Corrimento Marrom na gravidez: o que pode ser, é normal?

Algumas gestantes se assustam com as diversas alterações que seus corpos sofrem durante o período de gestação. Na verdade, muitas dessas transformações são esperadas e, portanto, consideradas normais. A presença de um corrimento marrom na gravidez, é um excelente exemplo, já que é algo perfeitamente comum quando ocorre em pequenas quantidades. Neste guia vamos explicar quando é normal a presença desta secreção escura durante a gravidez e quando consultar o ginecologista.

Em alguns casos este tipo de fluxo está relacionado a algumas complicações. Entre esses problemas estão, alterações dos índices de pH, uma expansão do colo uterino e o desenvolvimento de processos infecciosos.

É importante lembrar que a vagina libera secreções naturalmente. No entanto, um corrimento considerado saudável deve ser inodoro e transparente. No inicio da gestação, essa secreção detém uma textura viscosa, mas aparece em pequena quantidade. Conheça as possíveis origens de corrimento na gravidez e quando não é normal.

A atenção da futura mãe deve ser redobrada nos casos em que o corrimento ganha um aspecto mais escurecido. O odor intenso também costuma estar relacionado a situações mais sérias.

É importante informar o ginecologista a respeito de qualquer mudança sentida pela mulher em seu corpo. Os relatos dela são preponderantes para que sejam solicitados exames específicos, quando necessários.

Como o período de gravidez corresponde a uma fase extremamente delicada, as complicações devem ser evitadas ao máximo. Para que nada de ruim aconteça com a mãe ou com o bebê, é necessário realizar um monitoramento contínuo até o dia do parto.

Corrimento Marrom Na Gravidez, O Que Pode Ser E O Que Fazer

Principais causas do corrimento marrom na gravidez

Uma das causas do corrimento marrom são as modificações nos níveis do pH vaginal. Desde que a secreção contenha baixo volume e não ultrapasse 3 dias de duração, não é motivo para a mulher se preocupar. Após esse intervalo, o corrimento deve sumir de forma natural.

Após a realização de algum esforço físico, algumas gestantes também liberam um corrimento marrom. Nesses casos, o fluido pode apresentar algum traço sanguíneo. As atividades relacionadas ao esforço são:

  • limpeza doméstica;
  • subida de muitos lances de escada;
  • exercício físico em equipamentos de academia;
  • carregamento de peso (qualquer um, como uma sacola de compras do supermercado).

É importante salientar que a gestante deve seguir rigorosamente as orientações obstétricas quanto aos excessos que não deve cometer. Os limites associados ao esforço físico variam de acordo com a fase da gestação e precisam ser respeitados para que se evite o pior.

Caso o corrimento seja marrom e exiba outros sintomas, como coceira na genitália, ardor e odor desagradável, isso significa que o quadro da gestante é mais preocupante. O conjunto desses sintomas pode indicar uma das seguintes complicações:

  • processo infeccioso na região do colo uterino;
  • probabilidade de aborto espontâneo;
  • risco ao contágio de DSTs (doenças sexualmente transmissíveis) — o organismo da mulher grávida fica mais exposto à contaminação dessas doenças;
  • gravidez ectópica — esse tipo de gestação ocorre fora do útero, com maior frequência nas tubas uterinas.

Quando a secreção ocorre em grande volume e tem uma tonalidade escura relacionada com à presença de sangue, pode indicar alguma complicação, como o rompimento da bolsa d’água ou parto prematuro.

Perante o surgimento de corrimento escuro, a gestante deve buscar atendimento médico rapidamente. Geralmente, a realização de um exame de ultrassom é o suficiente para identificar algum problema na gestação.

Doenças e patologias relacionadas

Traumas no canal cervical devido a tumores pré-cancerosos que causam um pequenio fluxo de cor marrom.

As infecções sexualmente transmissíveis também podem causar uma secreção escura com mau cheiro, geralmente acompanhada de outros sintomas, como coceira e ardor dentro e ao redor da vagina.

A placenta prévia é uma condição que ocorre no terceiro trimestre e produz uma descarga de fluxo escura acompanhada de dor abdominal. Geralmente ocorre quando a placenta está muito baixa e os vasos da sua camada superior estão danificados.

Descarga de sangue subcorial inofensiva que se acumula abaixo da membrana da placenta até que a placenta se solte.

