Crescimento e Desenvolvimento do Bebê

Os bebês são as crianças quando estas se encontram no seu primeiro ano de vida. O bebê necessita do seu amor, atenção e carinho à medida que se vai adaptando ao mundo que o rodeia.

Os bebés têm as suas personalidades próprias especiais e com o decorrer do tempo passarão a ter uma identidade própria. Todos os bebés aprendem as mesmas capacidades. Mas, não haverá qualquer problema e será considerado “normal” que o bebê aprenda coisas em alturas diferentes dos outros bebês.

Não há uma forma correta de tratar do bebê. Poderá ajudar o bebé a crescer feliz, saudável, confiante e ajudá-lo a obter uma auto-estima positiva (ter opinião positiva de si próprio). A aprendizagem dos gostos do bebê assim como de tudo o que ele não gosta e os cuidados tidos com ele demonstrarão ao bebê que os pais o amam.

Crescimento e desenvolvimento físico

O bebê passa por um período maior de crescimento nesta fase da vida do que nas outras alturas da sua vida. Os médicos mantêm um registo da forma como o bebé está a crescer num gráfico de crescimento durante os exames de rotina do bebé.

O bebê duplicará o seu peso de nascença quando tiver entre 4 a 6 meses de idade. O peso do bebé estará triplicado em relação ao peso de nascença quando o bebé alcançar os 12 meses.

O bebê crescerá cerca de 2,54 a 4 cm por mês. Razão pela qual deverá atingir o dobro do comprimento de nascença quando chegar aos 10 a 12 meses de idade.

A cabeça do bebê continuará a parecer um pouco desproporcionada em relação ao corpo. Mas, com o decorrer do tempo o crescimento do corpo acompanhará o crescimento da cabeça. A cabeça do bebé crescerá cerca de 1,25 cm por mês durante os primeiros 6 meses.

Os dentes começarão a surgir entre os 4 e os 6 meses, sendo os 2 dentes centrais inferiores os primeiros a surgir. De seguida começarão a aparecer os dentes centrais superiores, por volta dos 7 meses.

Os dentes laterais superiores e inferiores surgem por volta dos 9 aos 11 meses. O bebé terá entre 6 a 8 dentes no final do seu primeiro ano de vida.

Começará a notar a existência de um padrão (horário) para defecar e para urinar. No entanto, o bebé ainda não estará preparado para começar a utilizar a sanita.

Movimento (Controlo e capacidade corporal)

Os reflexos automáticos, como o reflexo de aperto, começarão a desaparecer por volta dos 2 meses. De seguida começará a reparar que as acções do bebé têm um objectivo. Descrevem-se a seguir algumas das coisas que o bebé conseguirá fazer durante esta fase da sua vida.

Por volta dos 2 a 3 meses de idade, a criança deverá ser capaz de levantar a cabeça quando estiver deitada de barriga para baixo. No entanto, continue a apoiar-lhe a cabeça até os músculos do pescoço estarem mais robustos, por volta dos 4 meses de idade.

Entre os 4 e os 6 meses, a criança deverá ser capaz de se sentar com o apoio dos pais. Poderá também ser capaz de rolar, virando-se de lado e dando meia volta virando-se da barriga para as costas.

Por volta dos 6 a 8 meses de idade, o bebê deverá ser capaz de erguer a cabeça sem qualquer tipo de apoio.

Entre os 8 e os 10 meses de idade, o bebê deverá começar a gatinhar. Começará a colocar-se numa posição erecta apoiando-se nos móveis.

Entre os 10 e os 12 meses de idade, o bebé começará a andar agarrando-se aos móveis. O bebé deverá, também, começar a caminhar sozinho mas sem ter ainda um equilíbrio perfeito.

Movimento (Capacidade das mãos e dos dedos)

Este tipo de movimentos caracterizam-se pelo facto do bebé conseguir controlar os seus dedos tendo um objectivo definido. O reflexo de aperto começa a desaparecer e o bebé começará a abrir as mãos decorrido cerca de 1 mês. O bebê conseguirá agarrar num chocalho por volta dos 3 meses mas não o tentará apanhar.

Entre os 4 e os 6 meses de idade, o bebè terá desenvolvido alguma coordenação motora e visual (será capaz de ver e agarrar objectos). Conseguirá agarrar em objectos e trazê-los com as mãos até perto do rosto e da boca. Conseguirá ainda abrir e fechar as mãos de forma a conseguir agarrar e observar os objectos.

