-->Bursite da Anca - Tratamento, causas, sintomas, complicações e cuidados

Bursite da Anca (Quadril)

Publicado em 14/03/2011. Revisado por Dr. Davi Marinho de Araújo (Ortopedista - CREMEC 13177 / TEOT-SBOT 12704) a 18 dezembro 2018

A bursite da anca ou quadril é uma inflamação da bolsa da anca. Trata-se de um inchaço doloroso de uma bolsa. Uma bolsa é um saco com fluido, que age como almofada amortecedora de choques entre um tendão e um osso ou as estruturas envolventes.

Montagem

Um tendão é uma estrutura resistente e flexível, que liga os músculos aos ossos. Normalmente, uma bolsa tem uma pequena quantidade de fluido dentro dela. Quando magoada, a bolsa fica inflamada (vermelha e dorida) e pode ficar cheia com demasiado líquido.

Quando inflamada, apresenta aquelas manifestações inflamatórias, ficando vermelha, inchada e dolorosa, tornando difícil a mobilização da anca.

Existem diferentes tipos de bursite da anca, como por exemplo a trocanteriana ou trocantérica, a ísquio-glútea, a ílio-pectínea ou a do psoas. Cada uma diz respeito à inflamação de bolsas específicas que protegem o deslizamento de músculos e tendões localizados naquela área.

Causas da bursite da anca (quadril)

A bursite da anca pode ser provocada por um traumatismo directo, como o de uma queda, ou pela flexão e extensão excessivas desta articulação como, por exemplo, quando se anda de bicicleta.

Sinais e sintomas de bursite da anca

A dor é variável de acordo com o tipo de bursite presente. Pode estar localizada sobre a parte externa da anca e da coxa, ou apresentar-se inicialmente sobre a nádega e só mais tarde passar para a anca. A dor também pode estar presente na virilha e irradiar, de forma ligeira, para a anca oposta.

A dor pode piorar quando se faz pressão sobre a anca, ou se roda a anca e a perna para dentro à medida que flecte a anca. Pode também ficar pior quando se sentar ou fizer algum esforço, como por exemplo o de evacuar. A dor pode agravar-se durante a noite. Fazer pressão sobre a virilha pode piorar a dor. Poderá não ser capaz de mover a anca tão bem como antes, tornando-se mais difícil subir escadas.

Diagnóstico – Como se Diagnostica

O diagnóstico é clínico, ainda que exames auxiliares de diagnóstico como a Ecografia, a TAC (Tomografia Axial Computorizada) ou a RMN (Ressonância Magnética Nuclear), possam ser indispensáveis para o confirmar e localizar.

Cuidados a ter

A seguir, estão descritas algumas coisas que pode fazer para ajudar a evitar outra bursite:

Comece a fazer exercícios só quando o seu médico o autorizar. Não corra se tiver dores. Faça sempre exercícios de alongamento antes de se exercitar. Isto liberta os músculos e diminui a tensão sobre a anca. Mas não alongue em excesso, pois pode causar uma nova bursite.

Descanse entre os programas de exercícios. Faça exercícios de descontracção depois do esforço.

CONTACTE O SEU MÉDICO SE:

A dor e o inchaço aumentarem.
Desenvolver novos sintomas, inexplicáveis.
Tiver uma temperatura superior a 38° C.

Riscos e Complicações de bursite da anca

Ainda que de forma rara, uma inflamação inicial pode vir a transformar-se em infecção, com pús, o que justifica tratamento antibiótico orientado pelo seu médico.

Tratamentos

Cuidados Locais: A parte mais importante no tratamento de uma bursite é o descanso, até estar curada. Descansar a anca diminui o inchaço e evita que a bursite piore. Ler Também: Solução caseira para Bursite. Quando a dor diminuir, inicie movimentos normais e lentos. O gelo provoca a contracção dos vasos sanguíneos, o que diminui a inflamação.

Na fase aguda (inicial), coloque gelo moído num saco de plástico e cubra-o com uma toalha. Coloque-o sobre a anca durante 15 a 20 minutos, de hora a hora, enquanto for necessário. Não se esqueça do gelo, pois pode provocar uma queimadura pelo frio.

