Asma na criança

A asma é uma doença crónica muito comum entre as crianças. As estimativas indicam que aproximadamente 15% das crianças podem sofrer desta doença. Podendo surgir muito cedo, a asma na criança é uma fonte de preocupação para os pais.

Asma na criança (asma pediátrica)

A asma é uma inflamação crónica que faz com que os brônquios entrem num processo de atividade excessiva, o que provoca um bloqueio das vias aéreas.

Muitas vezes, a asma na criança é motivada porque um dos pais sofre da mesma condição. Contudo, isto não acontece necessariamente em todos os casos. Mesmo quando nenhum dos progenitores é asmático, é possível que a criança manifeste esta doença.

Não existe uma idade certa para o surgimento dos primeiros sintomas de asma na criança. Estes sinais podem surgir logo em bebé, ou podem aparecer mais tarde, durante a infância ou a adolescência.

Resumo dos sintomas da asma na criança

Nos mais pequenos, a asma pode manifestar-se através de diversos sintomas. Os pais devem estar atentos aos seguintes sintomas:

  • Tosse constante, mesmo quando a criança não está doente;
  • A criança queixa-se ou denota falta de ar várias vezes por mês;
  • A criança produz um ruído de “chiar” ao respirar;
  • Tosse constante, que pode ser provocada durante a realização de exercício físico, ao rir ou ao chorar.

Determinadas situações aumentam o risco das crianças desenvolverem asma. As situações que podem aumentar a probabilidade de uma criança sofrer de asma incluem:

  • Um dos progenitores ter historial de asma;
  • Contacto frequente com fumadores;
  • Utilização recorrente e exagerada de medicamentos antibióticos até aos 6 meses de idade;
  • Viver com animais com pelos em casa. Os pelos dos animais podem desencadear alergias, que por sua vez contribuem para o desenvolvimento da asma.

Sempre que os pais suspeitem de asma na criança devem falar com o pediatra sobre as suas suspeitas. Posteriormente, é aconselhável consultar um especialista, um médico pneumologista pediátrico, que passará a fazer o acompanhamento da criança

Tratamento da asma na criança

Não existem diferenças consideráveis no tratamento da asma na criança e no adulto. Tal como acontece com os adultos, as crianças devem tomar os remédios adequados e evitarem o contacto com todas as substâncias que possam originar reações alérgicas ou episódios de asma.

Em idades mais precoces, pode ser necessário utilizar um nebulizador contendo o medicamento para a asma diluído. Depois dos 5 anos, é comum que as crianças passem a utilizar um inalador normalmente.

Tratando-se de uma doença crónica, as crises de asma tornam-se gradualmente encaradas como algo rotineiro. Contudo, os pais devem manter sempre um elevado grau de atenção sobre as crises de asma dos seus filhos. Sempre que o remédio não atenue a crise de asma é fundamental encaminhar a criança para o hospital, com o máximo de celeridade possível.

Cuidados Importantes A Ter Com Crianças Com Asma

Para reduzir a frequência das crises asmáticas devem ser implementadas algumas medidas, como:

  • Não ter animais com pelos dentro de casa. Os pelos dos gatos e dos cães podem provocar reações alérgicas que contribuem para o agravamento da asma na criança;
  • Todas as divisões de casa onde a criança passa algum tempo devem ser mantidas o mais limpas possível. O pó é um dos principais inimigos das pessoas asmáticas;
  • Não colocar perfume na criança. Muitas pessoas são alérgicas a perfumes ou a produtos perfumados (gel de banho, creme, shampoo, etc);
  • Retirar adereços como carpetes ou tapetes do quarto da criança. Estes adereços acumulam geralmente muito pó, piorando o ambiente do quarto;
  • Evitar oferecer peluches à criança;
  • Garantir que a criança faz, anualmente, a vacina da gripe;
  • Arejar convenientemente a habitação.

A prática de atividade física por parte de crianças com asma é, geralmente positiva. Na maioria dos casos, as crianças podem fazer a suas aulas de educação física sem muitas restrições e podem até praticar todo o tipo de desportos.

Contudo, é verdade que algumas crianças não se incluem nesta “regra”. Nesses casos, a prática de desporto pode dar origem a uma crise de asma.

Uma vez que a asma é uma doença crónica, para a qual não existe qualquer cura, estes cuidados não devem ser mantidos apenas durante a infância e a adolescência, devendo acompanhar o paciente também durante a sua vida adulta.

Ao colocar em prática estes cuidados e ao utilizar de forma adequada os medicamentos, os pacientes podem diminuir a frequência com que são afetados pelas crises de asma.