Bernd Schuster

Revisado por Andre a 28 outubro 2018

Bernd Schuster é um antigo jogador e atual treinador de futebol alemão. Nasceu em Augsburg, na Alemanha, a 22 de Dezembro de 1959. Depois de fazer a sua formação no Hammerschmiede e no clube da sua terra natal, o Augsburg, Bernd Schuster foi contratado pelo Colónia aos 19 anos. Envergou a camisola 10 e rapidamente se impôs como titular na equipa principal. Logo na sua temporada de estreia, ajudou o Colónia a chegar às semifinais da Taça dos Campeões Europeus, fase em que seriam eliminados pelo Nottingham Forest. A campanha europeia trouxe-lhe visibilidade e foi convocado para a seleção principal da Alemanha Ocidental.

Bernd Schuster Antes e Depois

No ano seguinte, Bernhard Schuster integrou a comitiva da Alemanha Ocidental, que participou no Campeonato Europeu de 1980. Na competição, a equipa germânica conquistou o título e Schuster destacou-se pela sua capacidade técnica e visão de jogo, sendo escolhido como jogador revelação da competição. No final da temporada, ficaria em segundo lugar na atribuição da Bola de Ouro, atrás do seu conterrâneo Karl-Heinz Rummenigge.

Na temporada seguinte, em 1980-1981 foi contratado pelo Barcelona. Esteve oito temporadas ao serviço dos catalães, impondo-se como um dos grandes ídolos adeptos do clube. Apesar de ser um jogador do setor intermediário do terreno, que tinha como ponto forte a construção de jogo, Schuster marcou 63 golos, só em jogos a contar para o campeonato, ao serviço do Barcelona. Na sua estadia na Catalunha conquistou um campeonato espanhol, três Taças do Rei, uma Supertaça de Espanha, uma Taça das Taças e duas Taças da Liga.

Em 1981, então com 21 anos sofreu uma lesão grave, provocada pelo internacional espanhol AndoniGoikoetxea, que o afastou do Campeonato do Mundo de 1982. Já em 1983, Bernd Schuster fez parte de um meio-campo mágico no Barcelona, atuando ao lado de Diego Armando Maradona. Esta equipa não conseguiu atingir voos mais altos, porque foi mais uma vez atingida por lesões. Desta feita, foi Maradona a sofrer uma lesão grave, curiosamente, provocada pelo mesmo Goikoetxea.

Apesar de a sua alcunha ser “Anjo Loiro”, Schuster colecionou problemas e discussões enquanto representou o emblema blaugrana. Os treinadores Helenio Herrera, Udo Lattek, TerryVenablese LuisAragonés tiveram problemas de relacionamento com ele. E nem o presidente do clube, JosepLluísNúñez escapou ao temperamento do alemão. Núñez prometeu um aumento de salário a Schuster e este exigiu que o presidente cumprisse o prometido. O conflito acabaria com o afastamento de Schuster durante toda a época 1986/1987.

Também na seleção da Alemanha Ocidental o feitio difícil de Schuster causou estragos. Em 1983 recusou a integrar uma convocatória para dois jogos importantes da seleção, nos quais estava em causa o apuramento para o Campeonato Europeu de 1984, por querer acompanhar o nascimento de um dos seus filhos. No início de 1984 ainda efetuou dois jogos pela seleção alemã, mas novos desentendimentos com responsáveis federativos, levariam a que apresentasse a resignação da seleção aos 24 anos.

Como consequência dos conflitos existentes com os responsáveis do clube, Schuster retaliou transferindo-se para o rival histórico do Barcelona, o Real Madrid. Nas duas temporadas ao serviço do Real, Schuster conquistou mais dois campeonatos espanhóis, uma Taça do Rei e uma Supertaça de Espanha. No final da sua segunda temporada, mais uma vez seria protagonista de problemas disciplinares, recusando-se a integrar uma digressão na América do Norte. Acabou por integrar a viagem, mas no regresso a Espanha foi afastado do plantel pelo presidente do clube.

Mais uma vez, Bernd Schuster resolveu vingar-se optando por sair para um rival. Transferiu-se para o Atlético de Madrid e ali somou mais duas Taças do Rei. No final da segunda temporada, desentendeu-se com Jesús Gil y Gil, o carismático presidente do Atlético de Madrid e viu as portas de saída abertas.

Por essa altura resolveu voltar ao seu país natal. Com 34 anos representou o Bayer Leverkusen que ficou em quarto lugar na Bundesliga. As exibições de Schuster encantaram os alemães e os três golos eleitos como os mais bonitos da competição, foram todos da sua autoria. Para finalizar a sua carreira, rumou ao México onde fez os seus últimos jogos como jogador de futebol profissional ao serviço do Pumas.

Em 1997 iniciou a sua carreira de treinador, ao serviço de um pequeno clube da Alemanha, o Fortuna Köln. De seguida treinou um clube da mesma cidade, o FC Köln. Ao falhar o objetivo de conduzir o clube à Bundesliga apresentaria a sua demissão. Voltou a Espanha em 2001, para treinar o pequeno Xerez CD. Apesar do sucesso que obtém, não consegue levar a equipa à primeira divisão espanhola e saí após duas temporadas.

Em 2003, foi convidado pelo Shakhtar Donetsk, no que foi o maior desafio da sua carreira de treinador até então. Ao serviço do clube ucraniano, Bernhard Schuster conseguiu uma brilhante consequência de vitórias, estabelecendo um novo recordo do clube. Contudo falhou a conquista do título e o apuramento para a fase final da Liga dos Campeões, sendo despedido antes do fim da temporada.

No verão de 2004, assumiu o comando do Levante. Apesar do bom começo, o presidente do clube despediu-o a cinco jogos do final da temporada, deixando o clube cinco pontos acima da linha de água. Curiosamente, após a sua saída, o Levante não ganharia mais nenhum jogo, acabando por ser despromovido. Na temporada seguinte orientou o Getafe, levando o pequeno clube madrileno ao sétimo lugar na Liga Espanhola e à final da Taça do Rei, após eliminar o Barcelona numa eliminatória histórica. Depois de ser derrotado por 5-2 na primeira mão, o Getafe conseguiu vencer por 4-0.

A 9 de Julho de 2007, Bernhard Schuster foi nomeado treinador do Real Madrid. Ao serviço do gigante de Madrid, Schuster conquistou um campeonato espanhol e uma Supertaça de Espanha. Apesar do sucesso alcançado, os problemas com os jornalistas foram frequentes, e em várias ocasiões o treinador alemão abandonou inesperadamente as conferências de imprensa. Os maus resultados no início da sua segunda temporada no Real Madrid, fizeram com que fosse afastado no início de 2008.

Em Junho de 2010, foi anunciado como novo treinador dos turcos do Besiktas. Apesar do grande investimento efetuado em reforços, o importante clube turco alcançou resultados dececionantes e Schuster acabou por se demitir em Março de 2011.

Galeria de Fotos:

Pesquisar Mais Famosos Antes e Depois de A a Z:

IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT