Carcinoma Basocelular

Revisado por Equipe Editorial a 13 janeiro 2018

O carcinoma basocelular ou basalioma é um cancro da pele de crescimento lento, (trata-se de um tipo de cancro da pele em indivíduos de raça branca por demasiada exposição ao sol). Um cancro da pele surge quando as células cancerosas se formam nas camadas da epiderme. As células normais dividem-se de forma planeada, produzindo mais células apenas quando é necessário. Mas as células cancerosas dividem-se sem qualquer tipo de controlo ou ordem, provocando frequentemente um nódulo. Este nódulo é designado por tumor. Algumas células cancerosas espalham-se para outras partes do corpo, mas as células do cancro basocelular raramente o fazem. Grande parte dos cancros da pele surge em indivíduos com idades entre os 40 e 50 anos. O basalioma surge em indivíduos de pele clara e cabelo claro que se expõem demasiado ao sol. Agricultores, trabalhadores rurais e praticantes de golfe são bons exemplos de indivíduos com maiores probabilidades de apanharem cancro da pele. O carcinoma basocelular é o tipo de cancro da pele mais comum nos indivíduos de raça branca. Os indivíduos de raça negra raramente sofrem de cancro da pele.

Causas do carcinoma basocelular (basalioma)

A principal causa do cancro da pele é a exposição aos raios ultra-violeta (UV) provenientes do sol. As lâmpadas solares e os solários que utilizam raios UV artificiais também podem provocar cancro da pele. É impossível apanhar cancro por contágio de outra pessoa. Pessoas que tenham lidado bastante com determinados químicos têm mais probabilidades de apanhar cancro da pele. Estes químicos são o alcatrão de hulha, resina, creosoto, arsénico ou o rádio. Os indivíduos com um sistema imunitário debilitado também correm mais riscos. Os indivíduos poderão ter um sistema imunitário debilitado se tiverem sido submetidos a um transplante de órgãos ou possuírem determinado tipo de doenças.

Sinais e sintomas do carcinoma basocelular (basalioma)

O sinal de aviso mais comum é uma ferida que não revela tendência para a cura ou o aparecimento de um nódulo na pele, designado como tumor. Este tumor tem geralmente um aspecto liso, brilhante, claro ou ceroso. Outro tipo de nódulo assemelha-se a uma cicatriz. O nódulo semelhante a uma cicatriz apresenta habitualmente um aspecto avermelhado e duro. O carcinoma basocelular surge com grande frequência no pescoço, na face ou nas costas das mãos uma vez que é a pele que apanha mais sol. O cancro da pele também surge com alguma frequência nos braços, peito e parte superior das costas. Muitas mulheres apanham cancro da pele no peito.

Diagnóstico – Como se Diagnostica:

O cancro da pele diagnostica-se por biópsia da pele. Poderá começar por fazer uma biópsia cirúrgica em que lhe é removida uma parte do tumor ou da úlcera. O tecido é enviado para um laboratório para lhe serem efectuados exames e verificar se há células cancerosas presentes. Se forem descobertas células cancerosas são efectuados outros exames para descobrir que tipo de cancro é e qual o seu crescimento.

Cuidados a ter:

Mantenha uma lista escrita dos medicamentos que está a tomar, das alturas e das razões pelas quais os está a tomar. Leve sempre consigo a lista dos medicamentos ou os frascos dos medicamentos quando tiver consultas com os seus médicos. Saiba porque está a tomar cada um dos medicamentos. Peça ao seu médico mais informações sobre os medicamentos. Não tome medicamentos, medicamentos de venda livre, vitaminas, ervas ou suplementos alimentares sem antes falar com o seu médico. Tome sempre os medicamentos da forma prescrita pelo médico. Contacte o seu médico se achar que os medicamentos não o estão a ajudar ou se sentir efeitos secundários. Não deixe de tomar os remédios antes de falar com o seu médico. Se estiver a tomar antibióticos, tome-os até terminar mesmo que se sinta melhor. Se estiver a tomar medicamentos que o façam sentir sonolento, não conduza nem utilize equipamentos pesados.

