Azia: Tratamentos, sintomas, causas e alimentos que aliviam

O que é? A azia é uma condição que causa sintomas de queimação que sobem do esôfago até á laringe. O normal é que a cárdia (a parte do estômago mais próxima do esôfago) permaneça fechada durante a digestão. No entanto, em algumas ocasiões esta válvula relaxa, deixando passar os ácidos gástricos para o esôfago. Este processo é chamado de refluxo gastroesofágico. Tenha também em mente que os tecidos do esôfago sofrem com a ação desse ácido, podendo desencadear uma doença chamada esôfago de Barrett, o caminho para o desenvolvimento de câncer de esôfago.

Embora seja um evento bem comum que quase todos os indivíduos padeçam dele em alguma ocasião, existem pessoas que sofrem com ele de forma permanente.

A presença de azia está associada à idade, ao excesso de peso e obesidade e a maus hábitos alimentares, sendo desencadeada pela ingestão de alimentos muito condimentados, dificuldades na digestão, e outras ações, como deitar-se após as refeições.

O simples ato de usar roupas apertadas, realizar exercícios intensos depois de comer, e fazer uso de determinados medicamentos, é o suficiente para produzir sintomas de azia.

Azia

Causas

A azia, queimação ou pirose, ocorre após a passagem de conteúdo ácido do estômago para o esôfago, produzindo uma sensação de ardor característica.

As causas do evento são todos aqueles gatilhos que favorecem o ” refluxo” que recebe o nome de doença do refluxo gastroesofágico (DRGE).

Existem também indivíduos com hérnia de hiato ou incompetência parcial do esfíncter gastroesofágico que, em determinadas circunstâncias ocorre o retorno do conteúdo ácido do estômago para o esôfago, por exemplo, após uma grande refeição, ou após a ingestão de bebidas carbonatadas.

Outras causas de azia incluem:

  • Fumar,
  • Ingerir bebidas com cafeína,
  • A presença de uma gravidez,
  • O uso frequente de remédios como a aspirina, Ibuprofeno, Naproxen, Celecoxib, e outros usados no tratamento do câncer, como a quimioterapia, depressão, osteoporose e hipertensão,
  • A ingestão de líquidos durante as refeições,
  • Excesso de peso,
  • Ingestão de álcool,
  • Consumo de alimentos como o chocolate, a pimenta, cebola, comidas picantes, frutas cítricas, hortelã e tomate,
  • Atividades físicas como a ioga e o pilates ou exercícios que exijam ao indivíduo ficar de cabeça para baixo.

Sintomas

A manifestação cínica mais comum de azia é a sensação de queimação no esôfago ou queimação por trás do esterno. Alguns indivíduos com a condição também apresentam plenitude gástrica (sensação de estômago cheio) ou regurgitação (quando a comida sobe até à boca). Outros sintomas incluem:

  • Má digestão;
  • Arroto constante e involuntário;
  • Estômago inchado;
  • Sabor ácido ou amargo na boca;
  • Dor e sensação de ardência na garganta.

Quando a acidez é muito intensa e constante, pode causar complicações a longo prazo devido à exposição ao ácido, como o aumento de lesões pré-tumorais no esôfago, por exemplo.

É importante ter em mente que a azia é um sintoma normal, desde que seja esporádico e intermitente. Quando ocorre mais de duas vezes por semana (com ou sem refluxo), o indivíduo geralmente sofre de doença do refluxo gastroesofágico, um processo fisiológico grave que precisa ser diagnosticado e tratado. Sabendo isso, é importante estar atento à duração, frequência e intensidade dos sintomas.

Prevenção

As principais medidas que o indivíduo deve tomar para prevenir a ocorrência de azia são evitar o excesso de peso, mastigar bem e devagar os alimentos, reduzir o consumo de bebidas gaseificadas e os alimentos condimentados.

Geralmente conhecemos os alimentos que nos são especialmente indigestos e portanto, devemos evitá-los. Também é importante que as pessoas com tendência a apresentar queimação evitem deitar-se uma a duas horas após a refeição. O ideal será realizar uma refeição leve ao jantar e esperar pelo menos entre 3 a 4 horas até se deitar.

Outras medidas para prevenir a azia são:

  • Tente comer três horas antes de dormir.
  • Evite tomar medicamentos que agravem ou produzam azia. Em caso de dúvida consulte o médico ou farmacêutico. Também é importante saber que os anti-inflamatórios, como a aspirina, AINEs, etc, causam irritação gástrica.
  • É importante identificar e evitar os alimentos que produzam o sintoma. Geralmente, alguns desses alimentos incluem o café, chá, bebidas com cafeína, refrigerantes e álcool.
  • Quando a queimação ocorre durante a noite, é aconselhável levantar a cabeceira da cama cerca de 20 cm.
  • Evite exercícios físicos intensos, se forem um fator que piore a azia. Outro conselho saudável é a realização de uma caminhada após as refeições.

