Caroço atrás do joelho pode ser Cisto de Baker

Atualizado e Revisado por Dr. Davi Marinho de Araújo (Ortopedista - CREMEC 13177 / TEOT-SBOT 12704) a 27/03/2019. Publicado originalmente em 27 de março de 2019

O cisto de Baker, também denominado de cisto poplíteo, é um caroço que aparece na parte de trás do joelho, devido ao acúmulo do liquido sinovial à medida que a membrana sinovial que cobre as articulações enfraquece. Normalmente é resultado de um problema na articulação do joelho, como artrite ou a ruptura de uma cartilagem. A dor geralmente piora quando o indivíduo flexiona ou estende totalmente o joelho, ou quando está ativo.

Ocorre nas bainhas dos tendões e bolsas de tecido localizados na parte de trás dos joelhos e pode acometer tanto crianças como adultos. Atinge em sua maioria, pessoas de 35 a 70 anos, mas pode ocorrer em qualquer idade, inclusive nos estágios iniciais da vida.

Trata-se de um inchaço benigno, que aparece em forma de nódulo e, que normalmente, pode ser visto e sentido por baixo da pele, quando apalpado. Dependendo do tamalho, pode ou não provocar dor.

Cisto De Baker

Principais sintomas

Em muitas situações, o paciente não costuma reclamar de dor ou de qualquer outra sensação proveniente do Cisto de Baker, sendo nesses casos, assintomáticos e não visíveis quando feito exame médico. Porém, em outros casos, há sim algum tipo de desconforto, tendo em vista o tamanho causado pela inflamação ou outras complicações, como a rotura do cisto ou o seu crescimento de forma exagerada.

Os sintomas mais comuns são:

  • Inchaço na parte de trás do joelho afetado, que em algumas vezes, passa para a perna
  • Desconforto no local
  • Dor no joelho
  • Rigidez e dificuldade de flexionar totalmente o joelho ou comprimir veias ou nervos
  • Aparecimento de nódulo palpável e visível atrás do joelho
  • Sensação de um balão cheio na parte de trás do joelho

As dores e os incômodos podem ficar pior após esforço feito com a perna, em atividades físicas ou após a pessoa ficar muito tempo na mesma posição. Existem casos de o Cisto de Baker romper e acabar provocando edema e hematomas na parte de trás do joelho e panturrilha, com dores que se assemelham a uma trombose venosa.

Quais são as causas

Ocorre quando o volume de líquido sinovial aumenta no local, provocando inchaço. Geralmente ocorre quando a pessoa já tem alguma lesão ou desgaste na cartilagem, artrose, artrite, lesão nos meniscos ou nos ligamentos. Nestes casos, a produção do líquido articular (sinovial) aumenta e se acumula atrás do joelho (na bursa poplítea, vulgarmente chamada “jarrete”), o que favorece a produção do Cisto de Baker.

Em adultos mais velhos, geralmente é devido a processos inflamatórios ou degenerativos:

  • Osteoartrite
  • Artrite reumatóide

Em adultos jovens, são produzidos na maioria dos casos por traumas que envolvem lesões características:

  • Lesão nos ligamentos do joelho
  • Ruptura do menisco
  • Desgaste da cartilagem articular

Portanto, é necessário tratar esse tipo de lesão, através da reabilitação do joelho e recuperação completa das estruturas afetadas, preservando ao mesmo tempo a integridade do líquido articular na área poplítea, de modo a não agravar os sintomas.

O líquido sinovial é um fluido lubrificante que ajuda a perna a girar sem dificuldade (funciona como uma dobradiça) e reduz o atrito entre as partes móveis do joelho.

Como é feita a lubrificação do joelho? O líquido articular ou sinovial é um lubrificante viscoso e translúcido presente nas cavidades das articulações e bainhas dos tendões. É responsável por lubrificar as articulações e os tendões do corpo, ajudando a evitar os atritos da perna, auxiliando no seu movimento.