Consulta:. O seu médico poderá ter a intenção de o ver pelo menos de três em três meses durante o primeiro ano. Depois, a periodicidade das visitas poderá aumentar para os seis meses durante os quatro anos seguintes. Anote quaisquer perguntas que possa ter relativamente ao cancro e ao método de tratamento. Desta forma não se esquecerá de as fazer durante a visita seguinte.Cuidados com a pele: Há diversas formas de proteger a pele de forma a mantê-la saudável. Uma pele saudável protege-o do calor, da luz, das infecções e dos ferimentos. A pele ajuda ainda a armazenar água, gorduras e vitamina D.

NÃO utilize solários. São tão prejudiciais à pele quanto o sol.

Procure novos nódulos na pele uma vez por mês:
Um sinal é um nódulo pequeno e escuro na pele. Entre os 30 e os 40 anos costumam aparecer inúmeros sinais normais. Um sinal que apareça após os 30 anos de idade deverá ser cuidadosamente observado para verificar se aconteceram alterações. Conheça o aspecto das suas marcas de nascença e dos sinais.

Verifique todas as partes do corpo. O melanoma pode crescer numa pele que não esteja exposta ao sol. Entre estas inclui-se o couro cabeludo e a pele entre os dedos dos pés e das nádegas. Procure ainda por sinais nas palmas das mãos, nas solas dos pés ou nos lábios e gengivas. A melhor altura para procurar esses sinais é após um duche ou banho. Certifique-se de que o faz num compartimento com uma boa luminosidade. Utilize um espelho de corpo inteiro ou um espelho que consiga segurar.

Proteja a sua pele dos raios ultra-violetas (UV) do sol:

Use protector solar com, pelo menos, um FPS (factor de protecção solar) de 15. Também deve proteger contra os raios UVA e UVB Não é necessário adquirir uma marca de protector solar cara. Uma marca mais barata terá o mesmo efeito desde que tenha o factor de protecção solar 15 e tenha protecção contra o UVA e o UVB

Siga as indicações da etiqueta quando utilizar o protector solar.
Espalhe o protector solar pelo menos 30 minutos antes de se expor ao sol.
Volte a aplicar mais protector solar na pele que esteja exposta ao sol durante mais de uma hora.
Do mesmo modo, volte a aplicar protector solar se for nadar ou se ficar suado.
Não se exponha ao sol entre as dez da manhã e as três da tarde. É a altura em que o sol está mais forte e mais danos pode causar à pele. O sol é mais forte no verão. Mas a reflexão do sol na neve, no cimento ou na areia também pode ser prejudicial.

Utilize protectores para os lábios. Muitos batons e bálsamos possuem protector solar na sua composição.
Utilize camisolas de manga comprida e calças para proteger os braços e pernas quando estiver no exterior, exposto ao sol. Utilize um chapéu de abas largas para proteger a cara e o pescoço.

Siga estas regras simples para se lembrar facilmente de proteger a pele:

Afaste-se do sol ou proteja a pele sempre que a sua sombra for mais pequena do que você.
Coloque um protector solar sempre que puser os seus óculos de sol. Utilize óculos de sol com protecção UVA e UVB.
Vista uma t-shirt, coloque protector solar e ponha um chapéu!

É difícil aceitar que se tem um cancro. Poderá, bem como os seus familiares, sentir-se furioso, triste ou assustado. São sentimentos normais. Fale com os médicos, com familiares ou com amigos sobre os seus sentimentos e deixe-os ajudá-lo. Encoraje os que lhe são mais chegados a falar com o seu médico sobre o modo como estão a lidar com a situação em casa. O médico poderá ajudar a família a compreender a melhor forma de apoiar a pessoa com cancro.

Riscos e Complicações do carcinoma basocelular (basalioma)

Alguns tratamentos provocam efeitos secundários desagradáveis. É possível apanhar uma infecção ou sangrar em demasia durante uma biópsia do tumor. Mas as possibilidades de evitar que o cancro se dissemine são maiores se for tratado. Os riscos deste tipo de cancro da pele são diminutos. Mas se o cancro não for tratado, poderá disseminar-se para outras partes do corpo. Assim que o cancro se tiver disseminado, poderão ocorrer problemas ainda piores. Contacte o seu médico se estiver preocupado ou tiver alguma questão a colocar relativa ao tratamento ou aos medicamentos.