Cuidados Médicos: Se o seu médico achar necessário, poderão ser utilizados anti-inflamatórios ou analgésicos para as dores. Em casos mais graves e arrastados, com reduzida eficácia dos cuidados locais e dos medicamentos anteriores, poderá vir a ser necessário realizar uma infiltração da bolsa com esteróides, para curar a inflamação. Os médicos podem acrescentar um anestésico local aos esteróides.

Como estas injecções diminuem o inchaço e a dor, pode pensar que a bursite está curado e que pode voltar a fazer exercícios pesados. É importante não fazer este tipo de exercício enquanto o seu médico não o autorizar. Pode piorar a bursite se o fizer demasiado cedo.

O seu médico pode querer que faça fisioterapia para ajudar a bursite a curar-se mais depressa. Poderá começar a fazer exercícios para fortalecer os músculos e os tendões da anca. Os médicos poderão utilizar ultra-sons para aumentar o fluxo de sangue para a área lesionada. Isto, nalgumas circunstâncias, pode ajudar a curar a bursite mais depressa.

Os médicos podem usar a massagem para trazer calor à lesão, o que aumenta o fluxo sanguíneo. Isto pode ajudar a anca a curar-se mais depressa e melhor. Quando os médicos autorizarem, pode aumentar gradualmente a quantidade de peso que coloca sobre a anca.

Dir-lhe-ão para permanecer o máximo possível sem dores, à medida que a for utilizando mais. Poderão dizer-lhe para evitar dormir de lado sobre a bursite. Poderá ficar mais confortável se dormir de costas ou se dormir sobre o lado oposto ao da anca afectada, colocando uma almofada entre as pernas.

Saiba mais sobre:
A informação foi útil? Sim / Não

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.
Autores
Dr. Davi Marinho de Araújo (Ortopedista - CREMEC 13177 / TEOT-SBOT 12704)

Ortopedista e Traumatologista - CREMEC: 13177 TEOT(SBOT): 12704

O Dr. Davi Marinho de Araújo realizou a sua Graduação na Universidade Federal de Campina Grande, terminando o curso em 26 de abril de 2008. R. Aprigio Veloso, 882-Bodocongó Campina Grande PB (83) 2101 1000

Residência Médica

Ortopedia e Traumatologia : Serviço de Ortopedia e Traumatologia do Hospital Getúlio Vargas (2009,2010,2011) Av.Gen. San Martin-Cordeiro Recife-PE 50630-060.

Membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) - TEOT: 12704

Membro titular da Associação Brasileira Ortopédica de Osteometabolismo (ABOOM), e do Comitê de Doenças Osteometabólicas da SBOT.

Treinamento em cirurgia de Pé e Tornozelo no serviço de Ortopedia e Traumatologia da Clínica Alemana de Santiago-CH, International intership program at Traumatology Department, ankle and foot Unit with MD Cristian Ortiz as tutor.

Treinamento na Especialidade

CURSO INTERNACIONAL AO-HASTES INTRAMEDULARES, realizado no Windsor Barra Hotel Rio de Janeiro RJ, 20 a 21 de maio de 2009.

AO PRINCIPLES OF FRACTURE TREATMENT COURSE, realizado em Fortaleza CE , de 4 a 6 de agosto de 2011.

CURSO AO TRAUMA PE E TORNOZELO, realizado em INDAIATUBA SP, de 24 a 26 de ABRIL de 2014.

CURSO AO TRAUMA AVANÇADO, realizado em RIBEIRAO PRETO SP , de 19 a 22 de AGOSTO de 2015.

Atividades laborais

Hospital Antonio Prudente, Fortaleza CE, atendimento clínico e procedimentos cirúrgicos, departamento de ortopedia e traumatologia, serviço de pé e tornozelo.

Membro titular do comitê de Ética Médica do Hospital Antonio Prudente, Fortaleza - CE, eleito para o atual biênio por processo eleitoral.

Hospital Gastroclinica, Fortaleza CE, atendimento clínico em emergência e procedimentos cirúrgicos.

Governo do Estado do Ceará , Policlínica Regional de Caucaia, médico ortopedista e traumatologista aprovado em concurso público.

Consultório Vittacura: Av Desembargador Moreira, 760 Meireles - Centurion Business Center - sala 809.

Também pode encontrar o Dr. Davi no Linkedin e no Google.