-->Epidídimo: o que é, função, anatomia e doenças comuns - Educar Saúde

Epidídimo: o que é, função, anatomia e doenças comuns

Publicado em 09/01/2019. Revisado por Dr Nilo Jorge Leão Barretto (Urologista - CRM-BA 22237) a 7 março 2019

O que é? O epidídimo é o tubo condutor que conecta os testículos ao ducto deferente, através do qual o sêmen circula com os espermatozoides. Mede cerca de cinco centímetros como um todo e é enrolado sobre si mesmo na parte posterior do testículo, formando um conglomerado em forma de C que adere em grande parte à parede testicular. É nele que se acumulam e amadurecem os espermatozoides, até deixarem o órgão masculino quando forem expelidos juntamente com o sêmen. A doença mais comum que ocorre neste ducto é a epididimite, uma inflamação do epidídimo que pode causar algum desconforto.

Anatomia Do Epidídimo

Função

Após serem produzidos no testículo, os espermatozoides entram no epidídimo quando ainda não são muito maduros e têm pouca mobilidade.

Uma vez lá dentro, eles se desenvolvem durante 10 a 14 dias, período durante o qual adquirem sua capacidade de se mover e definir sua estrutura, bem como a sua capacidade de fertilizar um óvulo. Eles saem do epidídimo no momento em que o homem ejacula.

Embora no período de 10 a 14 dias eles já estejam desenvolvidos, os espermatozoides podem permanecer meses no epidídimo até serem expulsos. Se o homem tiver muito tempo sem ejacular, os espermatozoides são fagocitados (absorvidos pelas células do epitélio do epidídimo).

Aspiração do epidídimo

Quando o órgão reprodutivo do homem não produz espermatozoides normalmente, pode ser realizada a aspiração (Punção do Epidídimo) do ducto como forma alternativa de obter os espermatozoides. O procedimento é útil nos casos de infertilidade em que um casal não consegue ter um filho pelos métodos naturais, e a mulher opta por usar o sêmen do seu parceiro em vez de um doador.

A realização do procedimento conciste em extrair uma amostra de espermatozoides diretamente do epidídimo com o uso de uma agulha.

Estes espermatozoides vão posteriormente ser combinados com uma microinjeção intracitoplasmática de espermatozoides para eleger o espermatozoide que fertilizará o óvulo.

Outro uso para a aspiração do epidídimo é quando existe uma azoospermia obstrutiva, que é o bloqueio dos ductos deferentes do epidídimo por onde os espermatozoides circulam, sendo que, neste caso o problema não reside na produção de sêmen mas sim na sua saída.

Anatomia

O epidídimo é dividido em três regiões: cabeça, corpo e cauda. Apesar de aparentemente só medir cinco centímetros, esticado ele conta com cerca de seis metros de comprimento.

Cabeça: É o local que recebe os espermatozoides dos testículos para armazená-los. É a maior parte do epidídimo.

Corpo: É onde ocorre a maturação do espermatozoide, que demora entre 10 e 14 dias. O revestimento das paredes desta região secreta glicogênio, um polímero que ajuda na formação de espermatozoides, bem como de muitas outras substâncias que ajudam a mantê-los vivos.

Cauda: Depois de maduros os espermatozoides são armazenados na cauda do epidídimo, esperando até serem expelidos juntamente com o sêmen.

Doenças e condições

Epididimite

A epididimite é a infecção testicular mais comum. Atinge homens entre os 19 e os 35 anos e geralmente ocorre devido a doenças venéreas como a gonorreia ou clamídia, embora também possa ser causada por bactérias como a Escherichia coli. Outras causas que aumentam as chances de sofrer uma epididimite incluem:

  • homens que não foram circuncidados,
  • pacientes com problemas no trato urinário,
  • consumo de alguns medicamentos ou,
  • lesão causada por um golpe na região.

São vários os sintomas que podem indicar uma epididimite, os principais incluem febre, sensação de peso nos testículos, presença de sangue no sêmen, dor durante a ejaculação, durante a micção ou dor permanente no testículo.

A infecção pode ser identificada através de uma análise de sangue completa, um ultra-som Doppler, um exame de urina, ou testes para identificar infecções sexualmente transmissíveis. O tratamento geralmente é feito com remédios antibióticos, que devem ser prescritos pelo urologista, e descansando com o escroto elevado ou aplicando gelo no local. Veja Como é feito o tratamento da Epididimite.

Cisto no epidídimo (espermatocele)

A espermatocele ocorre quando existe a presença de uma massa pequena localizada no testículo. A maioria dos casos não apresenta complicações, com algumas exceções em que pode causar uma pequena dor ou sensação de peso dos testículos. É um cisto geralmente benigno que não necessita de tratamento, a não ser que cause dor, constrangimento ou leve à redução do suprimento de sangue para o pênis (raro).

Se a espermatocele aumentar ou causar desconforto, pode ser necessário recorrer a uma cirurgia para a remover, a espermatocelectomia.

Saiba mais sobre:
A informação foi útil? Sim / Não

O texto contém informações incorretas? Está faltando a informação que você está procurando? Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva-nos para que possamos verificar e melhorar o conteúdo. Não lhe iremos responder diretamente. Se pretende uma resposta use a nossa página de Contato.


Nota: O Educar Saúde não é um prestador de cuidados de saúde. Não podemos responder a perguntas de saúde ou aconselhá-lo nesse sentido.
Autores
Dr Nilo Jorge Leão Barretto (Urologista - CRM-BA 22237)

Urologista - CRM-BA 22237

Consultar > Currículo Lattes.

O Dr. Nilo Jorge é Graduado em Medicina pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Publica- 2010. Além disso possui:

- Especialização em Urologia e Cirurgia Geral na Universidade de São Paulo – 2013/2015.

- Título de especialista em Especialização em Fellowship em UroOncologia, Laparoscopia e Cirurgia Robótica.

Fundação Antônio Prudente- AC Camargo Câncer Center, AC CAMARGO, Brasil.

Título: Cirurgias Laparoscópicas e Robótica em Urologia. - Orientador: Dr. Gustavo Cardoso Guimarães – 2017.

- Coordenador do Núcleo de Uro-Oncologia do Hospital Santo Antônio- Obras Sociais Irmã Dulce. Preceptor do núcleo de Urologia do Hospital São Rafael. Uro-oncologista do Grupo OncoClinicas do Brasil e sócio do grupo Uroclinica da Bahia.

Membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia, cirurgião geral e urologista pela Universidade de São Paulo (USP- RP). Fellowship em Uro oncologia, laparoscopia e cirurgia robótica no AC Camargo Câncer Center.

Cirurgião robótico certificado pela Intuitive/Strattner. "International Member" da European Association of Urology (EAU) e da "American Urological Association" (AUA). Possui trabalhos publicados em congressos, periódicos e livros em Urologia.

Endereço: Rua Anita Garibaldi, 1815 CME Federação, Salvador/BA - Telefone: (70) 3235-0867 / 2626-3030

Também pode encontrar o Dr. Nilo Jorge na sua página www.nilojorge-leaobarretto.com, ou no Linkedin e Instagram.