Bananeira: Planta e árvore da banana

A bananeira é uma planta herbácea com folhas muito grandes e chamativas, cujo verdadeiro caule é um bolbo com capacidade de recrescimento todos os anos.

A inflorescência dá lugar aos ‘cachos’, compostas por ‘dedos’ que são os frutos, geralmente de cor amarela.

A banana pertence à família Musáceas e género Musa.

Esta família é pouco numerosa nos trópicos e subtrópicos, uma vez que está apenas representada por 6 géneros e 220 espécies, das quais umas 50 ou 60 pertencem ao género Musa.

Este divide-se por sua vez em dois sub-géneros, o Australimusa que aparece na zona do Pacífico e não tem importância comercial e o Eumuds que é oriundo da Ásia; a este sub-género pertencem as bananas padrão, a variedade de bananas mais importante.

O género Musa divide-se em cinco secções, em que a secção Eumusa comprende duas espécies, Musa acuminata Colla e Musa balbisiana Colla, que origina todas as bananas partenocárpicas.

Este género compreende espécies que têm semente, assim como uma quantidade importante de cultivares com frutos partenocárpicos.

A bananeira é uma planta herbácea ‘perene’, uma vez que após a frutificação as partes aéreas morrem, mas são substituídas por novos rebentos que crescem desde a sua base.

Os tipos mais altos da série Cavendish podem chegar a atingir quase 8m de altura, apesar do normal ser entre 3 e 6m.

O verdadeiro caule da árvore é um órgão subterrâneo que só sobressai do solo na época de floração, a que se pode chamar bolbo ou cormo,e também se conhece como cabeça ou cepa.

Por vezes tem caracteres de rizoma e bolbo.

É um importante órgão de armazenamento, formado por um cilindro central rodeado de um cortex protector do qual emergem as raízes, as flores e os rebentos ou filhos que continuarão a vida da planta.

A raiz é superficial, embora nas Canárias, por exemplo, possam ser mais profundas, chegando até 1m.

As folhas são muito grandes, de 2 a 4m de comprido e até meio metro de largura, com um pecíolo de 1m ou mais de comprimento e o limbo é elíptico, alongado, ligeiramente aderente ao pecíolo, um pouco ondulado e glabro.

Da coroa de folhas sai, durante a floração, um escapo pubescente de 5 a 6cm de diâmetro, terminando num rácimo pendente de 1-2m de comprimento.

Este tem cerca de vinte brácteas ovais, alongadas, agudas, de cor vermelha púrpura, cobertas de um pó branco farinhoso; das axilas destas brácteas nascem por sua vez as flores.

A inflorescência é bastante complexa. Ao longo do eixo, as brácteas (vermelhas no subgrupo Cavendish) dispõem-se em hélice, algo semelhante ao sistema foliar.

Cada bráctea cobre um grupo de flores desprovidas de bráctea individual e situadas em duas filas pareadas.

As flores são hermafroditas, mas só as que se podem ver através da prega dupla das brácteas, são de dominância feminina, é que darão origem ao ‘cacho’ que contém de 3 a 20 frutos, conhecidos pelo nome bananas ou ‘dedos’.

O fruto é oblongo, da forma de um pepino triangular, no início verde e amarelo na maturação, embora possa variar a cor segundo a cultivar; quando começa a enegrecer-se cai da árvore, pelo que se colhe antes que esteja maduro.

Conheça os Benefícios da Banana Saba (Musa Acuminata × Balbisiana)