Introdução

Nome científico: Actaea racemosa, Cimicifuga racemosa .

Nomes comuns: Baneberry, black cohosh, acteia.

A Actaea racemosa, também conhecida como Erva-de-São-Cristóvão, é uma planta medicinal da família Ranunculaceae, nativa da América do Norte Oriental.

Antes da chegada dos europeus, os nativos americanos usavam a planta para aliviar vários distúrbios, incluindo várias condições femininas, como a menopausa e amenorreia [ R , R ].

A planta tornou-se uma “droga” oficial na Farmacopeia dos Estados Unidos em 1820. No entanto, cresceu em popularidade em 1844, quando o Dr. John King, um médico eclético, publicou o seu uso como tratamento para uma variedade de condições, incluindo a ovarite crônica, a endometriose, e distúrbios menstruais [ R ].

Atualmente ainda é usada para tratar vários distúrbios, como a ansiedade e sintomas da menopausa. [ R ].

Componentes

Os principais “componentes farmacológicos” da Erva-de-São-Cristóvão incluem: glicosídeos triterpênicos, ácidos fenólicos, flavonóides, óleos voláteis taninos.

Glicosídeos – Triterpênicos

A Acteína é encontrada nas raízes da planta e pode inibir o crescimento de tumores de mama, dando efeitos anti- câncer à planta [ R ].

A 23-epi-26-desoxicardina, semelhante à acteína, é um composto glicosídeo triterpênico que pode ser extraído das raízes. Ajuda a suprimir o crescimento de células de câncer de mama [ R ].

A cimicifuviridase, obtida a partir de raízes da planta, também atua como agente anti-câncer [ R ].

Ácidos polifenólicos

Atualmente, são mais de 20 os derivados polifenólicos encontrados nas raízes da Erva-de-São-Cristóvão, incluindo ácido cafeico, ácido isoferulico, ácido fukinólico e ácidos cimicifugicos. Estes compostos têm propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes [ R , R ].

Óleos voláteis

Também conhecidos como óleos essenciais, os óleos voláteis são insolúveis em água e estão disponíveis em várias plantas. Podem ser úteis na prevenção e como complemento ao tratamento de uma variedade de cânceres, incluindo leucemia e câncer de boca, mama, pulmão, próstata, fígado, cólon e cérebro [ R ].

Taninos

Os taninos são compostos polifenólicos presentes em muitos alimentos vegetais. Os Taninos possuem propriedades anti-cancerígenas, antioxidantes e antimicrobianas [ R ].

Mecanismo de ação

Embora vários estudos clínicos tenham mostrado a eficácia do extrato da Erva-de-São-Cristóvão no tratamento dos sintomas da menopausa, o seu mecanismo de ação ainda é desconhecido R ].

Um estudo afirma que o extrato da planta pode atuar como modulador seletivo do receptor de estrogênio, o que significa que consegue “simular” a atividade normal de um estrogênio. No entanto, vários outros estudos mostraram que o extrato não tem nenhum efeito estrogênico [ R , R ].

Outra teoria propõe que os efeitos da planta derivam das suas propriedades antioxidantes. No entanto, um estudo realizado não detectou quaisquer propriedades antioxidantes na planta [ R ].

Por último, pensa-se que um derivado da serotonina (Nω-methylserotonin) encontrado na planta, pode ativar os receptores de serotonina R , R ].

Benefícios da Erva-de-São-Cristóvão para a saúde

1) Pode melhorar os sintomas da menopausa

Sintomas Da Menopausa

Num estudo realizado em 84 mulheres na pós-menopausa, a ingestão de um suplemento de Erva-de-São-Cristóvão levou à diminuição das ondas de calor, em comparação com um placebo [ R ].

Em outro estudo realizado em 48 mulheres na pós-menopausa com distúrbios do sono foi admistrada uma dose diária do suplemento ou placebo durante um período de 6 meses. Os resultados mostraram que, comparado ao placebo, a planta melhorou a qualidade do sono nas mulheres na pós-menopausa R ].

2) Pode melhorar a fertilidade

Um estudo realizado num grupo de 119 pessoas inférteis que tomaram citrato de clomifeno (uma droga usada para tratar a infertilidade em mulheres) e um suplemento da planta, concluiu que a adição da planta ao citrato de clomifeno melhorou a taxa de gravidez [ R ].

A Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) desencadeia um conjunto de sintomas causados ​​pela forte presença de hormônios masculinos na mulher. Afeta aproximadamente 17,8% das mulheres em idade reprodutiva. Os sintomas podem incluir ciclos menstruais irregulares, hirsutismo, acne e infertilidade [ R ].

Uma revisão que envolveu 33 estudos analisou o efeito de 6 plantas, incluindo a Erva-de-São-Cristóvão em mulheres com SOP. Na revisão, concluiu-se que a planta pode aumentar a ovulação e melhorar a fertilidade R ].

3) Pode tratar miomas uterinos

O fibroma uterino é um tumor não canceroso desenvolvido no útero que pode levar a períodos dolorosos [ R ].

