O que causa e como curar a Dor durante o Contato Íntimo

Durante o ato sexual, muitas mulheres sentem fortes dores conforme o nível de excitação aumenta e elas se aproximam do orgasmo. Obviamente, esse desconforto as impede de prosseguir, frustrando tanto elas mesmas quanto os parceiros. Logo, é necessário curar a dor durante o contato íntimo, uma condição chamada de dispareunia.

Publicidade

Apesar do problema também ser manifestado por homens, a dispareunia é um transtorno predominantemente feminino. Prova disso é o fato de que a cada 10 mulheres, 1 delas se queixa de dispareunia.

As dores são sentidas na região pélvica ou na vagina. Além disso, não existe uma faixa etária específica para que a dispareunia aconteça. Logo, ela atinge tanto os casais em início de relacionamento amoroso quanto os mais maduros. Em qualquer um dos casos, lidar com o problema é algo complicado e profundamente delicado.

Causas Da Dispareunia

A dispareunia é um fenômeno intimamente ligado ao vaginismo, condição médica na qual a mulher contrai os músculos vaginais intensamente. Essa contração dificulta muito a penetração e é acompanhada de dores. O vaginismo está vinculado à utilização de remédios antidepressivos. Em algumas mulheres, ele acontece durante a perda da virgindade, marcada pela ruptura do hímen.

A conquista de um contato íntimo pleno e profundo depende do tratamento adequado da dispareunia. Para isso, é necessária a realização de um diagnóstico acertado. A terapia costuma ser conduzido por um sexólogo. Os demais especialistas, como os ginecologistas (para as mulheres) e os urologistas (para os homens) também podem providenciar o tratamento.

Como saber se é dispareunia

Para determinar se as dores sentidas se devem realmente à dispareunia, é necessário a mulher se submeter a exames clínicos. O diagnóstico é efetuado por um urologista ou ginecologista. O profissional cruza as informações relatadas pela paciente com os resultados de determinados exames. Basicamente, a mulher será submetida a uma ultrassonografia na região pélvica, além do tradicional papanicolau.

Principais causas

A dor durante o contato íntimo pode estar vinculada a aspectos psicológicos, emocionais e sociais. De um modo mais amplo, a dispareunia também pode ter sua origem relacionada à/a:

  • insuficiência de lubrificação da vagina antes da penetração sexual;
  • má inserção do diafragma (preservativo sexual feminino);
  • processos inflamatórios ou infecciosos nas glândulas presentes na área da vagina;
  • camisinha mal inserida no pênis;
  • efeitos colaterais perante a utilização de produtos adicionais voltados à contracepção sexual;
  • endometriose;
  • lesões nas tubas ou no colo do útero;
  • formação de tumor na região pélvica ou de cicatrizes decorrentes da cirurgia cesariana;
  • dor pélvica crônica — provocada principalmente pela SCVP (síndrome de congestão venosa pélvica);
  • existência de um septo vaginal, decorrente de uma malformação congênita;
  • existência de um hímen complacente — mais resistente ao rompimento devido ao elevado grau de elasticidade. Em alguns casos, o parto normal é decisivo para que haja a ruptura desse tipo de hímen;
  • vulvodínia — dores crônicas associadas a uma sensação de ardência da área da vagina;
  • doença de Peyronie — fibrose na camada que reveste os corpos cavernosos penianos.

Essa dor durante o contato íntimo também pode se desenvolver concomitantemente à realização de uma terapia oncológica. Essa variedade de tratamento é carregada de uma intensa carga emocional, intrinsecamente ligada à dispareunia.

Por conta disso, a mulher se torna muito mais sensível a qualquer penetração peniana. A mesma situação pode ser observada durante a menopausa, fase da vida igualmente marcada por uma constante emocional profunda.

Publicidade

Publicidade

Como curar a dispareunia para melhorar o contato íntimo

O tratamento apropriado da dispareunia depende da precisão do diagnóstico. As origens desse tipo de incômodo podem ser físicas, por exemplo. Nestes casos, a associação de medicamentos analgésicos com medicações anti-inflamatórias pode surtir bons resultados.

Em outros quadros clínicos, é preciso aderir ao tratamento à base de antibióticos. Já em situações mais graves, a intervenção cirúrgica não está descartada.

Em qualquer das situações, é recomendável uma terapia em casal com um sexólogo. O profissional realizará sessões de psicoterapia com o intuito de resgatar a intimidade do casal. Essa proximidade pode ser muito deteriorada devido às constantes frustrações sexuais de ambos os envolvidos. O trabalho do psicólogo ajuda a aparar arestas para que o casal volte a se entender em todos os aspectos da vida.

No decorrer do tratamento da dispareunia, pode ser necessário adotar algumas medidas, como:

  • redescobrir o próprio corpo e como ele reage ao corpo do companheiro;
  • tentar identificar o conjunto de emoções presentes durante um ato sexual;
  • passar mais tempo com a parceira, prestando o máximo de atenção possível ao que ela diz e faz;
  • cumprir todas as orientações psicoterápicas e médicas;
  • adquirir o hábito de utilizar lubrificante vaginal antes de qualquer penetração peniana;
  • manter-se conectada ao parceiro durante a realização das preliminares, concentrando-se no prazer do momento;
  • combinar um sinal com o parceiro para que ele interrompa a penetração, em caso de dor forte;
  • procurar estar bem física e mentalmente antes de praticar a relação sexual.

Mesmo com o auxílio de medicamentos, sessões com o psicólogo e as recomendações listadas acima, a conclusão do tratamento pode ser lenta. Isso porque o restabelecimento da intimidade do casal é um processo gradativo. Ao longo de todo o período, que pode levar meses ou anos, o parceiro precisa agir com maturidade e carinho. Essas duas características são essenciais para a total eliminação da dor durante o ato sexual.

Ver referências +
Publicidade