Por volta dos 7 meses, o bebé conseguirá deixar cair o objecto da mão. O bebé, conseguirá ainda passar um objecto de uma mão para a outra.

Aos 9 meses de idade, os pais já conseguirão verificar se o bebé é canhoto ou destro.

Aos 12 meses de idade, o bebé conseguirá colocar objectos num recipiente e virar as páginas de livros.

Atividades higiénicas diárias

O bebê já deverá ter um horário regular de sono, de alimentação e um horário para brincar quando atingir os 3 meses de idade.

Estabeleça uma rotina (horário regular) de sono e de alimentação. A rotina é bastante importante para haver a certeza que tanto a mãe como o bebé estão a descansar o suficiente e a alimentar-se bem.

O bebê começará a dormir entre 7 a 8 horas durante a noite quando alcançar os 3 meses de idade. Começará também a passar mais tempo acordado durante o dia. O bebé poderá dormir 2 vezes durante o dia mas continuará a dormir 10 horas por noite quando atingir os 10 meses de idade.

Os hábitos e os rituais, como a leitura de uma história ou o banho antes de ir dormir, passam a ser importantes. Estes rituais ajudam o bebé a sentir-se seguro e a saber o que irá suceder-lhe. A prática de rituais poderá ajudar o bebé caso este tenha dificuldade em adormecer.

O bebê começará gradualmente a beber mais leite. 115 ou 135 gr. de leite poderão ser suficientes durante cada amamentação no segundo mês. No entanto, o bebé poderá necessitar de tomar 135 a 155 gr. por cada amamentação quando atingir os 4 meses de idade.

O bebé não precisa de comer alimentos sólidos antes de atingir os 6 meses de idade. O leite materno ou o leite em pó constituem uma alimentação suficiente (calorias, proteínas e vitaminas) para o bebé durante cerca de 6 meses.

O bebê pretenderá alimentar-se a si próprio por volta dos 6 meses. Isto poderá tornar-se complicado até que a coordenação visual e motora do bebé se desenvolva.

Desenvolvimento da linguagem

O bebê aprende a falar imitando as palavras e os sons emitidos pelos pais. Fale, leia e cante para o bebé utilizando um tom de voz suave e meigo. Utilize, também, diferentes tons de voz.

O bebé terá aprendido algumas capacidades básicas de linguagem no final do seu primeiro ano de vida. E deverá já ser capaz de pronunciar algumas palavras simples.

Durante a primeira fase deste período, o bebé conseguirá chamar a atenção dos pais chorando, sorrindo, rindo e utilizando movimentos corporais.

Quando chegar aos 2 meses de idade, o bebé tentará emitir algumas vogais. Começará a palrar quando tiver 4 meses de idade. Depois, o bebé começará a imitar os sons das consoantes, como n, k, g, p, b.

Por volta dos 6 meses de idade, o bebé começa a imitar sons em palavras de uma sílaba, como por exemplo, ma ou pa. Depressa o bebé conseguirá juntar 2 sílabas como papa, mamã ou baba.

Entre os 9 e os 12 meses de idade, o bebé começa a compreender o significado de algumas palavras e comandos simples. Depressa compreenderá o que significa a palavra não ou dá-me. Também começará a saber distinguir alguns objectos pelo nome, como uma bola ou uma chávena.

Desenvolvimento intelectual

O cérebro do bebê cresce e desenvolve-se de forma mais rápida durante este primeiro ano de vida do que em qualquer outra altura. Dê ao bebé objectos diferentes para ele observar, ouvir e sentir. Estabeleça contacto visual (olhe o bebé nos olhos) sempre que falar com o bebé.

Limite a quantidade de tempo em que coloca o bebé perante uma televisão. Brincar com o bebé e ler-lhe histórias são actividades muito melhores de lhe ensinar coisas do que permitir que passe horas sentado em frente à televisão.

Tente brincar com o bebé mostrando-lhe um brinquedo, escondendo o brinquedo e depois ajudando o bebé a encontrá-lo. Em alternativa, mostre-lhe como funcionam os brinquedos. O bebé deverá ser capaz de executar as acções seguintes no final do seu primeiro ano de vida.

Quando tiver 2 meses, os olhos do bebé estarão mais coordenados (movimentos mais delicados) e conseguirão focar melhor os objectos.

Aos 3 meses de idade, o bebé deverá ser capaz de seguir os objectos com os olhos, à medida que aqueles são deslocados. O bebé poderá mesmo chegar a agarrar ou tocar em objectos que estejam à sua frente.

