Antibióticos Podem Causar Asma

Revisado por Reinaldo Rodrigues (Enfermeiro - Coren nº 491692) a 14 dezembro 2018

Os antibióticos podem causar asma, esta é uma conclusão a que chegou recentemente um estudo que estava integrado numa investigação.

A asma é uma doença pulmonar crónica que afecta cada vez mais pessoas em todo o mundo, e que se deve a diversos factores. Nomeadamente, o aumento da poluição um pouco por todo o lado e o grande número de produção industrial que é feita por todo o mundo, faz com que surjam problemas crónicos relacionados com o sistema respiratório com maior frequência.

No entanto, aparentemente estes problemas não são os únicos que poderão levar ao aparecimento da asma.

Um estudo da Yale School of Public Health conclui que, de facto, o consumo de antibióticos pode precipitar o surgimento de problemas de asma.

Nomeadamente, o estudo conclui que a toma de medicamentos por parte de crianças nos seus primeiros seis meses de vida poderá aumentar a probabilidade do aparecimento de asma e de alguns tipos de alergias ainda durante a infância.

A questão de que se fala neste estudo é o facto de os antibióticos alterarem a flora intestinal, fazendo com que existam algumas reacções anormais por parte das respostas alérgicas do organismo, o que aumenta o risco de surgimento dos já referidos problemas.

É importante relembrar que sendo a asma uma doença crónica, esta não tem cura. Por outro lado, poderá causar alguma perda de qualidade de vida de quem sofre desta doença, já que as dificuldades respiratórias tornam-se frequentes, assim como se torna frequente a necessidade de uma bomba de asma a ser tomada durante toda a vida.

Assim, este estudo é mais um incentivo para aquilo que muitos especialistas já defendiam: a toma de medicamentos e antibióticos em crianças muito pequenas deve ser evitada a todo o custo, sendo que sempre que for possível se deverá optar por métodos mais naturais e menos abrasivos para o organismo.

Em vez destes medicamentos e antibióticos deveremos sempre primeiro procurar tratamentos naturais ou tomar atitudes para que os problemas se resolvam de outras formas. Logicamente, podemos e devemos sempre aconselhar-nos com um pediatra para este tipo de situações.

No entanto, é também relevante mencionar que poderão haver problemas que têm mesmo que ser tratados com antibiótico, sob pena de outro tipo de riscos ainda maiores.