Nódulo ou bolha na vagina: Causas, Tratamento, Pode ser Câncer?

Por vezes dá-se o desenvolvimento de nódulos e bolinhas na vagina. Estes pequenos inchaços podem ocorrer por diversos motivos e normalmente causam dor e desconforto na região íntima. Normalmente ocorrem no interior da vagina ou na área externa, conhecida como vulva, que inclui os pequenos e grandes lábios vaginais, e o monte de vênus.

Quais são as causas?

Abaixo indicamos as causas mais comuns para o aparecimento dessas bolhas na vagina:

1. Cistos vaginais

Ao se formarem na parede vaginal, eles podem causar dor e desconforto extremo. Os cistos vaginais são uma protuberância semelhante a uma bolsa, que se desenvolve na parede vaginal. Existem vários tipos de cistos vaginais. Alguns deles contém pus, e outros, apenas ar ou tecido cicatricial. Os vários tipos incluem:

Cistos de Bartholin: São nódulos localizados em um ou ambos os lados da abertura vaginal que recebem o nome de bartolinite.

Cistos de endometriose (endometriomas): Neste caso, pedaços de tecido dão origem á formação de pequenos cistos na vagina.

Cisto de Gartner: Geralmente ocorrem durante a gravidez.

Cisto de inclusão vaginal: Geralmente resultam de um trauma provocado nas paredes vaginais, como após o parto por exemplo. A lesão causada faz com que o tecido fique preso sob a superfície da pele, resultando em um cisto.

Alguns cistos são grandes e dolorosos, no entanto, a maioria são pequenos e não apresentam sintomas.

2. Pólipos vaginais

Pólipos vaginais são supercrescimentos que ocorrem na pele, referidos como acrocórdons ou pólipos fibroepiteliais. Geralmente não requerem tratamento a menos que causem dor ou sangramento significativo.

3. Verrugas vaginais

As verrugas vaginais são causadas pelo papilomavírus humano (HPV), uma infecção sexualmente transmissível e um fator de risco importante para o desenvolvimento de câncer.

Pela sua localização, a mulher muitas vezes não as consegue identificar no interior da vagina, apenas no seu exterior. Geralmente parecem-se com pequenos crescimentos irregulares, possíveis de verificar com a ajuda de um espelho sob a vagina.

De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), a herpes genital é outra das infecções sexualmente transmissíveis que pode causar bolinhas nos genitais. As lesões causadas pelo herpes podem se assemelhar a um pelo encravado ou a uma espinha.

4. Câncer vaginal

O câncer vaginal raramente causa espinhas ou bolhas na vagina. Esses pequenos carocinhos podem ocorrer devido ao excesso de células cancerígenas presentes no revestimento das células da pele vaginal ou das células glandulares localizadas na vulva.

Outros sintomas de câncer vaginal incluem, sangramento e corrimento vaginal anormal. Em casos avançados o câncer vaginal pode originar prisão de ventre, dor pélvica, dor nas costas ou inchaço nas pernas. No entanto, nenhum destes sinais significa obrigatoriamente que a mulher tenha câncer.

Nódulo Ou Bolinha Na Vagina, Saiba O Que Pode Ser E Como Tratar

Quando consultar o ginecologista

A mulher deve consultar o ginecologista sempre que perceba alguma alteração física anormal na região vaginal, como pequenas bolinhas ou nódulos. É especialmente importante consultar o ginecologista caso os nódulos:

  • causem sangramento;
  • causem corrimento anormal ou fétido;
  • sejam dolorosos.

A maioria dos nódulos presentes na vagina não requerem tratamento invasivo, no entanto, o ginecologista necessita realizar uma avaliação para determinar a necessidade de tratamento adicional.

Como são diagnosticadas?

Para avaliar essas bolhas, o ginecologista geralmente examina a parte externa da vagina (vulva), juntamente com um exame físico. Normalmente é usado um cotonete que será enviado para laboratório em busca da presença de células nocivas.

Para facilitar o diagnóstico, o ginecologista pode solicitar alguns exames de imagem que podem incluir, ultrassonografia transvaginal ou um estudo radiológico abdominal.

Quais são as opções de tratamento?

O tratamento dos nódulos vaginais vai depender da causa subjacente:

Cistos

Na presença de cistos vaginais infectados, podem ser prescritos antibióticos para reduzir os efeitos da infecção. Também podem ser recomendados alguns tratamentos caseiros para realizar em casa e mudanças no estilo de vida, como:

Realizar banhos de assentos: O banho de assento envolve a mulher sentar-se durante alguns minutos em água morna. A mulher pode simplesmente sentar-se na banheira, ou comprar uma bacia própria para banhos de assento, que normalmente encaixa no vaso sanitário.

Analgésicos sem prescrição médica: Estes incluem medicamentos como o ibuprofeno e o paracetamol.

Evite também as roupas apertadas e não respiráveis: Use apenas roupas íntimas feitas com fibras de algodão naturais.

Evite relações e o uso de tampões: quando a mulher tem um cisto vaginal doloroso ou infectado, o uso de tampões ou a prática de relações pode agravar os sintomas e interromper a cicatrização.

Verrugas causadas ​​pelo HPV

A infecção causada pelo HPV não tem cura, no entanto, quando as verrugas causam sintomas desconfortáveis, o médico pode realizar a sua remoção. Os tratamentos de remoção incluem o congelamento ou a cirurgia a laser.

Câncer vaginal

Os quadros de câncer vaginal são tratados de várias formas, dependendo da evolução do câncer. Segundo a Sociedade Americana do Câncer, na presença de células pré-cancerígenas na vagina, o ginecologista pode recomendar tratamentos tópicos ou a cirurgia a laser para as destruir.

Em estágios avançados pode também haver a necessidade de remoção cirúrgica.

O tratamento também pode incluir:

  • Radioterapia;
  • Quimioterapia;
  • Medicamentos para impedir que as células cancerígenas se espalhem.

Com base na causa dos nódulos o ginecologista pode também recomendar outros tratamentos.

Conclusão

As bolinhas na vagina podem ser uma ocorrência normal e, geralmente não são dolorosas. No entanto, quando crescem em demasia, causam sangramento, dor, ou resultam em infecção, podem necessitar de tratamento.

Qualquer mulher que desenvolva nódulos vaginais ou tenha qualquer outro sintoma deve consultar o médico ou ginecologista.