Deficiência de vitamina E nos bebês

Atualizado e Revisado por Drª Gizele Cunha (Pediatra, Alergologista e Pneumologista Infantil - CRM/SP: 116541) a 12/08/2019. Publicado originalmente em 27 de julho de 2014

A deficiência de vitamina E é relativamente frequente nos bebés, e nomeadamente quando se tratam de casos em que os bebés são prematuros. O diagnóstico inicial deste problema poderá ser feito através de uma medição à quantidade de vitamina E existente no sangue.

A vitamina E é uma vitamina muito importante no organismo humano, já que tem um papel muito importante na protecção do organismo contra alguns efeitos potencialmente prejudiciais de espécies reactivas de oxigénio (chamadas EROS).

Esta vitamina caracteriza-se ainda por ter uma acção anti-oxidante importante, e é utilizada para tratamento e prevenção de doenças como a doença de Parkinson ou de Alzheimer.

Os sintomas que poderão indicar que o nosso bebé tem falta de vitamina E é o facto de este apresentar uma fraqueza muscular superior àquela que seria normal. Para além disso, o aparecimento do problema de anemia hemolítica (entre a 6ª e 10ª semana de vida) pode também ser um indicador da falta de vitamina E.

Este problema poderá eventualmente estar ainda relacionado com a retinopatia da prematuridade, cujo seu aparecimento poderá igualmente ser um sintoma de que estamos perante a falta de vitamina E.

A redução dos reflexos, visão turva e dupla, perda de sentidos posicionais e dificuldades de locomoção são também alguns sintomas da falta de vitamina E, sendo que nestes casos geralmente isso surge devido à má absorção intestinal.

Para tratar este problema, e dado que se trata de uma vitamina, utilizam-se geralmente suplementos vitamínicos que pretendem cobrir a falta da vitamina E (e até de outros tipos de vitaminas).

O tipo de suplementos que o bebé deve tomar a dosagem diária que deve ser feita devem ser sempre informações obtidas junto do médico. Nomeadamente, um pediatra poderá aconselhar-nos sobre qual será a melhor forma de tratamento.

Não devemos administrar suplementos de vitaminas sem questionar um médico ou farmacêutico de forma precisa, pois a administração do excesso e outras vitaminas poderá também ser prejudicial.

A informação foi útil? Sim / Não

Ajude-nos a melhorar a informação do Educar Saúde.

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.
Autores
Drª Gizele Cunha (Pediatra, Alergologista e Pneumologista Infantil - CRM/SP: 116541)

Pediatra, Alergologista e Pneumologista Infantil - CRM/SP: 116541

A Dra Gizele Ferreira Cunha é Graduada em Medicina pela Universidade de Ribeirão Preto - SP - 2004. Além disso possui:

- Especialização em Alergia e Imunologia Infantil pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (HCRP - FMRP - USP) – 2009.

- Especialização em Pneumologia Infantil pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (HCRP - FMRP - USP) – 2007.

- Especialização em Pediatria pela Universidade de Ribeirão Preto - 2006 .

Endereço: Avenida Senador César Vergueiro, 571 - Ribeirão Preto - SP - Email: cviver@bol.com.br - Telefone: (16) 33291337

Também pode encontrar a Drª Gizele no Linkedin e Facebook

Última atualização da página em 12/08/19