Candidíase Crônica: Por que razão ocorre e como tratar

Infecção fúngica muito comum nas mulheres, a candidíase pode causar profundos incômodos. O desconforto aumenta quando o problema se torna regular e, aparentemente, sem fim. Essas reincidências são os aspectos que determinam uma candidíase crônica.

Para adquirir esse status (crônico), a infecção precisa se manifestar 4 ou mais vezes ao longo do mesmo ano. Normalmente, essa alta frequência de episódios está relacionada ao não tratamento da origem exata do problema.

É importante ressaltar que essa candidíase recorrente pode afligir homens e mulheres. Também é preciso salientar que esse processo infeccioso é influenciado pelo enfraquecimento do sistema imunológico do indivíduo. Nessas condições, o corpo fica vulnerável ao ataque de vários micro-organismos. Um deles é a Candida albicans, fungo causador da candidíase. Saiba como reconhecer e tratar a candidíase nos homens.

No caso da variedade crônica, a candidíase pode manifestar indícios da sua presença na boca e na região da vagina.

Apesar de crônica, ela pode ser tratada e eliminada. Para isso, é imprescindível que o médico consiga identificar a causa da infecção, combatendo diretamente a raiz do problema.

Candidíase Crônica

Por que razão ocorre

Abaixo descrevemos as possíveis causas para as infecções fúngicas crônicas:

Quando a infecção inicial não é completamente curada: Por vezes a infecção não responde á primeira terapia. Nestes casos o ginecologista ou urologista pode receitar antifúngicos de longa duração, que podem incluir a administração de medicamentos orais ou vaginais durante seis meses.

Disseminação da infecção: A candidíase pode ocorrer em muitas regiões da pele e até mesmo na boca, podendo ser disseminada através do simples contato pele a pele. É mais comum em mulheres que amamentam os seus bebês.

Atividade sexual: Embora não seja uma doença sexualmente transmissível, é possível transmiti-la para o parceiro. O uso de preservativos ajuda, principalmente quando algum dos dois teve uma infecções recorrente.

Umidade: Este fungo prospera em locais úmidos e quentes. Viver em ambientes úmidos, transpirar frequentemente e usar roupas íntimas úmidas colabora para o crescimento de fungos. De preferência a vestuário íntimo de algodão e a tecidos respiráveis.

Fungos resistentes a medicamentos: Embora não seja muito comum, algumas espécies de fungos são capazes de resistir ao efeito de alguns medicamentos. Quando a fungo não responde bem tratamento, o médico além de prescrever outro antifúngico define outras abordagens que podem incluir mudanças na dieta ou a toma de suplementos.

Como é feito o tratamento

A identificação da origem da candidíase é vital para a cura. O diagnóstico precisa ser conduzido minuciosamente, já que é a partir da eficácia deste estudo que o tratamento será efetivo.

A abordagem terapêutica da candidíase crônica geralmente é realizada com a administração de medicamentos orais ou aplicação de pomadas. A eficácia do tratamento dependerá da resposta positiva ou negativa do organismo à terapia. Caso os remédios sejam usados sem a identificação exata da causa da candidíase, a chance de ela ressurgir no futuro é grande.

De forma geral, o tratamento deve compreender as seguintes medidas:

  • usar peças do vestuário que sejam mais confortáveis;
  • manter a regularidade da prática de exercícios físicos;
  • manter a região genital longe de umidade;
  • melhorar os hábitos alimentares, passando a consumir fontes mais saudáveis;
  • limpar a área genital corretamente;
  • reduzir a ingestão de alimentos açucarados, já que o carboidrato serve de alimento para os fungos.

Por vezes, a candidíase crônica exige o uso de antibióticos específicos que devem ser consumido durante 6 meses. A frequência de administração costuma ser de 1 comprimido a cada 7 dias. No entanto o médico pode alterar essa dosagem, de acordo com a avaliação e gravidade do quadro do paciente.

Para conhecer mais opções terapêuticas consulte o guia: tratamento para candidíase na mulher.

Tratamento natural

Existem alguns recursos naturais que podem ajudar a impulsionar o tratamento da candidíase. Um dos remédios caseiros que costuma surtir efeito positivo é o chamado banho de assento, que pode ser preparado com o uso de bicarbonato de sódio, substância que promove o equilíbrio da taxa de pH vaginal. Esse reequilíbrio do pH é fundamental para impossibilitar que os fungos se reproduzam descontroladamente.

Outra ação natural que oferece bons resultados é a ingestão de fontes alimentares que contenham probióticos. O iogurte natural e sem a adição de açúcares é um desses alimentos, sendo responsável por favorecer a reconfiguração da microbiota vaginal.

Esse equilíbrio provoca o aumento das concentrações de micro-organismos benéficos ao organismo, complementando e maximizando o tratamento médico.

Sintomas da candidíase crônica

O paciente que esteja sofrendo de candidíase crônica costuma repetir a manifestação dos sintomas clássicos da doença, como:

  • corrimento esbranquiçado — nas mulheres;
  • sensação de queimação na genitália seguida de uma coceira acentuada;
  • formação de placas brancas na glande — nos homens;
  • dores no decorrer do ato sexual.

Os sintomas indicados acometem o órgão sexual de homens e mulheres. Na boca, a candidíase apresenta os seguintes indícios:

  • dores ou ardor após engolir os alimentos;
  • formação de placas brancas na boca e língua, com a possibilidade de se estender até a região mais posterior da cavidade oral.

A que especialista devo recorrer? O diagnóstico do problema pode ser efetuado com 3 diferentes especialistas:

  • pediatra — no caso de crianças;
  • urologista — especialista que atende os homens;
  • ginecologista — profissional voltado às mulheres.

Candidíase crônica na gravidez

Durante a gestação, a mulher está sujeita a manifestar um ou mais episódios de candidíase. Isso demonstra que a versão crônica não é assim tão incomum. Quando grávida, a mulher fica predisposta a sofrer algumas doenças que ocorrem devido à fragilidade natural do sistema imunológico.

Essa baixa da imunidade também pode ser acompanhada de um desequilíbrio do pH vaginal. Dessa forma, cria-se um campo fértil para o aumento reprodutivo de diversos micro-organismos, incluindo o fungo Candida albicans.

Como a gravidez é um momento tão delicado, é importante que a mulher com candidíase seja tratada o mais rapidamente possível, objetivando sempre em preservar a saúde do feto, que pode ser contaminado pela doença após a mãe dar à luz, durante o parto vaginal.

Para se precaver contra a candidíase crônica, a mulher grávida precisa usar somente roupas soltas e confeccionadas em algodão, especialmente a roupa íntima. Naturalmente, ela também deve, mais do que nunca, manter bons hábitos higiênicos, seja em relação à vagina ou à boca.

VOLTAR PARA »
A informação foi útil? Sim / Não

Ajude-nos a melhorar a informação do Educar Saúde.

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.

Candidíase Crônica: Por que r…