoides, através de uma adenoidectomia, pois as crianças muitas vezes têm problemas em ambas as áreas. Para saber quando é necessário remover as adenoides consulte o artigo: Adenoidectomia: Como é feita e quando é indicada.

Amigdalectomia é A Cirurgia Que Remove As amígdalas

Quem costuma sofrer de amigdalite?

Normalmente a inflamação das amígdalas palatinas ocorre em crianças, embora também existam casos em adultos. Os problemas que as amígdalas e as adenoides podem gerar são geralmente identificados pelo pediatra, que normalmente encaminha a criança para o otorrinolaringologista.

Indicações da cirurgia

A amigdalectomia é recomendada quando os episódios de amigdalite são tão frequentes ou sérios que afetam a saúde geral da criança, interferindo em suas atividades diárias. Por exemplo, há crianças que têm convulsões e febre ou abscessos periamigdalianos recorrentes. Para entender que abscessos são esses leia o artigo: O que é o Abscesso periamigdaliano: Sintomas, tratamento e como identificar.

Outras vezes, as amígdalas são tão grandes que dificultam a respiração ou a deglutição, causando distúrbios no crescimento ou no sono, sendo usada no tratamento da apneia do sono.

Alguns médicos acreditam que a amigdalectomia é realizada com mais frequência do que o necessário, por isso é aconselhável ter uma segunda opinião se houver dúvidas sobre a sua real necessidade.

Quando as adenoides sofrem infecções frequentes ou são tão grandes que obstruam a parte de trás das narinas ou impeçam a ventilação do ouvido, elas podem ser removidas a fim de se evitar as consequências destas infecções ou obstruções recorrentes.

Quanto custa a cirurgia?

O preço do procedimento varia de acordo com as técnicas cirúrgicas empregadas, e as necessidades específicas de cada caso. Apenas o Otorrinolaringologista poderá estabelecer o valor da cirurgia após consulta de avaliação.

O preço do procedimento pode também variar de acordo com o modo de pagamento ou seguro de saúde associado ao paciente.

Pós-operatório, recuperação: Cuidados a ter depois da remoção das amígdalas

As principais recomendações incluem uma dieta fria e líquida para os primeiros dois ou três dias, que inclui sucos, sorvetes, geleias, mingau de frutas, iogurte.

Nos próximos três ou quatro dias, podem ser incorporados novos alimentos, de preferências suaves, de modo que a deglutição não irrite ou prejudique a área que foi tratada.

O indivíduo também deve evitar as atividades físicas vigorosas durante as próximas duas ou três semanas após a cirurgia. “O que se procura é evitar sangramentos, porque, quando fazemos muito exercício físico, a pressão sanguínea aumenta e esse aumento no volume sanguíneo pode causar sangramento numa das pequenas veias recém cauterizadas”.

Os adultos e as crianças têm os mesmos riscos após o procedimento. A diferença é que os adultos normalmente sentem mais dor e sangram mais após a cirurgia, porque geralmente o tecido fica mais danificado e dificulta o processo.

O que posso esperar depois da cirurgia?

É comum o paciente sentir algum desconforto no estômago e vômito durante as primeiras 24 horas após a cirurgia.

A criança pode ter uma dor de garganta que dura por duas semanas, especialmente ao comer. A dor pode diminuir após alguns dias e piorar novamente. A voz da criança também pode mudar um pouco após a cirurgia.

A dor de ouvido é comum, especialmente ao engolir, porque o ouvido e a garganta compartilham o mesmo nervo sensitivo. Também podem ocorrer espasmos na mandíbula (movimentos incontroláveis ​​na mandíbula que podem causar dor).

Também é comum a dor no pescoço após uma adenoidectomia e geralmente dura cerca de uma semana.

Provavelmente a criança também vai apresentar mau hálito durante algumas semanas.

Como a garganta nesta fase está inchada, é comum o indivíduo roncar após a cirurgia, o que deve desaparecer depois de duas semanas.

Como tratar algumas complicações da amigdalectomia

Durante os dias seguintes à cirurgia para amigdalite, pode-se esperar que o paciente sinta dor na garganta e também nos ouvidos. Esses desconfortos geralmente são resolvidos com analgésicos e anti-inflamatórios.

Como devo cuidar a criança?

Incentive-a a beber muitos líquidos (pelo menos 2 a 3 onças por hora para manter a garganta úmida) Assim, o desconforto diminui e a desidratação é evitada (uma condição perigosa na qual o corpo seca).

Administre medicamentos para a dor regularmente, dentro dos limites estabelecidos pelo otorrinolaringologista. Administre-o antes de ir dormir e quando acordar de manhã. Dê o remédio meia hora antes da refeição para ajudá-lo a engolir mais facilmente.