Fatores de risco

Costuma acontecer com mais frequência em pessoas idosas (acima dos 60 anos), tendo em vista o fato dessa população possuir as articulações mais envelhecidas por causa do desgaste normal da idade. Também pode afetar pessoas que já possuem outros problemas nas articulações, como por exemplo, a artrite reumatoide.

Entretanto, também pode afetar pessoas de qualquer idade, até mesmo crianças. Nas crianças, o Cisto de Baker costuma ser indolor, apenas aparecendo um caroço na parte de trás do joelho quando a criança estica a perna.

Já nos adultos, o aparecimento do cisto no joelho está ligado diretamente a outros problemas articulares ou a processos degenerativos, como por exemplo, alguma lesão ou desgaste na cartilagem, artrose, artrite, lesão nos meniscos ou nos ligamentos, que fazem aumentar a produção do líquido sinovial na bursa poplítea.

Quando e que especialista devo consultar?

Normalmente, apenas com o exame físico, o médico já consegue diagnosticar o Cisto de Baker. Entretanto, no caso de alguma dúvida médica, o médico solicitará alguns exames. Os médicos especialistas nesse caso são: ortopedista, dermatologista, reumatologista e o clínico geral, e serão eles os responsáveis por dar o diagnóstico correto nos casos de dor, inchaço ou incômodo na região anterior do joelho.

Vale ressaltar que esses sintomas também podem ser uma suspeita de algo mais grave, daí a importância de procurar sempre um especialista.

Como é feito o doagnóstico

Caso haja alguma suspeita do médico após o exame físico, poderão ser solicitados os seguintes exames de imagem:

  • Ultrassonografia: Técnica que possibilita a visualização dos órgãos internos. Nesse caso, avalia de maneira geral a articulação do joelho.
  • Ressonância magnética: Técnica de imagem médica que produz imagens para fins de diagnóstico, feitos a partir de equipamentos que emitem ondas de rádio.

Tratamento Do Cisto De Baker

Como é feito o tratamento

Apesar de na maioria das vezes o cisto de Baker acabar desaparecendo naturalmente, os médicos indicam o tratamento das lesões intrarticulares com artroscopia.

A cirurgia para remover o cisto é indicada apenas em casos onde o cisto está muito dolorido ou com um tamanho grande demais.

Nos casos de o cisto ter sido proveniente de outras lesões ou problemas articulares, primeiro, deve se tratar essas lesões ou problemas primários, podendo se utilizar a artrocentese e injeções na articulação com medicamentos corticoides, como por exemplo a triancinolona, havendo melhoria nos sintomas em no máximo 7 dias.

Em casos raros, quando o paciente não obteve bons resultados com os medicamentos corticoides, o médico pode optar que seja feita a aspiração do cisto – que será guiada por ultrassonografia. Este tratamento não é o mais indicado, pois o cisto não é fácil de aspirar – devido ao líquido viscoso e também, por não tratar de fato a lesão do joelho, podendo retornar novamente no futuro.

Fisioterapia: Colocar gelo, usar bandagens elásticas (Kinesio taping) e usar muletas são atitudes que podem ajudar a reduzir a dor e a inflamação. Para reduzir os sintomas e preservar a função do joelho, também pode ser útil realizar exercícios leves que promovam a amplitude de movimento e fortaleçam os músculos que envolvem o joelho.

Estilo de vida e remédios caseiros

Se o médico determinar que a artrite é a causa do cisto, você pode fornecer todas ou algumas das seguintes dicas:

  • Siga os princípios da RICE: Em inglês, estas abreviaturas significam repouso (Rest), gelo (Ice), compressão (Compression) e elevação (Elevation). Deixe a perna descansar. Aplique gelo no joelho. Comprima o joelho com o uso de bandagens. E eleve a perna sempre que possível, especialmente à noite.
  • Analgésicos: Medicamentos como o ibuprofeno, naproxeno sódico, paracetamol e aspirina podem ajudar a aliviar a dor. Respeite a dosagem indicada nas instruções da embalagem ou consulte o médico. Nunca tome mais do que a dose recomendada.
  • Reduza a atividade física: Desta forma ajudará a reduzir a irritação na articulação do joelho. Pergunte ao médico os níveis de atividade que necessita de reduzir e peça alguns exemplos de exercícios para fazer nesse meio tempo.

