Barragem de Santa Clara (Odemira)

Revisado por Andre a 28 outubro 2018

Conheça a Barragem de Santa Clara localizada em Odemira – Nesta belissíma zona podes provar a tão conhecida caldeirada de achigã e viajar por uma albufeira que te leva à aldeia romana do Castro da Cola.

A aldeia de Santa Clara

Desta vez a aventura é para o sul do Alentejo, quase a fazer fronteira com o Algarve. E a maneira mais fácil de lá chegar é de comboio, pela linha do Sul, apeando-te na castiça aldeia de Santa Clara. Pequena, rapidamente conheces tudo a pé, o que de algum modo te pode abrir o apetite. Se assim for, nada como uma saborosa caldeirada de achigã para resolver o problema. O achigã é um peixe de água doce, que por sinal existe em quantidades astronómicas nesta albufeira e é gostoso no prato. Após teres explorado os cantos à casa, é altura de conhecer o lugar mais interessante da zona, a barragem de Santa Clara.

Um ralo gigantesco

A pé, são cerca de 25 minutos num passeio bonito por entre a pradaria. Aos poucos, lá vais avistando o enorme paredão. Só que esta barragem tem algo de diferente das demais. Por ser essencialmente agrícola, não possui comportas para produzir electricidade. Então, poderás perguntar-te: “Mas como é que a água se escoa?”

A resposta chega depressa assim que te aproximas do paredão. Algo estranho aparece, um brutal ralo de cimento. Este é o engenho que serve para regular o nível da água, e funciona como os ralos do lavatório. O princípio é o mesmo, agora tem cuidado para não seres vítima desta aspiração traiçoeira, caso o nível da água esteja elevado. Tirando isso, podes nadar à vontade, tentar a tua sorte a pescar e o melhor de tudo é que não é difícil nem muito caro alugar um barco.

De barco pela albufeira

Perto do paredão na antiga casa dos engenheiros, transformada em Pousada de Portugal, podes informar-te sobre como alugar um barco. Agora lembra-te que é conveniente levar, para além do telemóvel, um rádio também, pois a albufeira de Santa Clara é bastante extensa, cheia de baías enormes onde entras e não é nada difícil perderes o norte.

Uma vez reunidas as condições de segurança, podes partir para a tua voltinha nas imediações. Porém, se quiseres ir mais longe, é recomendável que tu ou algum dos teus amigos tenha carta de marinheiro. Aí sim, o passeio pode ser até ao fim da albufeira, no Castro da Cola, que está a cerca de duas horas de caminho.

O Castro da Cola

É uma velha aldeia de origem romana que se desenvolveu também ao longo do período árabe. Talvez por isso, quis o imaginário popular criar lendas sobre assombrações, tesouros e mouras encantadas. Mas de facto o local não é assombrado, mas sim muito giro de se visitar.

O nome vem do latim (“Cola” significa colina) e assenta-lhe como uma luva, pois o que se vê são casas, ou melhor, castros que surgem na colina. Aproveita também para conhecer a ermita da Nossa Senhora da Cola onde muita gente vem pagar promessas.

Fim da visita, é tempo dos marinheiros se juntarem no barco e partirem.