Chocolate: a droga do amor?

Revisado por Equipe Editorial a 13 janeiro 2018

Foto reprodução

Diz a lenda que Montezuma, imperador asteca, bebia cinquenta xícaras de chocolate por dia na tentativa de manter a potência sexual. O chocolate sólido só se tornou amplamente disponível a partir de 1847. Mas será que, líquido ou sólido, o chocolate aumenta a libido? 

O chocolate é uma mistura muito complexa de subtâncias químicas. Recentemente, os pesquisadores descobriram que ele contém feniletilamina, substância química que gera a sensação de bem-estar e não muito diferente das anfetaminas. Em experimentos de laboratório, os animais ficam loucos por essa substância, comportando-se como se estivessem fazendo a corte ao sexo oposto. Entretanto, aparentemente o doce possui efeitos menos pronunciados entre os seres humanos. Ele pode nos deixar ligeiramente mais alertas –  mas não necessariamente excitados.

O chocolate contém também triptofano — aminoácido que produz outra substância química capaz de gerar a sensação de bem-estar, a serotonina. Infelizmente, uma quantidade muito pequena de triptofano do chocolate chega ao cérebro, por isso, seu efeito provavelmente é ínfimo.

Essa delícia pode não ter absolutamente nenhuma propriedade afrodisíaca, mas sua textura, que derrete na boca, o torna um alimento altamente sensual. Que mulher não fica pelo menos ligeriamente excitada quando recebe uma caixa de bombons do amado?

fonte: liro A verdade sobre a comida – Jill Fullerton-Smith