Também estão disponíveis supositórios analgésicos para crianças pequenas, pois muitas vezes elas recusam-se a engolir os medicamentos.

Para evitar o sangramento, o indivíduo deve tentar não tossir, espirrar, ou cuspir. Se for necessário limpar o nariz, faça-o gentilmente. Quando espirrar, incentive a criança a abrir a boca e soltar o som para evitar o acúmulo de pressão.

Nesta fase também é importante a pessoa evitar o contato com pessoas que tenham um resfriado, gripe ou outra infecção.

Alimentação no pós-operatório: O que a criança pode comer?

No dia à cirurgia, dê apenas líquidos frescos e claros, como:

  • suco de maçã
  • gelatina
  • picolé ou gelado de suco de fruta congelado
  • refrigerantes sem gás
  • água

Se a criança tiver dor de estômago, dê em pequenas quantidades, com maior frequência. Nota: se a criança vomitar depois de beber um líquido vermelho, o vômito será da mesma cor, portanto não é caso para alarme.

Após o primeiro dia, ofereça produtos lácteos e alimentos moles como:

  • sorvetes
  • milk shake (Batido de leite) (não use palha, use colher)
  • pudins
  • iogurtes leves

Os líquidos são mais importantes que os alimentos sólidos. Certifique-se que a criança bebe o suficiente.

Quando a criança pedir, adicione outros alimentos moles (alimentos de textura macia) Veja a tabela abaixo para ter algumas ideias. Se pensar usar algum alimento que não apareça na lista, pergunte a si mesmo: “É fácil mastigar? Amolece como você mastiga? É um alimento sem textura áspera ou bordas crocantes? Se a resposta for “sim”, a criança provavelmente pode comê-lo.

Certifique-se de cortar a comida em pedaços muito pequenos e incentivar a criança a mastigá-la bem. Continue a dieta de alimentos moles durante 1 a 2 semanas após a cirurgia.

Evite frutas e sucos cítricos, como o suco de laranja e limonada, porque podem causar irritação da garganta. Evite também alimentos quentes ou picantes.

O que pode comerO que não deve comer
  • pão macio
  • waffles encharcados ou rabanada (sem a crosta) embebido em xarope de bordo
  • panquecas
  • ovos mexidos ou escalfados
  • Pão queimado
  • Waffles crocantes
  • alimentos fritos
  • aveia ou outros cereais moles
  • cereais frios e encharcados (embebidos em leite)
  • cereais frios e crocantes
  • sopa
  • macarrão
  • macarronis com queijo
  • salsichas, hambúrgueres
  • carne macia e úmida, frango ou peixe
  • carne, frango ou peixe seco e duro
sanduíches (sem casca (côdea):
  • manteiga de amendoim com geleia
  • queijo
  • atum
  • sanduíches de queijo grelhado (tosta de queijo)
  • legumes cozidos
  • purê de batatas
  • vegetais crus
  • tomates
  • puré de maçã
  • banana
  • frutas enlatadas
  • melancia sem sementes
  • frutas cítricas
  • sucos (não cítricos)
  • refrigerantes sem gás
  • gelatina
  • sucos cítricos
  • refrigerantes com gás

O que mais preciso saber?

A cirurgia leva cerca de duas semanas para cicatrizar. Incentive a criança a brincar tranquilamente em casa nos primeiros 3 a 5 dias. No entanto a pessoa não deve jogar, exercitar ou correr ativamente durante 2 ou 3 semanas após a cirurgia. Em geral, as crianças podem voltar à escola ou creche após 7 a 10 dias.

A crosta cai entre os 7 e 14 dias após a cirurgia, o que pode resultar no aumento do desconforto ou dor, mas raramente causa sangramento.

Se ocorrer sangramento, peça para a criança deitar-se e chupar um picolé (gelado de fruta congelado). Incentive a criança a descansar mais, e ligue para o médico se o sangramento não parar com o descanso e gelo.

Deve contatar o otorrinolaringologista se:

  • a temperatura for superior a 101 ° F (38,3 ° C)
  • houver qualquer tipo de hemorragia vermelha brilhante
  • vomitar sangue vermelho vivo
  • o nariz sangrar
  • existir dor que não alivia com medicamentos
  • houver desconforto no estômago ou vômito após 24 horas (da cirurgia)
  • se houver sintomas de desidratação, que incluem: olhos fundos, lábios secos, o indivíduo não urina há mais de 8 horas, ou, não tem lágrimas.

Se tiver mais alguma dúvida sobre a condição consulte o otorrinolaringologista.


Referências
A informação foi útil? Sim / Não

Ajude-nos a melhorar a informação do Educar Saúde.

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.

Amigdalectomia: Como é feita a cirurgia para retirar as amígdalas