Carne de pato: é uma escolha saudável? Conheça os Benefícios e Nutrientes

Revisado por Drª Raquel Pires (Nutricionista - CRN-6 nº 23653) a 22 novembro 2018

A carne de pato é uma das carnes menos consumidas no mundo ocidental. No entanto, será uma escolha saudável ou deve ser evitada? Este artigo examina o perfil nutricional, os benefícios e os potenciais negativos desta carne.

O pato é uma ave especialmente prevalente na China, o lar do “pato à Pequim” ou “pato laqueado”. A China é de longe o maior produtor mundial de carne de pato, produzindo cerca de 65% do total distribuído em todo o mundo. Depois da China, a França é o segundo maior produtor e os Estados Unidos estão na nona posição (12).

Embora não seja uma das carnes mais populares no mundo ocidental, o seu consumo tem aumentado nos últimos anos. O “pato à Pequim” é o prato de pato mais conhecido em todo o mundo.

Geralmente tem um maior teor de gordura quando comparada a outras aves, como o frango e o peru, e a sua carne tem uma cor mais escura. No entanto, embora em estado bruto a carne seja vermelha, ela é considerada uma carne branca.

Relativamente ao sabor, podemos dizer que tem um paladar bem mais forte que o frango e o peru. E, tal como em muitos outros alimentos, o maior teor de gordura contribui positivamente para o seu perfil e sabor.

Carne De Pato é Uma Escolha Saudável, Conheça Os Benefícios

Composição nutricional

As tabelas abaixo indicam os valores nutricionais completos para a carne de pato por cada 100 gramas (3).

Calorias / Macronutrientes Quantidade (kcal / gramas)
Calorias 337 kcal
Carboidrato 0 g
Gordura 28,4 g
 – Gordura saturada 9,7 g
 – Gordura monoinsaturada 12,9 g
 – Gordura poliinsaturada 3,6 g
  – Ômega-3 290 mg
  – Omega-6 3360 mg
Proteína 19,0 g

Como mostrado na tabela, o pato oferece uma quantidade moderada de proteína e um teor de gordura relativamente maior em comparação com outras carnes. No entanto, a maioria desta gordura vem da sua pele, bastando removê-la  no caso de pretender uma menor ingestão de gordura/calorias.

O teor de gordura presente é constituído principalmente por ácidos graxos saturados e monoinsaturados.

Vitaminas Quantidade (% RDI)
Vitamina B3 24%
Vitamina B2 16%
Vitamina B1 12%
Vitamina B5 11%
Vitamina B6 9%
Vitamina K 6%
Vitamina b12 5%
Vitamina A 4%
Vitamina E 4%
Folato 1%

Semelhante a muitos outros tipos de carne, o pato é marioritariamente uma fonte de vitaminas do complexo B.

Minerais Quantidade (% RDI)
Selênio 29%
Fósforo 16%
Ferro 15%
Zinco 12%
Cobre 11%
Potássio 6%
Magnésio 4%
Sódio 2%
Cálcio 1%
Manganês 1%

O selênio é o mineral mais concentrado na sua carne, sendo também rica em fósforo, ferro, zinco e cobre.

Benefícios para a saúde

A maioria dos benefícios proporcionados pela carne de pato está relacionada às proteínas e nutrientes que contém. No entanto, ela oferece alguns benefícios exclusivos que faltam em outras carnes.

A pele do pato é uma fonte rica em glicina

Presumindo que consumimos o pato inteiro incluindo a sua pele, então ele oferece uma quantidade de glicina considerável na dieta – cerca de 1614 mg por cada 100 gramas. A glicina é um aminoácido importante que desempenha muitas funções no organismo, e o pato oferece 1614 mg por 100 gramas (3).

Embora seja considerado “tecnicamente” um aminoácido não essencial (pois o nosso corpo pode produzi-lo em quantidades “limitadas”), existem evidências de que a ingestão de glicina pode oferecer vários benefícios. Ela desempenha um papel crucial na saúde da pele e na cicatrização de feridas (56).