Tratamento do carcinoma basocelular (basalioma)

O tumor ou úlcera pode ser retirado utilizando o calor, cirurgia, terapia laser ou o congelamento. O carcinoma basocelular também pode ser tratado com radiação ou quimioterapia. Se for retirada uma área grande de pele, poderá necessitar de um enxerto de pele para ajudar a fechar e a cicatrizar a ferida.

Opções de tratamento: O tratamento poderá ser alterado se o cancro não estiver controlado. Isto só é decidido depois de lhe serem feitos exames. Poderá ter de efectuar alguns dos seguintes tratamentos, individualmente ou em conjunto:

Criocirurgia: Um químico designado por nitrogénio líquido é colocado no tumor. Este químico congela a pele e mata as células cancerosas. Quando a pele descongela, a pele morta cai. Poderá ser necessário realizar esta criocirurgia mais do que uma vez para eliminar totalmente o cancro. O congelamento da pele não costuma ser doloroso. Mas após o descongelamento da pele, esta poderá tornar-se dolorosa e inchar. Após a recuperação total da pele tratada poderá ficar visível uma cicatriz branca.

Curetagem e Electrocoagulação: É um tipo de cirurgia que poderá ser necessário efectuar mais do que uma vez para tratar o cancro da pele. O tumor (nódulo) é removido com uma ferramenta afiada, em forma de colher, designada por curetagem. É então utilizada electricidade para aquecer uma agulha que pára a hemorragia e mata todas as células cancerosas ainda existentes. É designada como electrocoagulação. A agulha não envia electricidade para o corpo. Após a recuperação total da pele tratada poderá ficar visível uma cicatriz branca.

Cirurgia de Moh: Esta cirurgia retira apenas a pele com células cancerosas e a menor quantidade possível de tecido saudável. São extraídas pequenas camadas do tumor, uma de cada vez. É utilizado um microscópio para observar cada camada de pele e verificar se há células cancerosas. Isto é feito até o tumor desaparecer. É utilizada em tumores grandes ou profundos e em tumores situados em locais de difícil tratamento. O tamanho da cicatriz na pele depende do tamanho da área tratada.

Terapia a Laser (laserterapia): É utilizado um feixe estreito de luz para retirar ou matar as células cancerosas. Pode ser utilizada para tratar tumores nas camadas externas da pele. Poderá ser necessário proceder a anestesia para adormecer a pele antes da terapia. Normalmente as cicatrizes na pele provocadas pela terapia laser são bastante pequenas. Mas poderá sentir dores na pele tratada, até esta curar totalmente.

Enxerto de pele: Para efectuar um enxerto de pele retira-se uma zona fina de pele saudável de qualquer parte do corpo. Faz-se um enxerto de pele porque podem ficar feridas ou cicatrizes após a remoção de um tumor grande ou profundo da pele. Por isso, é posteriormente colocado um pedaço de pele saudável no local onde o cancro foi retirado. Um enxerto de pele pode ajudar a fechar a ferida e a diminuir a quantidade de cicatrizes.

Quimioterapia tópica: Tópica significa que a quimioterapia é colocada na pele como loção ou creme. Este medicamento é utilizado para tratar o cancro situado nas camadas externas da pele. A quimioterapia tópica é aplicada no tumor para matar as células cancerosas. A pele pode ficar dorida e parecer bastante avermelhada enquanto está a ser tratada. Mas a pele tratada não costuma ficar com cicatrizes.

Radiação: É a utilização de raios x ou raios gama para tratar o cancro. A radiação mata o cancro e impede que este se espalhe. Impede ainda que as células cancerosas se dividam em novas células que é uma das formas do cancro se espalhar. No cancro da pele, a radiação é utilizada para tratar tumores em áreas mais complicadas. Os cancros de pele nas pálpebras, na ponta do nariz ou no ouvido podem ser tratados com radiação. Este tipo de terapia pode provocar prurido na pele ou fazer com que esta fique avermelhada ou seca. Características da pele, como a sua cor, poderão alterar-se passados alguns anos após ter sido tratada com radiação.

Foto de um carcinoma de células basais