Anafilaxia

A anafilaxia é uma reacção alérgica grave que pode pôr em perigo a vida, o que ocorre dentro de minutos de exposição a substâncias causadoras de alergia (alérgeno).

Também é chamada de choque anafilático. Diante de uma reacção alérgica grave, o sistema imunológico do organismo reage à presença de um alérgeno liberando histamina e outras substâncias químicas do corpo.

Estes produtos químicos causam os sintomas da alergia, que geralmente são leves, como a coriza, no caso da febre dos fenos (rinite alérgica) ou erupção cutânea causada pela hera venenosa.

Porém, em alguns casos, os sintomas podem ser mais graves e comprometer todo o corpo.

É uma reação alérgica gravissima.

No caso da anafilaxia, estes produtos químicos causam graves problemas de pele, como urticária e inchaço, bem como problemas respiratórios, tais como inchaço da garganta, o estreitamento das vias aéreas inferiores e sibilos.

Os produtos químicos também podem causar a dilatação dos vasos sanguíneos e causar uma pressão sanguínea significativamente diminuída (choque).

Esta reacção alérgica é uma emergência médica que ameaça a vida humana.

Exemplo de um sintoma: Inchaço dos lábios

Inchaço dos lábios, angioedema

Os alérgenos específicos que causam a reacção alérgica podem ser diferentes para cada paciente, as causas muitas vezes podem ser:

Alimentação, especialmente ovos, mariscos, nozes, cereais, leite e amendoim
Medicamentos, os mais comuns são a penicilina ou cefalospirina
Picadas de insectos: abelhas, vespas, marimbondos e formigas de fogo
Anestésicos injectáveis: procaína e lidocaína
Contrastes utilizados em raios-X e tomografia computadorizada
Produtos químicos industriais, produtos de látex ou borracha usados por profissionais de saúde
Terapia com imunoterapia

Sintomas da anafilaxia

Geralmente, os sintomas surgem dentro de segundos ou minutos da exposição ao alérgeno. Esses sintomas incluem:

pulso rápido, sudorese, tonturas, desmaio, coma, chiado ou aperto no peito, falta de ar, tosse, acompanhada por erupções cutâneas, prurido, que podem ser combinados para formar áreas maiores de inchaço na pele, inchaço dos lábios, língua ou nos olhos, náuseas, vômitos, cólicas abdominais, diarréia, pele pálida e azulada, inchaço da garganta com sensação de aperto na garganta, nó na garganta, rouquidão ou obstrução do fluxo de ar.

Diagnóstico

O médico irá consultar sobre a história do paciente, sobre a sua alergia e exposição a alérgenos comuns que causam a reacção alérgica.

Para o médico é um factor muito importante saber se os sintomas do paciente começam logo após a exposição a um alérgeno, por exemplo, depois de comer nozes, ser picado por uma abelha ou um antibiótico.

Como o paciente por vezes pode estar muito doente para prestar informações precisará da ajuda de um, colega, amigo, parente ou estudante de enfermagem.

As pessoas com história de reações alérgicas graves devem considerar usar um colar ou uma pulseira de identificação médica, um alerta para economizar tempo valioso na identificação do problema.

Normalmente, o médico pode diagnosticar a reacção alérgica com base no histórico do paciente e dos resultados do exame físico.

Duração

Se for feito o tratamento adequado e precoce, os casos de reacção alérgica podem melhorar rapidamente em poucas horas.

Se uma pessoa desenvolver sintomas mais graves é provável que poucos dias após o tratamento recupere totalmente.

Se não for tratada, pode causar a morte em minutos ou horas.

Prevenção

Esta doença pode ser prevenida evitando os alérgenos que causam os sintomas.

Por exemplo, as pessoas que são alérgicas a determinados alimentos devem verificar sempre a lista de ingredientes nos rótulos e perguntar ao “garçom” sobre estes antes de comer em um restaurante.

Se você é alérgico a picadas de abelha, deve limitar a prática de jardinagem, e não deve usar perfumes, sprays para cabelo ou roupas brilhantes que atraem insetos.

As pessoas com história da reacção alérgica devem usar uma pulseira ou colar de identificação médica para alertar outras pessoas em caso de uma outra reação.

Além disso, pergunte ao seu médico se deve transportar consigo uma seringa cheia de adrenalina (epinefrina) (auto injector Epipen, vêr na foto abaixo), uma droga usada para o tratamento de choque anafilático para que ao primeiro sinal dos sintomas, você ou alguém próximo (parente, colega, estudante de enfermagem) injecte a solução até que obtenha atenção médica.

A terapêutica biológica, também chamada de imunoterapia, é usada ​​para alterar, gradualmente o tipo de reação que você tem após a picada de um inseto.

Estas vacinas fazem com que o seu sistema imunitário reaja e produza diversas variedades de anticorpos e células que não causam sintomas perigosos em vez de produzir anticorpos e substâncias químicas que resultam nos sintomas da alergia.

Em raros casos, a imunoterapia também pode ser usada para evitar alergias a determinados medicamentos. Estas vacinas não são usadas ​​para tratar alergias alimentares.

No entanto, estão a ser realizados estudos sobre a imunoterapia oral, utilizando amostras diluídas da alergia como um possível tratamento para tratar a alergia alimentar.

Tratamento para anafilaxia

Alguns casos precoces podem ser tratados com anti-histamínicos e corticóides.

Nas emergências mais graves que envolvem o risco de vida e requerem atenção médica imediata a epinefrina deve ser administrada ao primeiro sinal de uma reação séria de forma a retardar a progressão dos sintomas.

Os médicos devem tratar a reacção alérgica com fluidos intravenosos e adrenalina.

Também é provável que a pessoa precise de tratamento com oxigênio, ventilação mecânica (uma máquina que ajuda o paciente a respirar temporariamente) e anti-histamínicos ou corticóides por via intravenosa.

Quando chamar um profissional

Chamar ajuda médica imediatamente se alguém apresenta sintomas de reacção alérgica.

Se você tem uma história de reação alérgica grave e não mencionou a seu médico, marque uma consulta com ele.

O seu médico pode verificar a sua história e ajudar a tomar as precauções necessárias para evitar problemas futuros.

Previsão

Se for feito um tratamento precoce e adequado, a maioria dos pacientes que tiveram uma reação alérgica severa recuperam completamente.

Infelizmente, mesmo com o tratamento, algumas pessoas morrem de anafilaxia.

Uma pessoa que teve esta reacção alérgica corre o risco de ter futuras reações severas quando exposta novamente a qualquer alérgeno.