BTT na Serra de Sintra

Revisado por Andre a 28 outubro 2018

Já pensaste em percorrer de cima a baixo a serra de Sintra montado numa BTT? É um gozo tremendo seguir por estradas rodeadas de árvores, visitar castelos e palácios com uma vista fabulosa, e sempre a pedalar.

O Começo

O objectivo é simples, trata-se de passear o dia inteiro de bicicleta pela serra.Ao longo de vários quilómetros, vai-se a todos os pontos importantes, sempre pela estrada, que é mais fácil. Também podes arriscar fazer o percurso por carreiros, mas então é bom que tenhas feito muito desporto durante muitos anos, pois vais precisar de muita força nas pernas.

Mas antes de pedalares por essa serra fora tens que tratar da logística que um passeio deste género requer, tal como uma mochila recheado de coisas para comeres, muita água e um cadeado para a bicicleta, que vai dar jeito durante as paragens para visitares os palácios e os castelos.

Dito e feito, começas a aventura logo de manhã junto à Vila de onde partes, seguindo a estrada que vai da Vila ao Palácio da Pena. Os primeiros dois quilómetros são para morrer, custam muito, pois a estrada é sempre a subir. Se ficares sem fôlego, desmonta e empurra a bicicleta à mão. Não foste a primeira e nem serás a última pessoa a fazê-lo, acredita. Lembra-te de ires sempre pela berma esquerda por causa dos automóveis, principalmente ao fim-de-semana. Como consolação, vais olhando para os muros cobertos de musgo e os portões das quintas que encontras até chegares lá a cima. Finalmente chegas a um desvio e voltas a encontrar estrada plana onde já podes montar outra vez, sem problemas.

Um Convento e um Santuário

Do desvio ao Convento dos Capuchos são cerca de quatro quilómetros e não custam muito a fazer, ou melhor, a pedalar. A estrada é ampla, o asfalto bom para rolar, sem buracos, e a paisagem distrai. Quando chegares, deixa a bicicleta à entrada, junto à casa do guarda, de preferência com cadeado, não vá o diabo tecê-las. O Convento dos Capuchos foi escavado na pedra por padres Franciscanos, e tem salas e quartos muito pequeninos, como se os homens daquela época fossem liliputianos. E como não podia deixar de ser, também há uma pequena capela, por sinal, muito bonita.

Depois do Convento dos Capuchos continuas viagem, e agora o destino é a Peninha. São mais seis quilómetros por uma estrada com boa vista, mas não te esforces muito, lembra-te que estás na serra. Toma atenção, porque mesmo antes de chegares ao Santuário da Peninha, atravessas uma pequena mata de Carvalhos onde a luz do sol tem dificuldade em penetrar e por vezes apanhas nevoeiro, um cenário característico de Sintra. Mesmo no topo da Peninha, há mais outro convento, que talvez mereça o esforço de lá ires, mais pela magnífica vista sobre toda a serra e o mar e as praias, do que propriamente pelo convento em si.

Um Castelo e um Palácio

Depois, tens que voltar a fazer todo percurso inverso estrada fora, até encontrares de novo o cruzamento onde acabava a subida que vinha da Vila. Continuas sempre em frente até chegares ao Castelo dos Mouros. Prepara-te porque agora, para além dos buracos, a estrada é de calçada. Ao chegares, pára e mete o cadeado na bicicleta. Passas pela porta giratória de madeira e entras no Castelo que Dom Afonso Henriques conquistou, há mais de 850 anos. A vista é excelente, mas para além das muralhas, não há muito para ver. Quando tiveres visto tudo, continuas a pedalar mais 600 metros até ao Palácio da Pena. Este sim, é imponente e bastante luxuoso, feito à imagem dos melhores palácios da Baviera (na Alemanha). Para visitá-lo precisas de pelo menos uma hora. Não é a pedalar, mas aqui também se sobe e desce, mas neste caso é sempre a pé.

Ah, e se não tiveres carro, fica a saber que podes levar a bicicleta no comboio da linha de Sintra. E para tal, só tens que comprar o bilhete.