Bursite do Tendão de Aquiles

Revisado por Reinaldo Rodrigues (Enfermeiro - Coren nº 491692) a 14 dezembro 2018

A bursite é um problema que se caracteriza pelo surgimento de um processo inflamatório nas bursas.

As bursas, também conhecidas como bolsas sinoviais, quando inflamadas provocam dor e dificuldade no uso da articulação afetada.

Bursite Do Tendão De Aquiles

Este é um problema que se desenvolve a partir da repetição de determinados movimentos, podendo por isso afetar qualquer articulação do corpo humano.

As articulações mais comummente afetadas são os cotovelos, ombros, quadris, joelhos, calcanhares e no dedo grande do pé.

Neste artigo iremos abordar a bursite do tendão de Aquiles, que ocorre na zona do calcanhar. Saiba mais sobre esta doença ortopédica.

Bursite do tendão de Aquiles

Existem dois tipos de bursite do tendão de Aquiles: a bursite anterior e a posterior. Cada uma delas está relacionada com a localização específica onde ocorre.

Assim, a bursite posterior do tendão de Aquiles é uma doença que se caracteriza pelo aparecimento de uma inflamação da bursa que se encontra entre o tendão e a pele, e que muitas vezes está relacionada com o desenvolvimento da deformidade de Haglund.

Esta deformidade consiste na formação de uma proeminência óssea no osso do calcanhar. (1)

Este problema ortopédico pode afetar tanto homens como mulheres, sendo no entanto mais comum nos elementos do sexo feminino, devido ao facto de ter como causa principal o uso incorreto de sapatos com salto alto.

A compressão repetida dos tecidos moles que se encontram por trás do calcanhar contra a parte rígida do sapato é uma das origens mais frequentes para o surgimento da bursite posterior do tendão de Aquiles.

Já a bursite anterior do Tendão calcâneo, conhecida como doença de Albert, caracteriza-se por uma inflamação da bursa localizada entre a articulação do tornozelo e o tendão.

Esta forma de bursite está mais relacionada com atividades que impliquem maior pressão sobre este tendão, sendo por isso habitual em atletas de competição.

Contudo, este problema pode também ser provocado pela artrite reumatoide ou por lesões no calcanhar, entre outras.

Sintomas

Sintomas De Bursite Do Tendão De Aquiles

Os sintomas da inflamação da bursa geralmente incluem dor, inchaço e alguma limitação funcional na articulação afetada.

Contudo, os sintomas podem variar um pouco tendo em conta o tipo de bursite. Assim, os sintomas da bursite posterior do tendão de Aquiles incluem:

– surgimento de uma mancha ligeiramente avermelhada, dolorosa e endurecida na zona superior e posterior do calcanhar;

– inchaço na zona do calcanhar, provocando dor;

– endurecimento do inchaço (caso a bursite se torne crônica).

Já a bursite anterior do tendão de Aquiles, sendo causado por uma lesão desportiva ou um esforço elevado e repetitivo sobre o tendão, tem os seguintes sintomas:

– inchaço;

– vermelhidão e ardor;

– dor na parte de trás do tornozelo, acima do calcanhar, especialmente quando pressionado.

Como diagnosticar

O diagnóstico da inflamação irá basear-se na observação clínica dos sintomas.

Além disso, tendo em conta que há outras doenças que podem causar alguns destes sintomas, é realizado um raio-x de modo a despistar fraturas ou mesmo danos ósseos provocados por doenças como a artrite inflamatória.

Depois de confirmado o problema, é então definido o tratamento mais adequado para o paciente. Confira de seguida como tratar o problema.

Tratamento

Tratamento Para Bursite Do Tendão De Aquiles

O tratamento para este problema ortopédico consiste essencialmente no controlo inicial do processo inflamatório através de alguns cuidados a serem realizados em casa, a toma de medicação, e logo que os sintomas comecem a diminuir, a realização de sessões de fisioterapia.

Para controlar a inflamação, o paciente deverá seguir os seguintes cuidados:

– Aplicação de gelo várias vezes ao dia, durante cerca de 20 minutos.

Espere sempre pelo menos 40 minutos entre cada aplicação de gelo. E não se esqueça, nunca coloque o gelo diretamente na pele.

– Quando estiver deitado, eleve o pé, um pouco acima do coração, de modo a promover a redução no inchaço.

– Evitar estar muito tempo em pé ou a caminhar, e se o fizer, deve usar canadianas. O repouso nesta fase é essencial de modo a impedir o agravamento da lesão.

Relativamente ao tratamento fisioterápico, este consistirá em:

– exercícios para melhor equilíbrio e flexibilidade;

– exercícios de fortalecimento muscular;

– mobilização da articulação;

– crioterapia no final dos exercícios, de forma a prevenir o ressurgimento da inflamação;

– adaptação da posição do pé no sapato, de modo a aliviar a pressão sobre o calcanhar.

A toma de medicamentos anti-inflamatórios pode ou não ser necessário, sendo geralmente prescrito quando as medidas anteriores não têm o efeito pretendido.

Assim, pode haver lugar à toma de anti-inflamatórios não esteróides, como por exemplo o ibuprofeno, ou injeções de soluções contendo anestésicos locais e corticosteroides na zona afetada.

Em certos casos, quando nenhum dos tratamentos anteriores for eficaz, pode ser necessária uma intervenção cirúrgica.

Esta normalmente tem como objetivo remover alguma massa óssea do calcanhar.

Tratamento caseiro

Alimentos Ricos Em Vitamina B12

Além do repouso, aplicação de gelo e elevação do membro afetado, há ainda algumas medidas que podem ser muito úteis para complementar o tratamento.

O consumo de alimentos ricos em vitamina B12 e minerais como o magnésio e cálcio é essencial para combater a inflamação e ajudar a aliviar os sintomas.

Assim, como parte do tratamento caseiro pode aumentar o consumo de alimentos como leite e derivados, aveia, banana, etc.