Convento e Igreja de S.Francisco de Alenquer

Revisado por Equipe Editorial a 13 janeiro 2018

Convento e Igreja de S.Francisco de Alenquer. A silhueta recortada da sua torre esguia, dos seus telhados e das suas empenas, sobressai e evidencia-se como símbolo visual de todo o casario da vila. Pertenceu esta igreja ao primeiro convento franciscano fundado em Portugal por D. Sancha, filha de D. Sancho I, no local onde existia o antigo Paço real da vila. A primeira igreja conventual deveria ser demasiado pequena porque, anos depois, D. Beatriz, mulher de D. Afonso III e mãe de D. Dinis manda construir nova igreja.

É pelo menos isso que consta na legenda de uma das lápides existentes na fachada do templo. Os quatro altares da nave, o altar-mor e o altar da Capela do Santíssimo são modelos de talha policromada dos finais do século XVIII. A pia baptismal é uma boa peça quinhentista, de pedra polifacetada, com decoração vegetalista ao gosto renascença. Assenta numa pequena base de características manuelinas. Está partida e remendada na borda, precisamente no espaço em que se encontrava a data: «A … 37».

Outra referência deve ser feita à magnífica grade de madeira pintada e dourada que fecha a capela do Santíssimo. Pormenores arquitectónicos a referir são a grande varanda setecentista, assente sobre mísulas, no topo do braço direito do transepto, os dois elegantes nichos-altares abertos na parede do arco do cruzeiro e as duas galerias de balaustrada que, partindo do Coro, se estendem ao longo de toda a nave. Pertencem à decoração da igreja algumas peças de arte, quer em pintura, quer em imagens de vulto.

Das pinturas destacaremos o «Baptismo de Cristo» pintado sobre madeira e um belo exemplar de pintura do século XVI com uma boa composição e um saboroso fundo de paisagem. A «Virgem do Rosário com o Menino Jesus e Doador» é também uma tábua do século XVI de muita qualida-de. Tem particular interesse a figuração do doador ajoelhado e a invulgar representação da Virgem rodeada por uma auréola oval com moldura de rosas. Das imagens de vulto que a igreja tem destacamos, pelo seu valor, a «Senhora do Capítulo» que pertenceu ao antigo Convento e uma imagem de madeira ricamente estofada e policromada. Esta imagem, de sabor gótico, é provavelmente do século XV, hipótese reforçada por algumas das suas características: o ligeiro arqueado da figura, os dedos afuselados, a rigidez e a dureza das pregas do manto e o ponteagudo sapato que surge sob a orla do vestido.

Um pormenor curioso da imagem é a faixa com a inscrição latina «HINC AD HIC» que corre abaixo da cintura da virgem. Esta legenda liga-se a uma lenda conventual. Nas costas da imagem, cavadas e sem acabamento, está outra inscrição – «Renovata Anno / Dñi. 1692» – que assinala um restauro. Desta data será possivelmente o magnífico estofado da imagem. Nesta Igreja há numerosas pedras tumulares. Algumas das lajes têm brasão. A Igreja que há poucos anos se apresentava em estado de ruína quase total, foi reparada, restaurada e reaberta ao culto em 1986.

Localização:

Largo de São Francisco
Alenquer
2580-337 ALENQUER
Distrito: Lisboa
Concelho: Alenquer
Freguesia: Santo Estevão