Caminha

Revisado por Equipe Editorial a 13 janeiro 2018

Adrenalina e muita emoção é o que de certeza irá sentir ao descer o rio Coura, em canoa, num percurso entre Vilar de Mouros e Caminha, percorrendo as paisagens mais bonitas da região. Este fim de semana, embarque neste emocionante safari fluvial!

A não perder em Caminha

Vale a pena dar um passeio pela deslumbrante bacia do rio Minho, que desagua no mar exactamente entre Caminha e o monte Santa Tecla, na margem espanhola. Outro lugar de visita obrigatória é a praia de Moledo, situada na foz do rio Minho. A última praia portuguesa do Norte antes de Espanha tem um magnífico pinhal e ondas muito apreciadas pelos surfistas.

Caminha possui ainda uma enorme riqueza histórica, arquitetónica e natural. Se tiver tempo, entre os monumentos a visitar, aconselhamos a Torre do Relógio, da época medieval, e a Igreja Matriz (sec. XV/XVI), de raiz gótica com traços manuelinos e renascentistas.

Onde fica localizada

Esta atraente vila situa-se no Norte de Portugal, na região do Alto Minho, a 90 quilómetros do Porto. É a primeira vila do litoral oceânico e a primeira terra portuguesa que faz fronteira com Espanha. Caminha surge entre o rio Minho e o rio Coura, seu afluente, que marca os limites da vila de nascente para norte, desembocando no primeiro que, também em Caminha, de norte para poente, vai terminando o seu percurso em direcção ao oceano Atlântico.

Beleza Natural

Caminha, banhada pelo rio Minho e pelo oceano Atlântico, é uma vila de rara beleza natural e arquitectónica. Terra de tonalidades de verde não só nas colinas ondulantes, mas também nos montes e férteis vales, onde a agricultura floresce, Caminha tem mar e rio, montanha e litoral.

A baía do Minho é um local de enorme beleza paisagística. Percorrendo o rio até à foz, numa curta viagem entre acácias e pinheiros, avista-se do lado de lá o imponente monte de Santa Tecla. No centro do rio, a fortaleza de Ínsua, mandada construir por D.João I sobre um ilhéu rochoso. Alberga dentro dos seus muros o Convento, a Igreja, o Farol e algumas casas.

Historia de Caminha

Habitada desde os tempos pré-históricos, Caminha terá surgido como uma colónia de pescadores. Em 1284, D. Dinis concede-lhe foral e ordena o reforço dos muros em volta da povoação. Em 1392, D. João I fê-la porto franco.

Importante porto de pesca nos séculos XV e XVI, desenvolveu-se um núcleo de construção naval e navegação de cabotagem, cujo objectivo era enfrentar a pirataria moura . Do porto de Caminha muitos foram os barcos que partiram em direcção a diversos pontos da Europa.

Afonso V, visando repovoá-la, torna-a “couto de homiziados”, ordena que para aqui sejam enviados reclusos e criminosos, medida que acabaria por ser reforçada por D. Manuel I e, mais tarde, por D. João III.

Em 1512, D. Manuel confirma o foral velho e procede à reconstrução do forte de Ínsua. Durante a guerra da Restauração (1640), a vila torna-se uma pequena praça de guerra. E, na fase final da guerra entre absolutistas e liberais, esteve em poder dos miguelistas.

Restaurantes – Faca & Garfo

Situada à beira-mar, os pratos de peixe fazem as honras da mesa. Entre os manjares típicos daquela vila destaca-se a solha seca frita, o sargo e o arroz de cabidela de lampreia. Em relação às sobremesas, podemos saborear ricos e variados doces tais como os sidónios, mocas e os pastéis de nata. Quantos a bebidas, os vinhos verdes e os Alvarinhos são muito apreciados.

Como chegar a Caminha

O IC1 faz a ligação do Porto até Viana do Castelo em aproximadamente 60 quilómetros. Depois, de Viana a Caminha, são apenas 25 quilómetros pela EN13.

Partindo de Lisboa, a A-1 faz a ligação até ao Porto pela E1. Depois, siga pelo IC1 em direcção a Viana do Castelo e apanhe a EN13 até Caminha. Caminha possui também estação de comboio.

Fora de Mão

Visite Viana do Castelo, uma das mais belas cidades portuguesas, situada a cerca de 24 quilómetros a norte de Caminha. Espalhada pela margem norte do estuário do rio Lima, Viana possui um excelente porto de mar, além de uma pequena marina. Percorrendo o Centro Histórico, encontrará magníficos edifícios que assinalam mais de 500 anos de história, e que representam correntes arquitectónicas tão variadas como o estilo Manuelino ou a Art Deco. A arquitectura das casas, tipicamente minhotas, a beleza da paisagem, a hospitalidade das suas gentes, bem como a deliciosa gastronomia, constituem o cartão de visita desta esplendorosa terra.

Sabia que

Segundo reza a história, o nome de Caminha provém de Camídio, provável fidalgo galego que, no ano de 950, encantado pela beleza natural daquele local, ali fundou uma aldeia com o seu nome, mais tarde convertido para Caminha.