Evitar o estresse, ansiedade e nervosismo também ajuda.

Diagnóstico

O primeiro passo para diagnosticar a doença é a entrevista clínica com o paciente, que permitirá ao médico conhecer as principais manifestações clínicas do evento.

Quando os sintomas são graves e frequentes ou ocorrem em pessoas com mais de 50 anos pela primeira vez, o gastroenterologista recomenda uma endoscopia para avaliar a extensão e gravidade das lesões e os fatores predisponentes. A partir desses dados, o especialista estabelece a melhor terapia.

Tratamento e cuidados

As medidas preventivas e o uso de antiácidos são eficazes contra a pirose gástrica ou a acidez do estômago. Os medicamentos de ação rápida e não sistêmicos são a medida farmacológica de primeira escolha e geralmente não necessitam de prescrição médica. Também podem ser usadas combinações de magnésio e alumínio (almagato) mediante prescrição médica.

O uso de inibidores da bomba de protões pode ser eficaz, mas apenas está recomendado caso o problema seja crônico.

Os remédios mais comuns para o tratamento da azia são:

  • Antidin
  • Cimetidina
  • Dexilant
  • Domperidona
  • Esomeprazol Magnesio
  • Motilium
  • Nexium
  • Omeprazol
  • Estomazil
  • Cloridrato de ranitidina.

A duração e a dose do tratamento variam de acordo com as circunstâncias do paciente. As mulheres grávidas e as mulheres que amamentam devem consultar o médico antes de usar qualquer um destes medicamentos.

Alimentação contra a azia

Apesar da causa por vezes estar relacionada com um problema como uma hérnia de hiato, na maioria dos casos o principal culpado são os alimentos ingeridos. Abaixo descrevemos os melhores alimentos para o estômago nestes casos.

6 alimentos com “ação antiácido”

Existem alimentos que são um verdadeiro bálsamo para o estômago, eles incluem:

Aveia: O seu conteúdo rico em mucilagem suaviza a mucosa digestiva, tornando-a um antiácido natural. Deixe a aveia de molho a noite toda e coma-a com maçã picada. Também é boa em sopas.

Abobrinha: Também contém mucilagens. Estando recomendada em caso de digestão pesada e problemas como refluxo gastroesofágico ou gastrite. Cozida é como se digere melhor. Evite-a frita.

Abóbora: Além de mucilagens com efeito emoliente, contém beta-caroteno, que protege a mucosa digestiva. Pode ser usada em vários tipos de preparações: cozida, assada … e até crua. Em sopa é ideal para o jantar.

Maçã: Graças à sua grande riqueza em pectina, neutraliza a acidez estomacal. É considerada um dos antiácidos naturais mais eficaz. Um pedaço de maçã alivia a azia em qualquer momento. Se tiver dificuldade em digeri-la, ferva.

Batata: É um bom bálsamo para o estômago, mas não se deve tomar o seu suco cru. A batata crua é tóxica. Evite-a frita (pois causa acidez). Cozida no vapor ou assada é bem digerida. O purê de batata e cenoura acalma ajuda a acalmar o estômago.

Mamão: O mamão contém uma enzima, papaína, que ajuda a quebrar as proteínas, motivo que o leva a favorecer a digestão e evitar a azia. A solo ou em combinação com a banana é uma boa opção de sobremesa ou como lanche no meio da tarde.

Receitas caseiras rápidas

Mantenha os seguintes “remédios caseiros” sempre à mão para obter alívio instantâneo.

Um smoothie de banana com leite de arroz é um bom exemplo. É uma combinação que, além de ser facilmente digerida, suaviza instantaneamente a mucosa digestiva. A polpa do marmelo também ajuda a reduzir a acidez, já que a pectina (fibra solúvel) presente aumenta o pH da mucosa gástrica. Apenas tenha em mente que o marmelo é um alimento muito calórico, devendo tomá-lo em pequenas quantidades.

O alcaçuz é outro bom remédio (que deve ser evitado em casos de hipertensão). Pode ser usado em forma de chá, mas o mais eficaz é chupá-lo como um rebuçado na presença de azia, já que ele neutraliza os ácidos.

O que também pode ajudar a aliviar o desconforto é a infusão de camomila-romana e gengibre. O gengibre reforça a válvula do esôfago e impede o refluxo e a camomila repara a mucosa gástrica.

VOLTAR PARA »

Referências
  • Heartburn – Symptoms and causes – Mayo Clinic
    https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/heartburn/symptoms-causes/syc-20373223
  • Heartburn and acid reflux – NHS
    https://www.nhs.uk/conditions/heartburn-and-acid-reflux/
  • Refluxo gastroesofágico – Biblioteca Virtual em Saúde – Ministério da Saúde
    http://bvsms.saude.gov.br/dicas-em-saude/2575-refluxo-gastroesofagico
A informação foi útil? Sim / Não

Ajude-nos a melhorar a informação do Educar Saúde.

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.

Azia: Tratamentos, sintomas, ca…