Corioretinopatia Serosa Central

Revisado por Reinaldo Rodrigues (Enfermeiro - Coren nº 491692) a 14 dezembro 2018

A corioretinopatia serosa central, também conhecida como retinopatia serosa central, é uma deficiência visual, muitas vezes temporária, geralmente em apenas um olho, que afecta principalmente os individuos do sexo masculino na faixa etária dos 20 aos 50 anos, mas que também pode afetar as mulheres.

Quando a doença está ativa é caracterizada pelo extravasamento de líquido sob a retina, com propensão a acumular-se sob a mácula central. Este liquido resulta numa visão borrada ou distorcida (metamorfopsia).

Diagnóstico

O diagnóstico geralmente começa com um exame de dilatação da retina, seguido de uma confirmação por tomografia de coerência óptica.

O exame de retinografia geralmente apresenta um ou mais pontos fluorescentes com vazamento de fluido.

Para um correto diagnóstico da doença é feito um exame onde existe dilatação da retina, o exame chama-se (angiografia de fluorescência).

Etiologia/Causas

A doença ainda não está bem definida: é causada pelo stress e pelos efeitos secundários de alguns medicamentos, como os glicocorticóides.

Observou-se também a correlação durante a gravidez: em tais casos, o distúrbio é encerrado no momento do parto, embora em casos raros, têm sido observadas recidivas.

A corioretinopatia serosa central é uma patologia extremamente comum em indivíduos jovens do sexo masculino podendo originar incapacidade temporária para o trabalho. Daqui a importância que atribuímos ao estudo desta patologia.

Importância da tomografia de coerência óptica na corioretinopatia serosa central (CRCS)

T. QUINTÃO, S. BARRÃO, PAULA SENS, F. QUERIDO
Instituto de Oftalmologia Dr.Gama Pinto, Lisboa

Material e Métodos: Avaliamos 5 casos de indivíduos do sexo masculino com idade média de 38,4 anos, com o diagnóstico de CRCS. Foram efectuadas angiografia fluoresceínica digitalizada e OCT, como métodos de estudo complementares.

Resultados e Conclusão: A tomografia de coerência óptica mostrou-se em todos os casos analisados como método de diagnóstico com elevada sensibilidade (100%).

Quando precedido por um exame clinico cuidado e Retinografia permite efectuar o diagnóstico, apresentando uma especificidade elevada.

Daqui se conclui o interesse do OCT no diagnóstico e follow-up da CRCS, associada à Retinografia e ao exame clinico.

Conheça Os 7 Efeitos Colaterais e os 6 Riscos da Cirurgia Ocular a Laser