Calcitonina

Revisado por Equipe Editorial a 13 janeiro 2018

A calcitonina é um polipeptídeo secretado pelas células parafoliculares da tiróide (células C), sob o controle dos níveis séricos de cálcio, elevando-se frente a hipercalcemia. Seu papel fisiológico é muito questionado.

É um hormônio a que não correspondem síndromes de hiper ou hipofunção. Assim, nem a tireoidectomia total (onde a calcitonina está muita baixa) nem o carcinoma medular de tireóide (que eleva em muito os níveis de calcitonina) apresentam alterações metabólicas importantes do metabolismo mineral.

Útil na detecção de carcinoma medular de tiróide familiar, no qual os membros da família de pacientes afetados se beneficiam do screening com o ACTH, a malignidade oculta ou microscópica tem sido detectada em pacientes com glândulas tiróides normais à palpação e scanning por radioisótopos negativo.

O nível de calcitonina parece estar relacionado com a extensão do tumor e metástases. Também é utilizada na monitorização terapêutica e na detecção da recidiva da doença.

Como marcador tumoral a calcitonina pode estar elevada em carcinomas pulmonares e no carcinoma de mama. Outras patologias podem elevar os níveis de calcitonina como a insuficiência renal, anemia perniciosa, cirrose alcoólica, Síndrome de Zollinger-Ellison, Doença de Paget, gravidez e adenomatose endócrina múltipla.

Diversas substâncias elevam os níveis de calcitonina e podem ser usadas em testes dinâmicos. Além da infusão de cálcio, são utilizados para este fim a pentagastrina e o etano.