Diagnóstico de cancro associado a maior risco cardiovascular e de suicídio

Novo estudo corrobora evidências de que eventos stressantes podem aumentar o risco de um indivíduo adoecer ou morrer de um ataque cardíaco, derrame ou outros eventos cardiovasculares e de tornar-se doente mental.

Homens que foram recentemente diagnosticados com cancro da próstata têm um maior risco de cometer suicídio e de desenvolver doenças cardiovasculares. Esta é a conclusão de um estudo desenvolvido pela Escola Médica do Instituto Karolinska (Suécia) e publicado no jornal online PLOS Medicine. Os investigadores identificaram 170 000 indivíduos diagnosticados com cancro da próstata entre 1961 e 2004, com 30 anos ou mais. Obteve-se informação sobre eventos cardiovasculares subsequentes fatais ou não fatais sobre suicídios e sobre registos de internamento.

Antes de 1987, os homens com cancro da próstata tinham cerca de 11 vezes mais probabilidades de ter um evento cardiovascular fatal durante a primeira semana após o diagnóstico do que doentes sem esse cancro. Durante o primeiro ano após o diagnóstico, os homens com este carcinoma foram quase duas vezes mais propensos a ter um evento cardiovascular do que indivíduos sem o mesmo (risco relativo de 1, 9). A partir de 1987, o risco relativo para eventos cardiovasculares fatais e não fatais associados ao diagnóstico de cancro da próstata foi de 2, 8 na primeira semana e de 1, 3 no primeiro ano após o diagnóstico.

O risco relativo de suicídio associado a um diagnóstico de cancro da próstata foi de 8, 4 na primeira semana e de 2, 6 no primeiro ano após o diagnóstico. Finalmente, os homens com menos de 54 anos na altura do diagnóstico apresentaram maior risco relativo tanto para eventos cardiovasculares como para suicídio. “A nossa hipótese é que o stress emocional pode ter um impacto negativo sobre os doentes”, disse Katja Fall, autora do estudo.
Os investigadores não avaliaram a relação entre a severidade da doença e a probabilidade de um evento cardiovascular ou suicídio.
Além disso, devido ao desenho do estudo, não se atendeu ao facto de doentes que receberam um diagnóstico de cancro da próstata poderem ter outras características que contribuíram para o seu risco aumentado de eventos cardiovasculares e suicídio.