Dermatite de Contato e Irritativa na Vagina e Vulva

Revisado por Drª Camille Rocha Risegato. Publicado em 15 de outubro de 2017

A dermatite de contato na vulva é uma condição de pele causada pela exposição a alérgenos e irritantes que produzem coceira vulvar e / ou vaginal e ardor quando não existe infecção.

Saúde íntima

A pele da vulva é extremamente sensível e está sujeita a irritações causadas por vários produtos, tais como detergentes de roupa, amaciadores de tecidos, sabões corporais, tampões, e outros produtos de higiene feminina.

O uso regular destes durante um período extenso, em muitos casos provoca irritação, ardor e prurido na área vaginal, vulvar e anal.

Quais os sinais e sintomas da dermatite de contato na região íntima?

Coceira leve ou intensa e / ou queimação (ardor) na vulva

vermelhidão e inchaço vulvar

engrossamento da pele

sensação de humidade na superfície da pele vulvar exterior, que “chora” devido à irritação crônica.

Esta humidade pode ser confundida com corrimento vindo do interior da vagina e pode ser considerado como sendo a causa dos sintomas.

dor vulvar, nos casos mais avançados, com a inserção de um tampão, espéculo, ou durante a relação sexual.

Como é diagnosticada a dermatite de contato da vulva?

Dermatite Na Vagina

Nesta consulta, a pele da vulva, da vagina e do ânus, são examinadas pelo médico para observar mudanças de pele comuns associadas a esta condição.

Durante o exame vaginal, uma amostra das células da parede vaginal (obtida com um cotonete de algodão) irá procurar modificações nas células e descartar sinais de infecção.

Qual o tratamento para a dermatite de contato na vagina?

Remover o agente irritante e evitar contato futuro é o primeiro passo. (Veja abaixo a lista de possíveis irritantes vaginais no final do artigo).

Aplicar pomada esteróide quando prescrita pelo médico. Esta medicação e aplicação irá diminuir a vermelhidão, inchaço, coceira e ardor.

Atenção, as pomadas esteróides só devem ser usada como prescrito pelo médico, uma vez que o mau uso pode originar o agravamento do problema.

Realize um banho de assento morno com 4-5 colheres de sopa de bicarbonato de sódio para ajudar a aliviar o prurido vulvar e ardor.

Repita este banho vaginal 2 a 3 vezes por dia durante cerca de 10-15 minutos.

A vaselina ou o Crisco® podem ser aplicados liberalmente entre as aplicações das pomadas esteróides.

Os sintomas devem melhgorar gradualmente com estas sugestões.

Se os sintomas persistirem, ou se intensificarem, pode ser necessária uma avaliação mais aprofundada e um novo tratamento.

Os irritantes de contato que devem ser evitados

  • detergentes para a roupa contendo enzimas
  • amaciantes de roupas
  • sabões, géis e loções de banho
  • banhos de espuma, óleos, sais de banho, amaciadores de pele
  • sprays de higiene íntima, tajco e perfumes, e hidratantes e duchas vaginais
  • toalhetes adultos e de bebés
  • tampões, desodorantes
  • Contraceptivos em gel/creme, espumas e, lubrificante íntimo, Nonoxonyl-9
  • Preservativos com lubrificante ou espermicidas
  • papel higiênico perfumado e colorido
  • Roupa interior Sintética de nylon ou meia-calça

As informações fornecidas não devem ser usadas para diagnóstico ou tratamento, ou como substituto de consulta com um médico ou profissional de saúde.

Se tiver dúvidas ou preocupações específicas sobre a sua saúde íntima ou dermatite na vagina, deve consultar o seu profissional de saúde.

» Recomendamos a Leitura » Câncer de Vagina: Sintomas, Causas e Tratamento

Referências

http://drexelmedicine.org/

A informação foi útil? Sim / Não

Ajude-nos a melhorar a informação do Educar Saúde.

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.
Autores
Drª Camille Rocha Risegato

Ginecologista e Obstetra - CRM SP-119093

Dra Camille Vitoria Rocha Risegato - CRM SP nº 119093 é formada há 14 anos pela Fundação Técnico Educacional Souza Marques, Rio de Janeiro.

> Consultar CRM (Fonte: https://portal.cfm.org.br/index.php?option=com_medicos&Itemid=59)

Dra Camille mudou-se para São Paulo onde realizou e concluiu residência médica em Ginecologia e Obstetrícia (RQE nº 25978) no Centro de Referência de Saúde da Mulher no Hospital Pérola Byington em 2007.

Em 2008 se especializou em Patologia do Trato Genital Inferior nesse mesmo serviço. Ainda fez curso de ultrassonografia em ginecologia e obstetrícia na Escola Cetrus.

Trabalha em setor público e privado, atendendo atualmente em seu consultório médico particular situado na Avenida Leoncio de Magalhães 1192, no bairro do jardim São Paulo, zona norte de São Paulo.

Também pode encontrar a Dra Camille no Linkedin, Facebook e Instagram

.
Última atualização da página em 12/08/19