A coordenação entre as mãos e os olhos começa a desenvolver-se aos 4 meses de idade. Dê ao bebé brinquedos ou imagens de cores claras para que ele possa observá-los.

Aos 3 meses de idade, o bebé começará a interessar-se por tudo o que o rodeia, sendo já capaz de reconhecer sons familiares. O bebé começará a sorrir ao som da voz dos pais, virando a cabeça em direcção ao som familiar. Por volta dos 7 meses de idade, o bebé será capaz de reconhecer o seu próprio nome.

Aos 6 meses de idade, o bebê começará a reconhecer os objectos familiares e a reagir a situações ou pessoas estranhas ou pouco familiares. Aprenderá também que os objectos são permanentes (a longo prazo) e procurará em seu redor qualquer objecto que deixe cair. O bebê começa nesta altura a apreciar os jogos como, por exemplo, as escondidas.

Relacionamento familiar e social

As pessoas mais importantes na vida do bebê são os pais, porque lhe transmitirão uma sensação de segurança e de protecção.

Aos 6 meses de idade, o bebê compreende que é um ser individual, separado dos pais e das outras pessoas. Este conhecimento faz o bebê sentir a ansiedade da separação. Isto significa que o bebè chora e sente receio sempre que os pais não estão com ele ou sempre que não consegue ver os pais.

A ansiedade perante estranhos começa a surgir por volta dos 6-7 meses. É normal o bebê sentir receio dos estranhos nesta idade.

Peça à pessoa nova que fale com o bebê de forma suave sem olhar imediatamente para os olhos do bebê. E, se possível, tente não deixar o bebê sozinho junto de pessoas estranhas.

Desenvolvimento emocional e da personalidade

Ao reagir às disposições (sinais) do bebé estará a indicar-lhe que os pensamentos e sentimentos dele são importantes para si. Estará assim a ajudar o bebé a criar a sua própria auto-estima. Não se preocupe com o facto de poder mimar o bebé dando-lhe demasiada atenção.

Estará a transmitir ao bebé uma sensação de segurança e de confiança sempre que o confortar de forma rápida e consistente quando o conforto lhe for solicitado.”

Como poderei manter o bebê seguro durante este primeiro ano de vida?

O bebê poderá colocar-se em situações perigosas à medida que for explorando o mundo que o rodeia. Descrevem-se a seguir algumas formas de evitar acidentes.

Marque e compareça às consultas com o pediatra do bebê para que sejam efectuados todos os exames médicos de rotina e para serem administradas todas as vacinas.

Deite o bebê de barriga para o ar para dormir.

Mantenha todos os medicamentos, produtos de limpeza e outros químicos domésticos fechados e fora do alcance da criança. Tenha os xaropes adequados sempre à mão caso sejam necessários para uma emergência.

Mantenha afastados objetos pequenos que possam provocar o engasgo do bebê. Entre estes incluem-se alimentos como cachorros quentes, uvas inteiras, cenouras cruas inteiras, aipos crus, amendoins, pipocas, batatas fritas ou rebuçados. Corte todos os alimentos em pedaços pequenos.

Não se esqueça de tornar a casa segura para crianças, caso ainda não o tenha feito. Utilize fechos de segurança, portas de segurança e proteções nas janelas para evitar acidentes e quedas. Os detectores de fumo e de monóxido de carbono também são importantes.

Mantenha fósforos, isqueiros e armas (carregadas) fechadas e fora do alcance do bebê.

Nunca deixe o bebê sozinho em casa. De igual modo, nunca deixe o bebé sozinho dentro do carro. A temperatura dentro do carro poderá alterar-se substancialmente. E, nunca deixe o bebé sozinho junto de água.

Nunca deixe o bebê sozinho em locais elevados como uma mesa de mudança, o sofá, uma cadeira ou na cama. Tenha sempre uma mão em contacto com o bebé e nunca se afaste dele quando o bebé estiver num local mais elevado.

Não utilize andarilhos. São perigosos e já têm provocado ferimentos graves e mesmo a morte por terem caído pelas escadas abaixo.

Use sempre cadeiras especiais para automóveis da forma correcta. Coloque a cadeira para automóveis no assento traseiro do veículo virada para a frente.

Nunca coloque o bebê num assento dianteiro que tenha um airbag de segurança. Muitos pais deixam de colocar o bebê numa cadeira especial para automóveis demasiado cedo.

