-->Avaliar a Alimentação do Bebê - Educar Saúde

Avaliar a Alimentação do Bebê

Publicado em 28/08/2014. Revisado por Drª Gizele Cunha (Pediatra, Alergologista e Pneumologista Infantil - CRM/SP: 116541) a 16 dezembro 2018

Avaliar a alimentação do bebê é algo que é bastante importante para garantir que este está a ser correctamente alimentado e que estão a ser correctamente supridas as suas necessidades alimentares e as suas necessidades ao nível de nutrientes, que potenciarão o seu correcto e normal desenvolvimento.

Deverão idealmente utilizar-se quatro parâmetros que poderão indicar que a amamentação do bebê está a ser suficiente e não está a colocar em causa o seu correcto desenvolvimento, nomeadamente:

  • Avaliação do ganho de peso
    • A avaliação do ganho de peso do bebê é um factor bastante importante de ser avaliado. Idealmente, deverá pesar o bebê de 15 em 15 dias para conseguir avaliar adequadamente o seu ganho de peso. O bebê, caso seja um bebê recém-nascido, não deverá perder peso num valor superior a 10% do peso com que nasceu. Caso exista perda de peso, este deverá ser recuperado na totalidade até ao 15º dia de vida. Em bebês até aos 6 meses de idade, o peso deverá ser gango numa proporção superior a 250 g por cada 15 dias de vida.
  • Teste da fralda
    • O teste da fralda é um teste também importante para avaliar a alimentação do bebê. Caso o bebê se alimente unicamente de leite materno, a sua urina deverá ser uma urina clara e bem diluída, sendo que o bebê deverá urinar até oito vezes por cada dia. A utilização de fraldas de pano poderá ser algo que facilita esta avaliação, já que se nota com mais clareza a cor e forma da urina. Se as fezes do bebê forem secas e duras, poderá haver aqui uma indicação de que a alimentação do bebê não é suficiente. O mesmo poderá acontecer no caso de não existirem fezes, ou seja, na sua ausência.
  • Avaliação clínica
    • Ao nível clínico, o bebê deverá estar activo e em estado alerta. A desidratação da criança poderá indicar que a amamentação não está a ser suficiente para as suas necessidades.
  • Manejo da amanentação
    • Idealmente, a criança deverá amamentar a cada 3 horas. Nomeadamente, isto deverá representar um número de amamentações que se encontra entre 8 e 12 amamentações por cada dia. Caso o bebê não esteja a mamar leite suficiente, este poderá recusar o peito da mãe, querer mamar com muita frequência ou durante muito tempo, ou no geral apresentar sinais de que a amamentação não está a ser suficiente.
Saiba mais sobre:
A informação foi útil? Sim / Não

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.
Autores
Drª Gizele Cunha (Pediatra, Alergologista e Pneumologista Infantil - CRM/SP: 116541)

Pediatra, Alergologista e Pneumologista Infantil - CRM/SP: 116541

A Dra Gizele Ferreira Cunha é Graduada em Medicina pela Universidade de Ribeirão Preto - SP - 2004. Além disso possui:

- Especialização em Alergia e Imunologia Infantil pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (HCRP - FMRP - USP) – 2009.

- Especialização em Pneumologia Infantil pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (HCRP - FMRP - USP) – 2007.

- Especialização em Pediatria pela Universidade de Ribeirão Preto - 2006 .

Endereço: Avenida Senador César Vergueiro, 571 - Ribeirão Preto - SP - Email: cviver@bol.com.br - Telefone: (16) 33291337

Também pode encontrar a Drª Gizele no Linkedin e Facebook