A glicina também possui propriedades promotoras do sono, tendo sido demostrado em estudos que a suplementação de glicina melhora a qualidade do sono  (78).

O rácio glicina-metionina

Curiosamente, estudos realizados em animais sugerem que a ingestão elevada de glicina pode ser benéfica para o aumento da longevidade (9). A ideia por trás desse efeito é que o equilibrio de glicina com outro aminoácido, a metionina, na dieta, está associada a uma vida mais longa (10).

Por fim, e embora a glicina seja classificada como “não essencial”, algumas pesquisas mostram que não consumimos quantidades adequadas dela através da dieta (11).

É uma boa fonte de proteína

Por cada 100 gramas, o pato (incluindo a pele) oferece cerca de 19 gramas de proteína. Apenas a carne, sem pele, fornece cerca de 23,5 gramas por cada 100 g  (12). As proteínas desempenham alguns papéis fundamentais no corpo humano, sendo responsável por:

  • Construir e reparar as células do corpo
  • Construir massa muscular / retendo a massa magra
  • Melhorar o sistema imunológico
  • Fornece proteínas importantes para a estrutura e a saúde geral da pele, cabelos e unhas
  • Algumas proteínas agem como enzimas.

É rico em selênio

O mineral mais abundante na carne de pato é o selênio, mineral riquíssimo nutricionalmente. Acredita-se que o selênio atue como um antioxidante, e tem benefícios relacionados à inflamação e resposta imune (13).

Um estudo mostrou que as mulheres idosas com níveis sanguíneos mais reduzidos em selênio têm o risco de mortalidade mais elevado (14). Acredita-se que uma ingestão insuficiente de selênio afete até 1 milhão de pessoas em todo o mundo (15).

O pato fornece 29% da ingestão diária recomendada de selênio por cada 100 gramas.

É rico em vitaminas do complexo B

A carne de pato contém uma boa variedade de vitaminas do complexo B, sendo particularmente rica em niacina (vitamina B3). As vitaminas do complexo B são importantes por várias razões. Algumas das suas principais funções incluem (16171819):

  • Converter a comida que comemos em energia
  • Desempenham um papel importante na função cognitiva
  • Estão envolvidas no sistema muscular e nervoso
  • Ajudam na produção de hormônios
  • Têm um papel importante no sistema imunológico
  • Produzem DNA e glóbulos vermelhos

Desvantagens

Apesar de ser um alimento saudável que contém uma variedade de compostos que ajudam na promoção da saúde, esta carne apresenta algumas desvantagens, a contaminação.

As pesquisas sugerem que esta questão não afeta o pato criado para venda comercial, estando relacionado apenas a aves selvagens. No entanto, um estudo descobriu que as espécies de patos que vivem em sistemas aquáticos próximos a áreas de poluição ambiental, apresentam níveis elevadíssimos de mercúrio e selênio, o que pode ser uma preocupação para os consumidores (202122).

Para quem tem como hábito comer carne de pato selvagem de forma regular, seria importante saber de onde o pato vem.

Considerações e dicas de culinária

O pato é uma carne nutritiva que oferece vários nutrientes benéficos e sabor únicos. Embora seja aconselhável verificar a sua origem caso seja uma carne selvagem (ou de caça), o seu perfil nutricional torna-o uma escolha extremamente saudável.

Para ajudar a manter o pato o mais magro possível, livre de gorduras, certifique-se de cozinhá-lo sem pele, cortar qualquer gordura visível antes de cozinhar e não adicionar mais óleo ou azeite durante o processo de cozimento.

Bons acompanhamentos para pratos de pato são, beterraba, cenoura ou cherovias (pastinacas) assadas. Certifique-se de cozinhar bem o pato – até atingir uma temperatura interna de 165º F ou 75º C para evitar o contágio de doenças transmitidas por alimentos.