Chá diurético

Revisado por Drª Raquel Pires (Nutricionista - CRN-6 nº 23653) a 19 novembro 2018

Na hora de emagrecer, tudo o que possa resultar, conta. Antes da chegada da época do bíquini, os ginásios enchem, os nutricionistas têm a agenda cheia e os diuréticos de farmácia praticamente esgotam.

Mas estes nem sempre resultam, apesar de atuarem no rim e aumentarem o seu volume e fluxo urinário. Como nem sempre o que é fabricado é bom, a solução recai sobre usar e abusar dos diuréticos naturais.

A sua acção é igual à dos diuréticos de farmácia: aumentar o fluxo urinário e expulsar o excesso de líquidos do corpo. A diferença é que esta acção é feita sobre a forma de alimentos, ervas e minerais, em vez do típico comprimido.

São vários os benefícios que provém dos emagrecedores naturais, para além dos seus efeitos no processo de emagrecimento. A retenção de líquidos pode ser bastante prejudicial, podendo significar uma doença renal ou hepática.

Este sintoma pode ser tratado com um diurético natural. O uso de diuréticos ajuda também na retenção de substâncias prejudiciais como o sal e o açúcar. Alimentos com elevado teor de sal e açúcar, processados e com um elevado número de carbohidratos provocam uma maior retenção de líquidos. Ao usar diuréticos naturais, esse processo de retenção vai deixar de existir.

Chá diurético natural

Beba chás que aumentem o efeito do diurético. O chá de salsinha é um bom exemplo, devendo ser bebido quatro vezes ao dia. Pique 250 gramas de salsa com talo e adicione 200 ml de água a ferver.

Para melhorar o seu efeito, adicione umas gotas de limão, um fruto com grande potencial diurético. Este chá vai melhorar a digestão e é óptimo para quem sofre de gota ou reumatismo.

Mas, para emagrecer, o diurético não chega. Complemente o seu uso com exercício físico e dieta. Caso não o faça, assim que parar de usar um diurético natural, voltará a reter líquidos e regressará ao seu peso anterior.