Possíveis complicações

Caso haja um crescimento exacerbado do cisto, poderão surgir dores e edema na panturrilha e na perna, principalmente no caso de haver uma compressão das veias adjacentes, o que faz com que o escoamento do sangue fique mais difícil de ir para as pernas.

Quando rompe, o líquido presente nele pode disseminar-se para a panturrilha, podendo originar um processo de inflamação, dores intensas, inchaço e vermelhidão na região.

O Cisto de Baker pode virar câncer?

O cisto de Baker é um tumor benigno, tendo em sua composição basicamente líquidos. Portanto, não existe a possibilidade dele se transformar em um câncer.

A informação foi útil? Sim / Não

Ajude-nos a melhorar a informação do Educar Saúde.

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.

Referências
  • Helfgott SM. Popliteal (Baker’s) cyst. http://www.uptodate.com/home.
  • Imboden JB, et al. Approach to the patient with knee pain. In: Current Rheumatology Diagnosis & Treatment. 3rd ed. New York, N.Y.: The McGraw-Hill Companies; 2013. http://www.accessmedicine.com.
  • Arthritis of the knee. American Academy of Orthopaedic Surgeons. http://orthoinfo.aaos.org/topic.cfm?topic=a00212.
Autores
Dr. Davi Marinho de Araújo (Ortopedista - CREMEC 13177 / TEOT-SBOT 12704)

Ortopedista e Traumatologista - CREMEC: 13177 TEOT(SBOT): 12704

O Dr. Davi Marinho de Araújo realizou a sua Graduação na Universidade Federal de Campina Grande, terminando o curso em 26 de abril de 2008. R. Aprigio Veloso, 882-Bodocongó Campina Grande PB (83) 2101 1000

Residência Médica

Ortopedia e Traumatologia : Serviço de Ortopedia e Traumatologia do Hospital Getúlio Vargas (2009,2010,2011) Av.Gen. San Martin-Cordeiro Recife-PE 50630-060.

Membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) - TEOT: 12704

Membro titular da Associação Brasileira Ortopédica de Osteometabolismo (ABOOM), e do Comitê de Doenças Osteometabólicas da SBOT.

Treinamento em cirurgia de Pé e Tornozelo no serviço de Ortopedia e Traumatologia da Clínica Alemana de Santiago-CH, International intership program at Traumatology Department, ankle and foot Unit with MD Cristian Ortiz as tutor.

Treinamento na Especialidade

CURSO INTERNACIONAL AO-HASTES INTRAMEDULARES, realizado no Windsor Barra Hotel Rio de Janeiro RJ, 20 a 21 de maio de 2009.

AO PRINCIPLES OF FRACTURE TREATMENT COURSE, realizado em Fortaleza CE , de 4 a 6 de agosto de 2011.

CURSO AO TRAUMA PE E TORNOZELO, realizado em INDAIATUBA SP, de 24 a 26 de ABRIL de 2014.

CURSO AO TRAUMA AVANÇADO, realizado em RIBEIRAO PRETO SP , de 19 a 22 de AGOSTO de 2015.

Atividades laborais

Hospital Antonio Prudente, Fortaleza CE, atendimento clínico e procedimentos cirúrgicos, departamento de ortopedia e traumatologia, serviço de pé e tornozelo.

Membro titular do comitê de Ética Médica do Hospital Antonio Prudente, Fortaleza - CE, eleito para o atual biênio por processo eleitoral.

Hospital Gastroclinica, Fortaleza CE, atendimento clínico em emergência e procedimentos cirúrgicos.

Governo do Estado do Ceará , Policlínica Regional de Caucaia, médico ortopedista e traumatologista aprovado em concurso público.

Consultório Vittacura: Av Desembargador Moreira, 760 Meireles - Centurion Business Center - sala 809.

Também pode encontrar o Dr. Davi no Linkedin e no Google.