Consulte o ABC relativo à utilização de cadeiras especiais para automóveis. Peça também ao pediatra mais informações sobre a altura adequada para que a criança deixe de precisar de utilizar as cadeiras especiais para automóveis. Poderá também contactar a Direcção Geral de Viação para obter mais informações.

Para evitar que o bebé fique sufocado, não prenda chupetas nem outros objectos à cama ou ao corpo da criança utilizando um fio ou uma corda. Mantenha os objectos pequenos afastados do bebé.

Entre estes incluem-se brinquedos ou animais de pelúcia que sejam constituídos por pequenas peças amovíveis. O bebé poderá sufocar caso brinque com sacos de plástico. Nunca deixe sacos ou embalagens de plástico em locais onde o bebé os possa alcançar.

Mantenha o bebê em zonas sem fumo de tabaco. Não permita que pessoas fumem junto do bebé.

Para evitar a ocorrência de queimaduras, não pegue no bebê se estiver a fumar, a beber bebidas quentes ou a cozinhar. Não aqueça o biberão ou o leite materno no microondas.

A pele do bebê também é bastante sensível à luz solar. Mantenha o bebê protegido da luz solar directa de forma a evitar queimaduras solares.

Verifique a temperatura da água antes de colocar o bebê na banheira. Ajuste o esquentador da água para temperaturas inferiores a 48° C para diminuir as possibilidades de ocorrer uma queimadura acidental.

Nunca deixe o bebé sozinho na água. Não saia de junto do bebé para ir atender o telefone ou para ir abrir a porta. Deixe o telefone ou a campainha tocarem ou embrulhe o bebé numa toalha e leve-o consigo.

Mantenha o bebé recém-nascido afastado de pessoas que tenham uma constipação, gripe ou qualquer doença infecciosa (doença que possa ser contagiosa).

Contacte o pediatra caso o bebê pareça estar doente. A febre, a recusa em comer, os vómitos ou a diarreia (fezes líquidas) são boas razões para contactar os médicos.

Contacte também o pediatra se o bebé estiver mais inquieto ou mais tranquilo do que o normal ou se parecer estar ictérico (pele e olhos de cor amarelada).

Contacte também o pediatra caso esteja preocupada(o) ou se tiver questões a colocar relativas ao crescimento e desenvolvimento do bebê.

Como reagem os bebês ao facto de estarem doentes ou num hospital?

A ansiedade da separação e a ansiedade perante estranhos é bastante forte quando o bebê tiver cerca de 6 meses de idade. O bebê não consegue descrever a dor, nem a sua localização ou a sua intensidade. Descreve-se a seguir uma lista de sinais que lhe poderão indicar que o bebê está stressado (não está bem).

  1. Respiração e ritmo cardíaco bastante acelerados.
  2. Alimentação deficiente ou regurgitação (a comida vem à boca e é vomitada).
  3. Os olhos do bebé não olham para si ou o bebé está sempre a olhar para outro lado não querendo ser tocado.
  4. Maior inquietação do que o habitual ou apatia (o bebé não se mexe).
  5. Bastantes soluços, espirros e bocejos.
  6. Tremuras.
  7. Alteração cutânea passando da sua cor normal para uma cor avermelhada, pálida, acinzentada ou azulada.

Como poderá ajudar o bebê quando este estiver doente ou hospitalizado?

Descrevem-se abaixo formas de ajudar a diminuir o receio do bebê pelo facto de estar no hospital.

  1. Envolva-se nos tratamentos diários do bebé, ajudando a alimentá-lo, a dar-lhe banho, a vesti-lo e a mudar as fraldas do bebé. Tente manter um horário o mais semelhante possível com o de casa.
  2. Solicite a presença do mesmo médico ou enfermeiro de forma a diminuir o número de pessoas que tratam do bebé. Depressa o bebé reconhecerá o médico ou enfermeiro e não ficará tão receoso.
  3. Tente estar sempre presente quando o bebé estiver a receber tratamentos médicos. Pegue no bebé ao seu colo durante os procedimentos se tal for possível. Ajudará assim a acalmar o bebé e a fazê-lo sentir-se mais seguro. Conforte o bebé e apoie-o acariciando (tocando) o bebé e falando com ele de uma forma carinhosa.
  4. Certifique-se que o bebé tenha junto a ele objectos que lhe façam recordar os pais e sentir-se seguro, como, por exemplo, o seu cobertor. Deixe uma imagem sua ou uma gravação da sua voz para que seja reproduzida ao bebé, caso não consiga estar junto dele.
  5. Elogie o bebé sempre que tiver oportunidade de o fazer.