A tonicidade uterina pode causar sangramento leve quando o curso da gravidez é perturbado. Isso pode ocorrer quando a mulher faz sexo durante a gravidez, mesmo que o médico por algum motivo o contraindique, e como resultado pode levar a um aborto espontâneo.

A ameaça de aborto comum no primeiro trimestre também pode causar uma secreção escura. Nestes casos o médico indica repouso absoluto e a toma de alguns medicamentos.

Gravidez ectópica, tal como já referida no texto, é causada pela rejeição do óvulo, e, para além do fluxo escuro, pode também acompanhar náuseas, fraqueza, vômitos e dor abdominal.

Por fim, existe também a possibilidade desta coloração ser originada por danos na mucosa causados ​​pela penetração no ato sexual ou por um exame vaginal realizado com um espéculo ou uma sonda vaginal.

Quando o corrimento marrom na gravidez é normal

Além dos casos já relatados, é igualmente normal que algumas mulheres grávidas notem a presença de um corrimento marrom depois da relação. No entanto, a secreção deve manter as características normais (aspecto translúcido e ausência de cheiro). Caso contrário, é necessário aconselhamento ginecológico. O mesmo acontece quando o corrimento é acompanhado pela manifestação de cólicas.

Vale ainda ressaltar que o aparecimento de um fluido amarronzado, claro e com vestígios sanguíneos (tipo borra de café) pode indicar a proximidade do parto. Essas características pertencem ao chamado tampão mucoso, uma espécie de obstrução natural da mulher à entrada de micro-organismos nocivos no útero. A liberação desse tampão é um dos sinais mais evidentes de que o feto está prestes a sair. Portanto, também é importante ter atenção a esse momento. Conheça todas as causas do corrimento marrom.

Tratamento para corrimento marrom na gravidez

A abordagem do tratamento dependerá da origem do problema. Se a causa estiver ligada à presença de bactérias, o médico a tratará com a adoção de remédios antibióticos. Os casos que envolvem fungos são tratados com a administração de antifúngicos para combater a espécie em questão.

Existem, obviamente, os quadros de corrimento que não são correlacionados a nenhuma patologia. Nestes casos basta a mulher repousar, ficando longe da realização de atividades que empreguem algum esforço extra.

Independentemente do caso, é conveniente seguir algumas medidas diárias, que podem prevenir a frequência excessiva de corrimentos, como:

  • lavar as calcinhas somente com sabão neutro;
  • priorizar o uso de peças íntimas soltas e com material 100% algodão;
  • usar somente os sabonetes específicos (inclusive aqueles voltados à região vaginal) recomendados pelo médico;
  • não aplicar amaciantes durante a lavagem das peças íntimas;
  • evitar a lavagem excessiva da vagina, pois isso elimina a camada protetora natural da área.

Todas essas ações preservam a saúde da região vaginal, o que reduz o risco de infecções e, consequentemente, o desenvolvimento de secreções vaginais inesperadas.

Corrimento escuro pode ser sinal de gravidez?

Como se trata de algo comum no início da gestação, o corrimento escuro costuma ser, de fato, um dos sintomas da gravidez. É necessário, todavia, cautela da mulher em relação a isso. Basta lembrar que o corrimento pode ficar com uma aparência amarronzada devido à mistura entre a secreção e o sangue.

Nessas circunstâncias, o escurecimento é justificado por duas hipóteses. A primeira se refere ao aumento do fluxo de sangue no fim da menstruação. Já a segunda está ligada à redução do fluxo menstrual nesse mesmo período, o que deixa o volume sanguíneo mais denso e, portanto, mais turvo.

Como foi possível notar neste guia, existe mais de uma causa para o aparecimento de um corrimento escuro nesta fase. Cabe ao obstetra ou ginecologista executar todas as análises necessárias para descobrir a verdadeira origem do transtorno.

No que diz respeito à gestante, ela precisa ficar atenta a qualquer indício de alteração em seu organismo e, assim que possível, comunicar o médico sobre o assunto. A boa notícia é que, atualmente, a maior parte dos problemas pode ser tratado com sucesso, impedindo que a gravidez se torne arriscada para o feto e a mãe.

VOLTAR PARA »
A informação foi útil? Sim / Não

Ajude-nos a melhorar a informação do Educar Saúde.

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.
     

Corrimento Marrom na gravidez: …