-->Doenças Atópicas - Educar Saúde

Doenças Atópicas

Publicado em 10/07/2014. Revisado por Drª Gizele Cunha (Pediatra, Alergologista e Pneumologista Infantil - CRM/SP: 116541) a 16 dezembro 2018

As doenças atópicas manifestam-se e estão presentes numa grande e variada percentagem da população Portuguesa. A reação alérgica é provocada e despontada por uma ativação da chamada imunoglobulina (Ige).

dermatite atopica nos pes

Perante a presença de agentes ditos inofensivos para a maioria da população como: ácaros, pelos de animais, carpetes e tapetes, pólen, mofo,pó,etc, a reação alérgica entra em ação.

A palavra atopia caracteriza-se por ser uma tendência quase sempre familiar para o surgimento dos chamados anticorpos classe IgE. Estes anticorpos atuam contra os alérgenos ambientais que são classificados como proteínas.

A alergia é diferente da atopia. Ambas são apenas e só uma predisposição para os sintomas específicos. A doença atópica surge quando o tecido normal e o organismo são lesados e destruídos.

Abaixo você tem um índice com todos os pontos que discutiremos neste artigo:

Sintomas da doença atópica

Tosse, espirros, vermelhidão, coceira da pele e dos olhos, asma, dermatite atópica, urticária, conjuntivite alérgica, pele seca, sinusite, rinite, alergia ao leite, hipersensibilidade, etc.

Tratamento para a doença atópica

Vacinas, injeções, pomadas, cremes, hidratantes, corticoides, compressas, remédios caseiros e anti-histamínicos.

1. Deve procurar sempre ajuda médica.
2. Evitar os agentes causadores da doença (quando diagnosticados e confirmados).
3. Ter em atenção que os possíveis tratamentos podem curar e eliminar a doença ou apenas aliviar os sintomas.
4. Conhecer o historial clinico da família para saber da predisposição familiar para esta doença (geralmente no agregado familiar há sempre mais do que um afetado).

Os mecanismos do nosso sistema imune defendem e ajudam a combater a reação alérgica e a hipersensibilidade à atopia. A reação alérgica pode ser leve, grave ou muito grave. Algumas manifestações clinicas podem ser apenas incómodas. Noutras podem ter consequências quando evoluem para diferentes estados.

Consequências graves da doença

– Problemas cardíacos
– Morte súbita
– Dificuldades respiratórias
– Hipotensão arterial grave levando ao choque.

Os anticorpos (linfócitos e outras células) protegem e defendem o nosso sistema imunitário. Participam e têm um papel muito ativo na alergia e nas reações alérgicas e nas ações anti- alérgicas.

Estas doenças caraterizam-se pela produção de anticorpos IgE, contra agentes inofensivos do meio ambiente. Pertencem a um grupo sempre mediado pela IgE.

Alérgeno

Pode ser pó, medicamentos, alimentos, partículas do ar etc.

Os anticorpos ligam-se a células específicas basófilos que estão no sangue e mastócitos que estão no tecido do organismo. A Reação alérgica acontece quando os anticorpos evoluem e passam para outra classe superior, dando-se a assim a chamada imunoglobulina E (IgE).

Quando os anticorpos se encontram ligados e fundidos com determinadas células, encontram-se com os alérgenos e estas são estimuladas a produzir substâncias químicas que danificam os tecidos em volta circundantes.

Prevenir é o melhor remédio, e o médico o melhor aliado. Nunca se esqueça….

Saiba mais sobre:
A informação foi útil? Sim / Não

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.
Autores
Drª Gizele Cunha (Pediatra, Alergologista e Pneumologista Infantil - CRM/SP: 116541)

Pediatra, Alergologista e Pneumologista Infantil - CRM/SP: 116541

A Dra Gizele Ferreira Cunha é Graduada em Medicina pela Universidade de Ribeirão Preto - SP - 2004. Além disso possui:

- Especialização em Alergia e Imunologia Infantil pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (HCRP - FMRP - USP) – 2009.

- Especialização em Pneumologia Infantil pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (HCRP - FMRP - USP) – 2007.

- Especialização em Pediatria pela Universidade de Ribeirão Preto - 2006 .

Endereço: Avenida Senador César Vergueiro, 571 - Ribeirão Preto - SP - Email: cviver@bol.com.br - Telefone: (16) 33291337

Também pode encontrar a Drª Gizele no Linkedin e Facebook