Defeito Congênito

Revisado por Equipe Editorial a 24 outubro 2018

Um defeito congênito é um problema genético que resulta numa anomalia na formação de um bebê. Dessa forma, pode aparecer um defeito congênito em qualquer zona do corpo, desde músculos ou ossos, sistema digestivo, sistema nervoso, olhos, etc.

No caso dos defeitos congénitos musculares e ósseos, as zonas mais comummente afetadas são os quadris, a coluna vertebral, os pés e os membros inferiores, e os músculos e ossos do crânio e da face.

Na maioria das situações, o defeito é basicamente o desenvolvimento incompleto de um determinado órgão.

Atualmente, entre 3 a 4% de todos os recém nascidos têm algum defeito congênito relevante, por vezes sendo apenas detetados durante o crescimento.

Aliás, aos cinco anos, perto de 7% de todas as crianças são diagnosticadas com um defeito congênito, na maioria contudo, pouco relevante ou significativo. O aparecimento de defeitos congênitos é assim bastante habitual no ser humano.

Um defeito congênito pode variar entre leve e pouco relevante, até grave com necessidade de tratamento ou reparação. Os defeitos congênitos podem ser diagnosticados antes do nascimento, e nalguns casos, mesmo tratáveis enquanto o bebê está no útero.

Contudo, a maioria é tratada após o nascimento, ou até mesmo meses ou anos mais tarde. Se um defeito congênito grave não for tratado, o bebê pode ficar incapacitado de forma grave permanentemente.