Foi realizado um estudo em 244 pacientes com sintomas da menopausa. Metade das pacientes foi prescrita com 2,5 mg de tibolona por dia (um esteróide usado no tratamento da endometriose), enquanto a outra metade foi tratada com 40 mg de extrato de Erva-de-São-Cristóvão por dia. Os resultados mostraram que o extrato da planta é mais eficaz contra miomas uterinos do que a tibolona [ R ]. Confira quais são os remédios usados no tratamento de miomas uterinos.

4) Pode ajudar no tratamento do diabetes

Num estudo realizado em animais, a planta foi administrada por via oral e por injeção em 68 camundongos durante um período de 7 dias. Os resultados indicam que o extrato da planta pode tratar a diabetes tipo 2, sendo necessários mais estudos para determinar a eficácia da planta em humanos R ].

5) Pode melhorar a saúde óssea

Melhora A Saúde óssea

Num estudo realizado baseado em células, um componente da planta (25-acetilcimigenol xylopyranoside) reduziu significativamente a atividade dos agentes causadores de perda óssea [ R ]. Estudos mostram que algumas substâncias desconhecidas presentes no extrato da planta reduzem a perda de massa óssea [ R ].

6) Tem efeitos anti-câncer

Numa análise de laboratório, o extrato mostrou oferecer propriedades anticancerígenas ao inibir o crescimento de células humanas de câncer de próstata [ R ].

Em outro estudo de laboratório, foi administrado o extrato de raiz da planta em células de câncer de mama humano. Os resultados mostraram que três componentes específicos do extrato (acteína, 23-epi-26-desoxicocerina e cimicamerosidase A) inibiram o crescimento de células de câncer de mama [ R ].

7) Pode tratar a AIDS

Foram avaliadas 83 substâncias químicas de diferentes plantas quanto à atividade anti- HIV. Destes compostos químicos, a acteína (um componente chave do extrato da erva) provocou uma forte resposta contra o HIV/AIDS [ R ].

8) Promove a perda de peso

Um estudo onde foi analisado o efeito do extrato da planta em ratos, mostrou que os camundongos tratados com o extrato durante um período de 6 semanas ganharam menos peso e acumularam menos gordura em comparação com os que não usaram o suplemento [ R ].

9) Pode reduzir a ansiedade

Num estudo realizado em animais, o extrato da Erva-de-São-Cristóvão reduziu o comportamento relacionado à ansiedade, promovendo um estado de sonolência [ R ].

Efeitos colaterais

Pode causar danos ao fígado

Uma mulher de 44 anos que usou black cohosh durante um mês desenvolveu danos no fígado. Como não tomava nenhum outro medicamento, concluiu-se que a lesão hepática foi causada pelo uso da planta [ R ].

Pode causar vários efeitos colaterais leves

Uma revisão sistemática de 13 ensaios clínicos, concluiu que o uso da planta em geral é seguro. No entanto, foram associados vários efeitos colaterais leves à planta, incluindo dor de estômago, erupções cutâneas, dores de cabeça, tonturas e dor na mama R ].

Limitações e Advertências

Contradizendo os estudos. Existem vários estudos que apoiam o uso do extrato da planta no tratamento dos sintomas comuns da menopausa. No entanto, também existem vários estudos que mostram o contrário – não havendo ainda um veredicto final sobre o uso da planta no tratamento dos sintomas da menopausa [ R , R , R , R , R ].

Interações medicamentosas

Tamoxifeno (Nolvadex): Um estudo baseado em células mostrou que o uso da Erva-de-São-Cristóvão ao mesmo tempo que o tamoxifeno pode reduzir a eficácia da droga [ R ].

Atorvastatina (Lipitor): Um estudo de caso realizado numa mulher de 53 anos usando a planta e atorvastatina simultaneamente descobriu que a combinação resultou num aumento “perigoso” das enzimas hepáticas que podem indicar danos hepáticos [ R ].

Fármacos contra o câncer: Estudos mostram que a planta aumenta a toxicidade da doxorrubicina (adriamicina) e do docetaxel (Taxotere) nas células cancerígenas. No entanto, também diminuiu a eficácia da cisplatina nas células cancerígenas [ R ].

As drogas são metabolizadas pelo fígado: A Erva-de-São-Cristóvão inibe a atividade das enzimas do citocromo P450, que decompõem várias drogas. A inibição dessas enzimas pode levar a danos no fígado [ R , R ].

Fontes Naturais (ou Formas de Suplementação)

A forma mais comum de tomar a planta é através de comprimidos (pílulas). No entanto, também está disponível em cápsulas, tinturas líquidas e extratos (que podem ser misturados em água), ou a raiz seca (para fazer chá) [ R , R , R ].

Dosagem

Não existe uma dose padrão para o uso da planta, mas doses de 40 mg/dia são comuns em vários estudos, dependendo do metabolismo do paciente e da gravidade dos sintomas [ R ].

Em vários estudos, as mulheres usaram a planta em doses de 160 mg/dia sem efeitos colaterais visíveis. No entanto, é importante consultar o médico antes de usar o produto [ R ].