Bardana

A Bardana é uma maravilhosa planta medicinal com raízes compridas e pode alcançar mais de 2 metros de altura, produzindo flores vermelhas e azuis.

Tem origem na Europa, mas tudo indica que o Japão foi quem mais cultivou a planta para consumo. A planta é também conhecida por erva-dos-tinhosos, pegamassa, carrapicho-de-carneiro e carrapicho-grande.

Leia: Chá de Bardana para Pedra na Vesícula

Benefícios, Propriedades Medicinais e Indicações Terapêuticas

A fama desta planta já vem de muito longe, desde a antiguidade que é valorizada e incluída em muitos tratamentos para a cura.

Toda a planta era aproveitada como forma de medicamento, como exemplo a raiz, e as folhas que depois de serem esmagadas e aplicadas em cataplasmas serviam para tratar doenças de pele, derivado da sua ação bactericida.

Atualmente a bardana é uma erva medicinal que tem sido aplicada para outros fins também, nomeadamente: picadas de insetos e aranhas, uma vez que acalma a dor e evita a tumefação do local afetado.

Ou seja, apresenta ação anestésica e anti-inflamatória. Além de tudo isso, contribui também para diversas doenças de pele como as espinhas (acne) e caspa.

A raiz da planta muitas vezes é utilizada na homeopatia sobretudo para afeções dermatológicas como a acne, furúnculo, eczema do couro cabeludo e para os bloqueios do metabolismo.

Formas disponíveis

A planta pode ser comprada em diferentes formas, tais como:

  • Pó de raiz seca
  • Decocções (líquido feito por ebulição)
  • Tintura
  • Extrato

As raízes, sementes e folhas são também ingeridas para auxiliar a combater problemas associados aos cálculos renais, reumatismo e vesícula.

A Raiz De Bardana é Conhecida Por Ajudar A Desintoxicar E Purificar O Corpo. Ele Contém Princípios Diuréticos, Que Ajudam A Eliminar As Toxinas Do Sangue

Leia: Chá de Bardana para Cólica Renal

A raiz de bardana é rica em termos nutricionais porque fornece proteínas, glícidos, fibras, cálcio, fósforo, ferro, vitamina A,B1 e C, sendo rica também em sais minerais.

A casca não deve ser retirada da raiz da bardana para que não perca as suas propriedades, por isso para a usar deve remover bem da terra e escová-la em vez de descascá-la.

Durante o cozimento, não estranhe quando a casca escurecer, é normal em razão do ácido tânico, que é uma substância sem sabor e completamente inofensiva para o organismo.

Se preferir pode também optar que não escureça e para isso basta que deixe a raiz em água com algumas gotas de vinagre ou limão.

A bardana é depurativa, diurética, colerética, laxativa, diaforética, estomáquica e antidiabética.

Tem ação na purificação do sangue, em afeções reumáticas, queda de cabelo, picadas de insetos, seborreia da face, vesícula inflamada, hemorroidas, hepatite viral e cirrose.

Absorve também as toxinas e elimina-as do corpo, protegendo o organismo. As toxinas são as principais responsáveis por inflamações e problemas no sistema digestivo.

A bardana é utilizada também para pomadas que servem para evitar a calvície. Pode consumir esta planta também através de chá, porque vai ajudar a limpar a pele de dentro para fora e a combater a prisão de ventre.

A bardana tem efeitos purificantes, podendo através da sua infusão, ser utilizada como um tónico de limpeza facial.

A raiz é também utilizada para fins culinários sobretudo em pratos salgados e para que fique mais saborosa é aconselhável refogar e temperar com molho de soja.

Apresenta alguns efeitos secundários que é necessário ter sempre em conta, nomeadamente, para grávidas e pessoas com diarreia crónica. O seu uso externo poderá ter implicações no que diz respeito a irritações cutâneas e oculares.